Lula: o preso está solto nas ruas, por Paulo Cidmil, Lula da Silva
Lula, encarcerado em prazo recorde

Os editoriais e a pauta do jornalismo político dos grandes veículos de comunicação, desde o anúncio da candidatura Lula, estão em intensa campanha de divulgação de sua inelegibilidade.

Paulo Cidmil

Evidenciam um frenético desejo de vê-lo fora da disputa. Devem sonhar com sua queda nas pesquisas após o alarido desesperado de que Lula não é ficha limpa. Jogam palavras ao vento.

O povo já sabe que todas as corporações midiáticas tem lado e estão engajadas em um golpe parlamentar.

A exposição negativa que essas corporações impuseram a Lula, com a conivência e participação de parte do Judiciário,  é um verdadeiro linchamento público. No entanto, ele sobe consistentemente nas pesquisas desde 2016.

Nenhum outro político resistiu a um dia de denúncia no Jornal Nacional. 50 milhões de votos do Aécio viraram pó após revelação de telefonema onde pede dinheiro a corruptor e ameaça matar quem delatar. Cogita se candidatar a deputado federal,  situação humilhante e vergonhosa.

Alckmin, o político de maior envergadura de São Paulo e montado em coligação que reúne mais de 200 deputados, os patronos do golpe, mal chega a 10% nas pesquisas.

A grande imprensa e suas centenas de jornalistas investigativos não conseguiu produzir uma prova ou evidência irrefutável contra Lula.

Manipularam, junto com Sergio Moro, uma conversa sobre um termo de posse de ministro que o país inteiro sabia que iria ocorrer, transformado em escândalo de obstrução de Justiça e que o Judiciário materializou  em processo. Mais um, onde se força um relato criminoso, para evidenciar um crime.

Até hoje não produziram uma matéria sobre a reforma forjada em apartamento que dizem ser de Lula, cuja reforma aponta despesas de um milhão e trezentos mil (o que inclui notas fiscais de empresas de Curitiba prestando serviços no Guarujá?!). As filmagens do apartamento não revelam investimento sequer de 100 mil reais.

Lula foi encarcerado em prazo recorde. Condenado em 1 ano e meio, quando a média no tribunal de Porto Alegre é de 2 anos e 4 meses.

Teve como  única prova para condená-lo a palavra de um delator que só foi acusar Lula em seu quarto depoimento, após quase dois anos de prisão preventivamente. Os três anteriores não foram aceitos porque não incriminavam Lula.

 Nenhuma matéria foi veiculada especulando sobre a velocidade do julgamento de Lula que recebeu a mesma dosimetria de relator e desembargadores, fato raríssimo,  para evitar a possibilidade de mais recursos no TRF4.  E assim, encaminhar mais rápido a sua inelegibilidade.

Não assistimos, sequer como direito ao contraditório,  reportagens sobre as diversas arbitrariedades cometidas no decorrer do processo que encarcerou Lula. A grande imprensa foi utilizada como porta voz dos anseios de Sergio Moro para execrar Lula publicamente e aniquilá-lo politicamente.

Ainda não temos matéria nos grandes jornais e TVs sobre Tacla Duran, advogado da  Odebrecht, acusado de bandido foragido pelo juiz da Lava Jato e que teve seu nome na lista de procurados da Interpol a pedido de Sérgio Moro.

Ele acaba de ter seu nome retirado dessa lista, vive livre na Espanha,  que não aceitou seu pedido de extradição por falta de provas. Esta em andamento seu acordo de colaboração premiada,  já aceito por diversos países onde a Odebrecht atuou, menos no Brasil, onde Sergio Moro preferiria que Tacla Duran não existisse.

No Brasil, a grande mídia age como se Tacla Duran e as graves revelações feitas por ele sobre a Lava Jato não existissem.

Toda a atuação da grande imprensa nacional no desenrolar dos acontecimentos políticos pós-2014 é vexaminosa. É de um engajamento cínico em defesa do golpe que nasce dos grandes interesses econômicos internos e externos, interesses que têm relações simbióticas com a mídia corporativa.

Usaram o discurso anticorrupção como cavalo de batalha. Hoje, grande parte da população sabe que esse golpe foi promovido pelos corruptores do chamado mercado corporativo e financeiro, em parceria com corruptos encastelados no Congresso Nacional. Com as bênçãos do Judiciário do Sul do país, STJ e STF.

O jornalismo investigativo esta morto. O que temos é o jornalismo comprometido. A Globo News, com sua bancada de bonecos de ventríloquo, passou duas horas provocando Ciro Gomes, político personalista, a soltar suas frases de efeito contra Lula.

O irritou o suficiente, para que ele emitisse duas declarações que deve tê-los atingido na espinha dorsal: “No Brasil não tem mais jornalismo” e “Lula é um preso político”.

Nunca houve luta contra a corrupção no seio das corporações midiáticas, o que ocorreu foi um apoio tácito aos operadores do golpe no Congresso e no Judiciário, para mudar o governo e as diretrizes da economia e da política externa do país.

O que os golpistas conseguiram foi piorar todos os índices da economia e do desenvolvimento social. Promover estagnação e retrocesso especialmente em ciência e tecnologia, educação, saúde, segurança, política externa, legislação ambiental e cultura. Vender ativos do povo brasileiro a preço de banana e produzir uma aberração política de nome Jair Bolsonaro.

Quando Moro cometeu a arbitrariedade de conduzir Lula coercitivamente, estava em seus planos levá-lo para Curitiba e encarcerá-lo preventivamente por prazo indeterminado. Seu ódio a Lula não permitiu que avaliasse com clareza o tamanho de Lula no coração do povo brasileiro e nem tampouco o prestigio que Lula goza fora do Brasil.

Foi o seu erro fatal.

A entrevista coletiva concedida por Lula logo após sua condução coercitiva, quando resolveu enfrentar seus algozes e mobilizar as forças populares, foi o início do fim de Sergio Moro como paladino da justiça. Hoje, de unanimidade como exemplo de luta contra a corrupção, passou a ser visto com desconfiança por mais de 50% do povo brasileiro, segundo as pesquisas.  O povo duvida  de  seus reais objetivos. Em breve terá que sair do país.

Nesse embate, em qualquer circunstância, Lula é o grande vitorioso. Figura como favorito nas pesquisas e poderia ganhar no primeiro turno. E o candidato que ele indicar, caso  não esteja na urna no dia 7 de outubro, irá para o segundo turno.

Lula acaba de apresentar ao país duas novas lideranças extremamente capacitadas e com vivência política, em um claro movimento de renovação (que também nos traz Guilherme Boulos, aliado de Lula desde o primeiro momento).  Ainda não presenciamos nos outros partidos ao centro e à direita sequer esboço de novidade, muito menos de renovação.

Existem manifestações em defesa de Lula nos quatro cantos do mundo. parlamentares e lideres políticos  da Europa, África, America Latina e EUA se pronunciaram em sua defesa e a China iniciou um processo de restrição comercial em claro protesto contra o golpe.

Os principais veículos de comunicação do Ocidente, como Le Monde, Financial Times, NYT, Washington Post, El País, The Times, The Guardian, Libération, L’Humanité,  BBC, TF1, Bild, estamparam matérias sobre as existência de um golpe no Brasil e denunciaram evidências e suspeições sobre a parcialidade do juízo que julgou e julga Lula.

O movimento popular liderado por artistas e intelectuais lançou o Festival Lula Livre, que reuniu 80 mil pessoas na Lapa/RJ, evento ignorado na grande imprensa, mas que deve se multiplicar país afora, em mais uma manifestação de apoio a Lula.

Hoje existem mais de 5 milhões de Lulas espalhados pelo país pedindo voto para Lula ou para Fernando Haddad, com a previsível exclusão de Lula pelo Judiciário.

É evidente que a mudança na legislação ocorrida em 2016, que prevê prisão após condenação em segunda instância, mesmo em desacordo com a Constituição, que só prevê condenação e conseqüente enquadramento na Lei da Ficha Limpa após o transito e julgado, o que só ocorreria após o réu exercer o seu direito a recorrer junto ao STJ e STF, será usada para excluir Lula das eleições de 2018.

Como também é evidente que o STF, mesmo já tendo admitido por maioria, a inconstitucionalidade das mudanças feitas em 2016, que instituiu a prisão em segunda instância com o conseqüente enquadramento na Lei da Ficha Limpa, só botará o assunto na pauta para reverter a excrescência jurídica, quando Lula estiver eliminado como candidato em 2018.

Mesmo assim, e apesar de tudo, Lula aqui também é um grande vitorioso, pois expõe as vísceras do Judiciário. Coloca em evidência as manobras feitas no Ministério Público de Curitiba, no juízo de Sergio Moro,  no TRF4, no STJ e STF. O que demonstra as entranhas e as digitais do golpe nas fileiras do Judiciário.

Em 2018, partidos e parlamentares de esquerda que juntos somavam 130 deputados no Congresso devem sair da eleição com cerca de 170 parlamentares.  Dos atuais  6 governadores, a esquerda deve eleger pelo menos oito. No Senado e parlamentos estaduais, o crescimento da esquerda também deve ocorrer.

O golpe, para os políticos que o patrocinaram no Congresso, foi um tiro que saiu pela culatra e os atingiu em cheio.

Não construíram uma candidatura capaz de ganhar a eleição presidencial e permanecem colados a Temer, ser abjeto para 90% dos brasileiros. Estão em dificuldades para se apresentar ao eleitor e assistem seus principais adversários, Dilma para o Senado em Minas e Lula para presidente, desfilarem um favoritismo até o momento imbatível, o PT ressurgir das cinzas.

As esquerdas estão fortalecidas e convergindo para união. E a extrema direita irracional  pela primeira vez exerce protagonismo político.

Enquanto isso, pelas vozes de milhões de brasileiros, Lula caminha solto e mais líder do que nunca pelas ruas do país, fazendo história e renovando a esperança dos brasileiros em dias melhores.

** Paulo Cidmil é diretor de produção artística e ativista cultural. Escreve regularmente neste blog.

Leia também de Cidmil:
O obscuro futuro do povo brasileiro e de sua quase democracia

  • 17
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

6 Comentários em: Lula: o preso está solto nas ruas, por Paulo Cidmil

  • Texto fascinante e esclarecedor!!
    Com argumentos irrepreensíveis, está aí a demonstração do porquê da perseguição ao grande estadista Lula.
    Parabéns, Paulo…!!!

  • Perfeito, esclarecedor e com base na realidade. Paulo Cidmil representa no seu comentário 100% dos q acreditam q a República e a Democracia só se manterá soberana com LULA no páreo. De outra forma, quem Ele indicar será solução de repressão à direita espreitosa e danosa ao povo brasileiro.

  • Quem beijou a mão do Maluf para eleger o Hadad ? Quem se aliou ao PMDB ? Quem financiou obras no exterior a fundo perdido com o dinheiro do contribuinte ? Há muito tempo que o PT deixou de ser um partido politico e virou uma seita de fanáticos… Só que agora o Lula está provando o que é que se recebe ao se aliar com bandidos…. eu choro!!!!!

  • O Lula declarou um patrimônio de 7 milhões de reais…. um professor mesmo universitário com doutorado levaria 100 anos para acumular este patrimônio!!!! But the wrost blind is that refuses to see !!!!

  • e o que dizer do Lula beijando a mão do Jader barbalho ? ein? eu perco cabelo com o passar dos anos mas não perco a memória… Eu ouvi O Lula no ginásio do SESI aqui em Belém chamar o Jáder de demônio ! e muitos anos depois eu ouvi ele chamar o Jáder de santo homem… ora esse menino “articulista” tem que viver um pouco mais para entender que politico brasileiro é igual a anágua de mulher…. não tem lado… tem apenas visões tacanhas e interesses escusos a defender… me compre um bode !

  • Para quem desconhece o jogo político e de como se estrutura nossa República a partir de governos de coalizão para se obter maioria, é fácil ficar na superfície do beija mão dos períodos eleitorais.
    Com o quadro político atual, sem uma reforma política, ninguém chega ao poder (e se chegar não governa) se não tiver habilidade para construir maioria no Congresso.

    Todos estão preocupados com a eleição para presidência e ninguém observa os políticos pilantras e fisiológicos que mandamos para Câmara e Senado. Evangélicos com mais de 100 parlamentares atacando direitos individuais com viés religioso agredindo o Estado laico. ruralista com outros 100 atacando direitos de minorias para se apropriar da terra e agredindo e retrocedendo as regras ambientais para beneficiar os seus negócios, Militares e policiais com outros quase 100 propondo liberação de armas defendendo a máfia da segurança privada e a pena de morte formal e informal em um retrocesso civilizatório.
    Ainda temos a bancada dos planos de saúde, o lobby da construção civil, o lobby dos laboratórios farmacêuticos, todos de perfil conservador, com interesses específicos e se lixando para projetos coletivos e do interesse do povo pobre brasileiro.
    No Congresso sindicalistas não somam 30 deputados e todos os deputados de esquerda não chega a uma bancada de 130. Política é a arte do convencimento, a habilidade de fazer convergir interesses difusos em uma mesma direção, em prol de uma coletividade plural e o mais abrangente possível. Em política cada eleição tem sua conjuntura. Por isso que Luis Inácio Lula da Silva é grande.
    Ai me aparece o seu Jorge e sua rasa e infantil leitura de que fulano beijou a mão de cicrano que o patrimônio de Lula é desproporcional. Só para sua informação: 80% do patrimônio de Lula declarado agora na justiça eleitoral são investimentos feitos por sua empresa de palestras, adquiridos em mais de 80 palestras realizadas entre 2011 e 2015, e todas declaradas ao Imposto de Renda.
    Queira você ou não, fora do Brasil Lula é do tamanho do Barak Obama, que cobra 200 mil dólares por palestra. A maioria das palestra de Lula foram realizadas fora do Brasil. Não foi a toa que no dia 14 de agosto, o New York Times, jornal mais conceituado no mundo, publicou com destaque carta denuncia de Lula e a ONU se manifestou em sua defesa.
    O julgamento de Lula, no mundo todo esta sob suspeição. Aqui, onde a imprensa esta engajada em um golpe parlamentar desde a eleição de Dilma, é que vc e muitos outros recebem informações tendenciosas, manipuladas e parciais. Jorge, você é um dos muitos patos que desfilaram na Sapucaí no carnaval desde ano.
    Lamento por sua ignorância, mas não o culpo, sei que a globonews tem sua parcela de responsabilidade nessa tragédia que assola mentes preguiçosas que repetem os jornais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *