Uma reflexão muito além da Perfuga, por Larissa Miléo, Uma reflexão muito além da Perfuga, Perfuga - prisão

Policial conduz uma das presas na operação Perfuga, deflagrada em 2017

por Larissa Miléo (*)

Jornais veiculam todos os dias as falcatruas e desonestidades no setor público; falam de fraudes, peculato, associação criminosa e tantos outros tipos de corrupção que já não nos chocam. Na verdade, costumamos esperar por eles.

Mas não deveríamos. Normalmente imaginamos que esses fatos acontecem apenas nos grandes centros, bem longe da nossa pequena cidade. E é aí que mora o engano: mau-caratismo não é exclusividade das capitais.

Até mesmo alguns de nossos representantes, na hora de venderem suas imagens, oferecem mundos e fundos e, depois de eleitos, apenas sentam-se confortavelmente em suas salas, engordam seus bolsos e esquecem que trabalham para a coletividade, fazendo uso do funcionalismo público.

Essa é uma das razões pela qual temos visto uma cidade com obras inacabadas, projetos que não saem do papel e insatisfação popular. No entanto, não é tempo de desacreditar na força política.

Parlamentares honestos valem muito e representam a força dos interesses da população. É por causa da verdadeira dedicação destes que a cidade não experimenta o caos generalizado.

O pavor atual do grande poderio, na figura dos políticos, são as operações que visam assegurar a regularidade de suas devidas funções

Depois que elas são deflagradas pelo Ministério Público, não obstante vê-se a libertinagem e podridão dos bastidores das casas políticas vindo à tona; desvio de verbas, favorecimento de terceiros e superfaturamento costumam ser os carros-chefes.

A cada novo escândalo, a integridade dos órgãos brasileiros é levada ao descrédito. Afinal, os subordinados da administração pública deveriam ser exemplo de conduta por serem responsáveis por resguardar o interesse comum.

Portanto, é importante observar que a falta de retidão pode estar em um amigo, em um familiar, e até em nós mesmos.

A prática do desvio de conduta vai continuar se não formos capazes de colocar um freio e genuinamente pararmos de passar a mão na cabeça de quem age ilegalmente.

Não podemos mais ser coniventes com a falta de ética, ainda mais em um contexto tão próximo a nós.

É exercício que deve ser diário, pois vive-se a comodidade da era dos “contatos”, usados para conseguir consultas médicas, prioridade em filas e outros favores pessoais.

Temos que parar de nos aproveitar do cargo das pessoas para conseguirmos ter acesso ao que nos é devido de fato e de direito. A ocasião, definitivamente, não pode fazer o ladrão.

– – – – – – – – – – – – – –

* É analista de Mídias Sociais e sócia-diretora na agência Zero Nove 3.

Leia também:
Um Rio de lágrimas, por Helvecio Santos

  • 2
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

11 Comentários em: Uma reflexão muito além da Perfuga, por Larissa Miléo

  • Analista de mídias sociais?! Mais uma cargo ou função para fugir das estatísticas do desemprego? Meu Deus. O texto é repleto de censo comum , para não dizer que chove no molhado, as apresentação dad obviedades a respeito dos desvios de condutas , falta de ética e da moralidade não apontam para uma solução a respeito do tema, não dá nome as aves de rapina que tomam de assalto aos cofres públicos, ou seja, não apresenta nada de novo. As inúmeras situações vexatória que a classe política tem protagonizado em rede nacional, e aqui em solo santareno, requer muitos do que a constatação do que é o politicamente correto a ser fazer, é imperativo uma atitude muito além.

    • Trata-se de uma REFLEXÃO sobre o cenário atual da política brasileira caro amigo, e não de uma redação de enem.
      Achei ótimo o texto, consegue ser contundente e sutil ao mesmo tempo.
      Parabéns a escritora por apresentar um texto que leva, tanto os que já conhecem do assunto quanto os “inexperientes” no tema, a instigar seu lado crítico.

    • Você pede uma solução, mas infelizmente não há fórmulas mágicas para superar a crise política. Eu particularmente creio que a saída é criar uma nova cultura política de superação desta atual. Neste cenário, qualquer crítica ao toma-lá-dá-cá, e a esse jogo de influências é bem vinda.
      Quanto a dar nome aos bois é tarefa do MP, da PF e da imprensa, se não você se torna mais um justiceiro querendo procurar chifre na cabeça de cavalo.

    • Se você tivesse um analista de mídia trabalhando para você saberia que Senso comum se escreve com s, por exemplo. Claro que sei que você apenas fez um comentário despretensioso em cima de uma publicação que você não valoriza, mas digamos que você tivesse interesse realmente de potencializar o alcance de sua opinião, uma ajuda profissional de uma carreira em acensão iria bem.

  • AHNNNN????? analista de midia social falando sobre perfuga… PUTZ>>>>> essa tá longe mesmo de ser a profissional que está relatada aí….. CAdê os analistas politicos para tal… perfuga é um presente para a população… parabéns aos MP que está se esforçando para n acabar em pizza isso… quanto mais longo for esses julgamentos melhor para os acusados…

    • Uma analista de mídia social faz justamente a analise de assuntos relevantes na atualidade. Além do mais, até onde procurei pesquisar sobre a moça, é acadêmica do curso de direito. Antes de tecer comentário venenoso poderia se informar um pouco mais. Parabéns pela analise, jovem.

  • Texto inteligente e feito com bastante equilíbrio. Gostei.

  • Excelente texto!

    E sendo analista de mídias sociais, fica mais interessante sua visão, mostrando sua preocupação com o cenário político e social.

    Concordo com a autora que a solução deve ser dada por nós.

    Parabéns, Excelência!

  • VERDADEIRAS QUADRILHAS DE PARTIDOS POLÍTICOS SE INSTALARAM PARA COMETEREM CRIMES DE CORRUPÇÃO ATIVA, LAVAGEM DE DINHEIRO, EM SANTARÉM BASTA VERIFICAR INÚMEROS PRÉDIOS ABANDONADOS, ROUBARAM O DINHEIRO E A SUCATA ESTÁ AÍ AO RELENTO, COMO O HOSPITAL INFANTIL. A PRÁTICA VEM SE ALASTRANDO HÁ CINQUENTA ANOS, POLÍTICOS SAFADOS, ROUBANDO DINHEIRO PÚBLICO, DIZEM QUE NO BRASIL, NÃO EXISTE PENA DE MORTE, EXISTE SIM, MUITOS BRASILEIROS MORRENDO NOS HOSPITAIS PÚBLICOS, VÍTIMAS DE UMA CORRUPÇÃO DESENFREADA, ÉPOCA DAS ELEIÇÕES, OS MESMOS LADRÕES DO DINHEIRO PÚBLICO, DISFARÇADOS DE ANJINHOS DE CANDURA, PORQUE NÃO QUEREM PERDER O PODER, POLÍTICO CORRUPTO NÃO ESTÁ INTERESSADO EM DINHEIRO, MAIS QUER SEMPRE TER PODER PARA EXPLORAR O TRABALHADOR, QUANTO MAIS O BRASILEIRO ANALFABETO, MAIS FÁCIL PARA SER MANIPULADO.

  • Não me espanto com comentários maldosos e desprendidos do mínimo de conhecimento. Somos bombardeados diariamente com notícias falsas, as “fake news”, aí fica fácil distorcer o deveria ser reconhecido e lembrado como análise e não “sentença”. Fico triste, porém, ao ver que preferimos aderir pensamentos de hostilidade ao invés de tolerância e conhecimento. Eis que Arnold Toynbee já dizia: “O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam”. Agradeço a autora pela possibilidade de percepção desse assunto pouco discutido em nossa cidade, desprendido de interesse econômico ou político. Assim fica evidente que o olhar para a realidade não precisa ter um partido político em evidência ou um benefício recebido “de bom grado”, basta ter decência e compromisso com a verdade. Afinal, honestidade é e sempre será um valor atemporal. E para aqueles que procuravam respostas milagrosas: ACORDEM ALICES! (Com todo respeito)
    A realidade não vive no plano das ideias. Se querem honestidade no poder, sejam honestos e mudem o que detestam.

    Parabéns Larissa!

  • Super interessante o texto! Aguardo pela continuidade! Espero que venha falando sobre a corrupção que assolou a todos! Pois se queimássemos todos os políticos hoje e colocássemos novos, qual tipo de brasileiro iria assumir? Adivinhem? Uma nação desonesta não tem o que se queixar de quem a representa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *