Um Rio de lágrimas, por Helvecio Santos, intervenção militar no RJ

Intervenção do Exército na área de segurança público do RJ

por Helvecio Santos (*)

Perante uma plateia formada pelos mesmos ministros que não importa do que se trata, estão sempre à sua volta, o presidente Michel Temer, com voz austera, anunciou em Brasília a Intervenção Militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro.

No dia seguinte, em um novo convescote no Palácio Laranjeiras, sede do governo do Rio de Janeiro, novamente perante os mesmos, anunciou novamente o que já havia anunciado em Brasília.

Para esse protocolo, toda a troupe Presidencial veio ao Rio e haja despesa com passagens de avião, hotel, seguranças, inúmeros carros oficiais com os respectivos motoristas, restaurantes, etc, etc, etc, isto num país que o presidente alardeia estar em situação periclitante.

Perguntado, o governador disse que a explicação de como iria funcionar a segurança seria com “eles”. O ministro Jungmann, da Defesa, disse que ainda não havia um detalhamento. O da Fazenda disse que ainda não sabia o custo da Intervenção.

Rodrigo Maia, presidente do Congresso, disse que se houvesse quorum, a Medida Provisória que autoriza a Intervenção seria votada na segunda feira, dia 19 de fevereiro, mas dependeria de quorum. Todos sabemos que os parlamentares trabalham (?) de terça a quinta.
Mas, alto lá!

A viagem da numerosa comitiva não foi em vão. Numa decisão inédita, o Presidente da República anunciou a criação de mais um ministério, o Ministério Extraordinário da Segurança Pública e, me parece, por sua empolgação, na visão do mandatário isso irá resolver todos os males da segurança pública.

Aleluia! Aleluia! Parece que agora a coisa vai, mas não creio.

Esse “papo” da segurança do Rio como bandeira de promoção vem desde o Brizola, Marcelo Alencar, Moreira Franco, Garotinho, Rosinha, Benedita da Silva, Sérgio Cabral e finalmente Pezão. Passou por tantos governadores que inclusive o atual ministro acompanhante, Moreira Franco, na época ainda tinha cabelos pretos mechados de brancos.

As feridas do Rio de Janeiro que, em menor ou maior grau são de todo o Brasil, são profundas e esse cansativo “blá, blá, blá” não nos levará a nada.

Ao final da dita Intervenção, nada mudará. É preciso uma incisão bem mais profunda do que a que o Presidente está fazendo. Como está sendo feita é jogo de cena, para “inglês ver”. Ele e todos os envolvidos sabem.

Nada mudará enquanto nos jornais e televisões a atuação policial for espetacularizada, exposta como desnecessária e abusiva e o marginal for tratado como “suspeito”. Via de regra, as operações policiais são tachadas de “violência policial”, como se o bandido, que tem armamento mais sofisticado que os valentes policiais, os recebessem com flores, bolos e confetes.

Nada mudará enquanto jornais e televisões derem ampla cobertura aos chamados “protestos” da comunidade, sabidamente a mando dos marginais “dominantes “do pedaço os quais, seguida e gratuitamente agridem policiais, impotentes para reagirem, pois se assim o fizerem no dia seguinte estarão estampados nas primeiras páginas das manchetes.

Nada mudará enquanto autoridades do Judiciário e representantes da sociedade civil fizerem inspeção buscando uma melhor condição carcerária para os presos e não fizerem o mesmo nos alojamentos dos quartéis da Polícia Militar e nem nas condições de trabalho da Polícia Civil. Todos são responsabilidade do Estado.

Nada mudará enquanto os “direitos humanos” se preocuparem com as famílias das “vítimas de uma sociedade desigual” e não tiverem a mesma preocupação com as famílias dos policiais militares, dos policiais civis e da população indefesa, vítimas das “vítimas de uma sociedade desigual”.

Nada mudará enquanto não houver uma profunda mudança no Código Penal, no Código de Processo Penal e no Estatuto da Criança e do Adolescente. Menor é menor, sim e que se trate diferenciadamente. Então, no cometimento de algum crime, será condenado, cumprirá a pena em uma casa correcional enquanto for menor e o restante da pena em uma instituição penal, tão logo alcance a maioridade. Do jeito que está é um incentivo à marginalidade juvenil.

Nada mudará enquanto a morosidade da Justiça for a tônica e a tendência da prestação jurisdicional for de absolver o autor do crime, numa visão caolha de uma época em que o cidadão precisava ser protegido de um Estado dito repressor.

Nada mudará enquanto a população, desarmada, for presa fácil dos bandidos, sem o direito constitucional de se defender, a si e aos seus, no mínimo em igualdade de forças.

Nada mudará enquanto ladrões de colarinho branco ou qualquer outra cor de colarinho rirem na cara do povo que brada por justiça, bons serviços de saúde, boas escolas, boas estradas, etc, etc, etc, enquanto lambuzam-se em restaurante caros, com o dinheiro roubado e com motoristas e seguranças pagos por nós.

Nada mudará enquanto políticos profissionais, num número excessivo para o serviço (?) que prestam, num passe de mágica ficarem ricos com malas de dinheiro, apartamentos lotados de malas de dinheiro, desvios de comissões, sítios e triplex e a Justiça paquidérmica encerrar processos pela prescrição dos crimes.

Nada mudará enquanto não houver um futuro digno, garantido por governantes dignos, vigiados por uma Justiça rápida e eficaz. A Justiça é o pilar mestre onde se sustenta um país decente e próspero e nesta definição não cabe habeas corpus de compadrio.

Nada mudará! Infelizmente! É o que penso.

Nada mudará enquanto o Bloco da Preta Gil arrebanhar 500 mil pessoas e o Bloco das Poderosas outras 200 mil pessoas emporcalhando e vandalizando o Centro Histórico do Rio de Janeiro; nada mudará enquanto arrastões nos blocos, nas praias, nos ônibus, nos bares, for nossa triste rotina; nada mudará enquanto o roubo de carga for meio de vida de assaltantes e comerciantes bandidos; nada mudará enquanto motoristas de carretas com cigarro contrabandeado do Paraguai, presos pela Polícia Federal, forem soltos após audiências de custódia em intervalos de 20 em 20 dias.

Enquanto o povo vive na lama, há os que vivem da lama. Quem serão?

Mas há os que sabem aproveitar e não perdem uma oportunidade. Enquanto o povo fugia de balas e arrastões no feriado carnavalesco que se transformou em barbárie, cercado de assessores (?) o prefeito Marcelo Crivella fazia um tour não oficial pela Alemanha, África do Sul e Áustria. Já o governador Fernando Pezão descansava em sua casa em Piraí, cidade ao sul do Estado.

Apesar dos governantes DEUS ainda olha pelo Rio e mandou uma chuva torrencial na quarta feira à noite. Com bueiros entupidos por falta de limpeza e rios assoreados, a cidade toda alagou. As ruas viraram canais fluviais, dando assim uma lavada geral e amenizando o fedor de penico “lotado” que o Rio exalava.

– – – – – – – – – – – – – – – – – –

* É advogado e economista. Reside no Rio de Janeiro e escreve regularmente neste portal.

Leia também do articulista:
A mentira, o grande golpe e os privilégios

  • 2
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Um Rio de lágrimas, por Helvecio Santos

  • Helvécio Santos,
    Muitíssimo bem retratado a situação da intervenção no Rio de Janeiro, coaduno com vossa opinião integralmente, acompanho o relator. Porém, quando tu escreves
    Nada mudará! Infelizmente! É o que penso. (Você, escreve 12 vezes).
    Ai, descordo de você, já mudou…Helvécio…já mudou….. Ontem dia 21/02/2018.
    pelo seu desempenho gigantesco……
    Foi nomeado, e será confirmado pelo Presidente Michel Temer , ainda esta tarde. O Novo Ministro da Defesa……. SERÁ MARTINS SILVA…….kkkk.

    • Caríssimo Elbio, estava com saudades de seus comentários. No início de maio próximo provavelmente estarei na Santa Santa Santarém. Se vc estiver por lá, aparece num sábado lá na Catedral que é o reduto de “boleiros”, “milongueiros”, poetas enfim, pessoas que valem muito mais do que um sábado. A Catedral? É o lugar santo benzido e abençoado pelo querido guru Dadá, sombreado por um ficus ali na Moraes Sarmento com Marechal Rondon. Vai ser bom te ver. TAPAJOARAMENTE AZUL,

  • Helvécio Santos coxinha, direitista que aplaudiu a saida da Dilma, pois tudo ia melhorar…mudou mesmo né???? Pra pior , bem pior…tá reclamando de que mesmo!!!!????

    • Sra. Maria Clara, desculpe-me a franqueza mas sua colocação é simplesmente hílare. Tachar-me de coxinha e direitista só porque não tenho corrupto de estimação é ridículo. Não sou coxinha e muito menos de direita até porque acho que não existe direita nem esquerda. A política vive somente de interesses. Sou sim brasileiro e como tal torço por um Brasil melhor. Torci pela saída da presidente Dilma pois ela provou fartamente ser incapaz de conduzir o país e seu impeachment foi conduzido pelos ditames constitucionais assim como o do Collor que o PT apoiou e foi um dos artífices. Penso que vivemos um momento muito denso mas há luz no fim do túnel apesar dos 13 anos de atraso. Também não esqueça que se Temer é ruim ele é herança do PT e foi cansativamente, em diversas ocasiões, louvado por Dilma. Por findo, apesar de saber que atacar pessoas quando lhes falta argumentos é típico dos dito socialistas, não perca seu tempo atacando-me pois é a única e última vez que lhe respondo e o faço com uma sugestão: ataque minhas idéias que assim a senhora estará contribuindo para um Brasil melhor. Ah! Além de brasileiro como já lhe disse, sou também Tapajoara e AZULINO, com muito orgulho. Passe bem. .

  • Aplaudi e muito a saída da Incompetente e despreparada da Dilma!
    ´Vamos lá:
    1)- 14 anos,de desmando e profunda Corrupção como todos sabem, do Governo PT.
    2)-12 milhões de desempregados/ deixado pelo partido dos Traidores , ou PT., ou vão colocar na conta do TEMER?
    3)- PIB= 2014 (-3,8) 2015(-3,6) 2016 (-3,6) tudo NEGATIVO Governo “”ÓTIMO””” da Dilma.
    4)-Inflação: Dilma deixou uma inflação em 2016 , em torno de 8,25%.
    5)-Juros a dilma deixou em torno de 14,25%

    Agora vão ter que Tremer goste ou não goste do TEMER TEMER … são Números
    1)- PIB 2017 – do Temer 1,21%……P O S IT IV O….. é ……..
    2)-Inflação/2017.. do Temer ….. é 2,95% …..Com. DIMLA era 8,25% , Temer baixou pra 2,95%…vai reduzir mais.
    3)-Juros da Dilma 2016—em torno de 14,25…… O grande TEMER reduziu para 6,75%/2017… e vai reduzir mais……..
    É só uma demonstração de governo, de atitude , capacidade, gestão, agora acho difícil os esquerdopata, entenderam até por que a maioria sofre de falência intelectual.

    PT…PT…PT….( Partido do Traidor) Estiveram 14 anos no Governo e não fizeram nada….nada,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *