Retrocesso ambiental no governo Bolsonaro pode custar até US$ 5 tri ao Brasil
Jair Bolsonaro: gestão ambiental desastrada

Os recentes números do desmatamento na Amazônia — aumento de 60% em junho de 2019 , em relação ao mesmo mês em 2018 — e o “desmonte” do Ministério do Meio Ambiente mostram que o Brasil caminha rapidamente para seu pior cenário ambiental neste século, o que pode custar até US$ 5 trilhões ao país.

A conclusão é de um grupo de pesquisadores — da Coppe/UFRJ, da UFMG e da UnB — ouvidos pelo jornal O Globo.

Em julho de 2018, ao lado de outros cinco colegas, eles publicaram um artigo na revista “Nature Climate Change” que definia o “pior cenário” como a conjugação do aumento do desmatamento com má governança, ou seja, baixo controle do desmate e incentivo ao agronegócio predatório.

 

No estudo, eles observaram três recortes da História recente do país: antes de 2005, quando o desmatamento foi alto, e a governança, fraca; de 2005 a 2011, período considerado, pelos especialistas, de boa governança, com políticas de controle que resultaram em redução do desmate; e, por fim, de 2012 a 2017, de governança intermediária, quando se mantiveram medidas de controle e, ao mesmo tempo, sinais de estímulo a práticas negativas para as florestas (caso também de 2018).

“Claramente, temos hoje uma dinâmica bastante negativa que aponta para o pior cenário. Mantida a dinâmica atual, vamos retroceder aos níveis de antes de 2005”, afirma o cientista político Eduardo Viola, da UnB, um dos autores do estudo.

“Com seis meses de governo, ainda é cedo para dizer que estamos num período de baixa governança. Mas é fato que estamos tendendo a isso”.

— LEIA também: Missa marca inauguração dos serviços do navio hospital Papa Francisco em Juruti

Para André Lucena, da Coppe/UFRJ, se o Brasil de fato retroceder ao pior cenário, “não há chance alguma de cumprir as metas do Acordo de Paris “. O país é o sétimo maior emissor do mundo, e sua meta de redução é de 37% em 2025.

“O Brasil tem ainda o compromisso de manter o aumento de temperatura abaixo dos 2 graus. Para isso, pode emitir uma quantidade específica de carbono até 2050. Se o desmatamento come esse “orçamento” todo de carbono, outros setores da economia vão ter que fazer um esforço enorme para compensar”.

Se entre 2005 e 2012 o país conseguiu reduzir as emissões em 54%, foi em grande parte porque também reduziu o desmatamento (em 78%). Agora, avalia Raoni Rajão, professor da UFMG e coautor do artigo, “é grande a probabilidade de o desmatamento em 2019/2020 ser bem superior ao de 2018/2019”.

“Nesses últimos dois meses, o alarme começou a soar de maneira mais forte, porque o nível de desmatamento descolou dos números do ano passado”, afirma Rajão.

 

“Claramente há risco de se caminhar para um cenário fraco. Há evidências disso, como o desmonte de aspectos essenciais do Ministério do Meio Ambiente, dos instrumentos de controle que podem realmente reduzir ou zerar o desmatamento”.

Para Roberto Schaeffer, da Coppe/UFRJ e também autor do artigo, “nada é mais sensato e barato do que enfrentar com seriedade a questão do desmatamento”.

“Todos ganham se dermos um basta ao desmatamento no Brasil. Só perdem aqueles com interesses escusos”, diz.

Procurado para comentar estimativas e críticas dos pesquisadores, o Ministério do Meio Ambiente não se pronunciou.

Com informações de O Globo

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

14 Comentários em: Retrocesso ambiental no governo Bolsonaro pode custar até US$ 5 tri ao Brasil

  • Vai não Jeso, segundo o que ele ensinou aos europeus, onde houver desmatamento nascerá uma europa no lugar, aí mesmo em Santarém nós podemos identificar uma pequena Suécia surgindo no Maicá.

    • É verdade, Mário! O professor Bolsonaro tem muito a ensinar aos europeus.

      • Os europeus não tem florestas l acabaram com tudo agora querem dar palpite em outros países,deveria estar preocupados com as florestas das suas mulheres.

        • Quem te disse que não, o professor especialista em fake news Bolsonaro? Vc tb deve acreditar na quadratura da terra, né não? Ou na mamadeira de piroca… etc

  • Os melhores estão sendo levados, M. Rezende, R. Boechat, Paulo H. A… Do STF, foi- se Teori Zavasqui… Entre outros… Quem será o próximo????

    • Bom seria que o diabo levasse todos esses canalhas esquerdopatas que alem de ladrões apoiam tudo que não presta.

  • Estamos fritos? Literalmente💥🌋👎👎😱😱

  • Nada mais simples que perceber que esse “inominável” presidente foi colocado pelos representantes do mercado para agir única e exclusivamente aos seus serviços, Acho que o perfil que eles precisavam é exatamente o dele: estúpido, grosseiro, sem noção de cultura, violento, arrogante subserviente e com uma dose enorme de mediocridade. Quem está governando esse país são os barões do agronegócio, os banqueiros e os especuladores do mercado.

    • E melhor Bolsonaro do que uma quadrilha de esquerdopatas,safados,ladrões do colarinho branco e enganadores dos mas humildes.
      Fora Canalhas

    • E melhor ser governado por barões do que por ladrões

      • Esse desequilibrio é de nascença ou foi a vida que transformou você nesse ser amargurado?

      • Bosominion amargurado é uma espécie que perdeu o equilíbrio por falta de estudo, coloca seus fracassos nas contas da Globo, PT, Mao T’se Tung, Xuxa e etc, passou a infância assistindo o Xuxa Park e transformaram-se nestes seres sem rumo, os filhos da Xuxa.

  • MEDIOCRIDADE JÁ!

  • Eita!
    É por essas e outras que chegamos aqui.
    Pelo menos é um ladrão com título e pedigree né?
    Mais acéfalo impossível…aff!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *