Assessoria de imprensa tem gosto de quero mais, por Núbia Pereira

Ives Lee, considerado o pai das relações públicas moderna

por Núbia Pereira (*)

O sobrenome Lee no mundo da música nos lembra Rita. No mundo da comunicação, recorda Ivy, o americano que teve a carreira marcada após se tornar assessor de imprensa do empresário John Rockefeller, acusado de destruir pequenas e médias empresas e ser impiedoso e sanguinário.

Ivy Lee teve um papel importante e desafiador: limpar a imagem do capitalista. Para isso, usou a transparência e a rapidez como estratégia. Deu certo!

A assessoria de imprensa começou a invadir o mundo até chegar ao Brasil. Os políticos foram os primeiros clientes. Bem, se existe alguma semelhança entre jornalistas, Ivy nunca deve ter esquecido a primeira assessoria e, também, nunca quis parar de fazer.

É como aquela comida que da água na boca só de pensar e a gente tá sempre em busca dos melhores restaurantes para saboreá-la. Para que ninguém ache que se come tudo no mesmo prato, bora da uma espiadinha no menu?

O Jornalista/Repórter vive atrás de informações, que nem sempre é a favor de uma pessoa física ou jurídica; o Jornalista/Assessor de Imprensa, cuida do nome dessa turma sem, obviamente, faltar com a verdade. Ética é o tempero indispensável.

Quando falta, afasta o “consumidor” e os prejuízos podem ser incalculáveis. O “cardápio” deve atender a clientela toda. Se não gosta engole assim mesmo, não vai fazer mal não!!! Não há quem resista as boas companhias, não é? O momento, portanto, é ideal para estreitar relacionamento, um bate papo.

Mas, lembre: não existe almoço grátis. Quem chega no final do expediente, também merece ser atendido com toda atenção, afinal, nem sempre a fome bate na hora que a gente quer. Devemos estar preparados para dar aquela esquentadinha e não deixar ninguém com a barriga vazia.

Nas entrelinhas… As conhecidas demandas chegam das redações em cima da hora, e são consideradas tão importantes quanto as demais, cujo deadline deixa os chefs de cozinha (assessores) mais confortáveis para o preparo do cardápio (notícia).

Como em todo empreendimento de sucesso, a mídia é fundamental. Nos dias atuais, o trabalho não deve mais ser limitado ao contato com o jornalista dos veículos da grande mídia. Também temos que perceber o potencial de divulgação nos blogs, sites, portais, perfis do Facebook, Twitter, entre outros.

Para isso, o profissional precisa ser proativo e ter noções de gestão estratégica para alcançar seus objetivos. Vale ressaltar que, diferente da Publicidade, a Assessoria de Imprensa busca deixar o cliente em evidência a partir de divulgação gratuita, e não pela compra de espaços publicitários.

Outro ponto que precisa ficar bem claro, diz respeito a diferença da Assessoria entre Assessoria de Comunicação (Ascom) e Assessoria de Imprensa, para não da indigestão em ninguém.

Vale agora, aquela olhada nas definições do menu. Ascom é constituída por, pelo menos, um profissional de cada área da comunicação, ou seja, jornalista, publicitário, relações públicas e marqueteiro. Por ser mais completa, já se subentende que o trabalho exercido também seja mais aprofundado.

A assessoria de imprensa é composta somente por jornalistas que têm a função de lidar diretamente com repórteres, além de conhecer as atividades, projetos, propostas e ideais da instituição ou cliente para, assim, elaborar releases e sugerir pautas noticiáveis para a mídia.

Deve ainda divulgar eventos, montar clippings, dar orientações sobre como executivos e colaboradores devem se relacionar com a mídia e possuir mailing atualizado. Mas seu principal papel é a divulgação.

O menu também diferencia outros “pratos concorrentes ou complementares”, ou seja, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas.

O profissional de Relações Públicas é responsável pela comunicação organizacional que tem como meta manter ou reformar a reputação positiva de uma instituição, conciliar interesses e estabelecer a integração de diálogo entre várias empresas e opinião pública.

Já na assessoria de imprensa, a meta é estabelecer relações confiáveis entre o assessorado e os meios de comunicação, com a função de se tornar uma fonte respeitada e atingir um equilíbrio da opinião pública, além do relacionamento externo.

Enquanto o Relações Públicas está mais relacionado à coordenação de eventos e projetos, o jornalista precisa escrever bem e ter um bom relacionamento com a imprensa.

Independentemente do tipo de assessoria é certo que o sabor do bom trabalho será a garantia de um saudável relacionamento entre assessorado e os canais/meios de comunicação. O papo tá muito bom, mas chegou a hora de se deliciar antes que a comida esfrie.

Bom apetite!

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

* É jornalista.

Leia também da autora
Um caso de amor por trás dos holofotes: assessor de imprensa x assessorado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *