Blog do Jeso

Artigos

Sem a saída de Temer não teremos paz e estabilidade política mínima

Michel temerMichel Temer e seu aliado Rodrigo Maia

 

por Airton Faleiro (*)

 
A permanência de Temer na Presidência da República não ajuda em nada, nem seus aliados.

Sua demora só se “justifica” por duas razões:

1 – Sua defesa jurídica nos processo judicial que vai responder. Se renuncia, por exemplo, se torna réu confesso.

2 – Precisa dar tempo para seus aliados repactuarem entre si a permanência no poder sem ele na presidência. Assim que isso estiver resolvido, ele será descartado, talvez de uma forma mais leve, já que o mesmo cumpriu um papel preponderante para eles, até então.

No entanto, sua permanência atrapalha muito em aspectos mais relevantes.

Vejamos:

Ler mais

  • 1
  •  
  • 1
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    3
    Shares

Cai Temer e Aécio e o consórcio do golpe de mantém no poder

TemerTemer afirma que não vai renunciar e afunda o país ainda mais na crise

 

por Airton Faleiro (*)

 
Não acredito que Temer se segure na Presidência da República. Ele saindo (de uma forma ou de outra), teremos uma nova eleição para presidente do Brasil.

De forma resumida, só vejo dois cenários que se avizinham:

1 – Uma PEC estabelecendo eleições diretas, quando o povo escolhe o novo presidente;

2 – Com a saída do Temer, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, assume a Presidência da República e convoca eleição indiretas em 30 dias;

Na minha opinião, tudo caminha para o segundo cenário, ou seja: eleições indiretas, sem o voto popular.

Ao analisarmos a conjuntura política, devemos deixar de lado o que desejamos e ver, sem paixões, o que é mais provável acontecer (isso não impede que lutemos pelo que acreditamos ser melhor para o país, nos posicionando contra o que poderá vir acontecer).

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Decreto do nepotismo entra em contagem regressiva: Flora resistirá?

Em artigo, Jeso Carneiro lembra que em 30 dias entra em vigor o efeito mais letal do decreto, a exoneração

Decreto do nepotismo entra em contagem regressiva: Flora resistirá?, Erasmo e Flora Costa MaiaErasmo Maia e sua esposa Flora Costa

 
por Jeso Carneiro (*)

 
Amanhã, 22, começa a contagem regressiva de 30 dias para que todos os casos de nepotismo sejam banidos do governo Nélio Aguiar, de Santarém.

Pelo menos é o que dispõe o decreto nº 454/2017, assinado pelo prefeito há 60 dias, com base na súmula vinculante 13.

O caso mais emblemático de nepotismo no município – e cujo desfecho é o mais aguardado – é o patrocinado pelo chefe de Gabinete do Prefeito, Erasmo Maia (DEM), que numa só tacada arranjou cargos em comissão para esposa e filha.

Para Flora Costa, a digníssima, Erasmo deu-lhe a Coordenação de Educação Infantil, na Semed (Secretaria Municipal de Educação), com salário de R$ 4.316,80.

Concursada, Flora Costa viu seu salário pular de quase R$ 5 mil, em dezembro de 2016, para R$ 8.860,80, desde janeiro deste ano, início do atual governo.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Elegia para Dica Frazão

por Vicente José Malheiros da Fonseca (*)

 

Elegia para Dica Frazão

Vicente Fonseca

Raimunda Rodrigues Frazão, mais conhecida como Dica Frazão, nasceu em Capanema, Estado do Pará, em 20 de setembro de 1920.

Com 22 anos de idade, já casada, mudou-se para Santarém (PA), onde faleceu em 19 de maio de 2017, com 96 anos.

Filha mais velha de um agricultor e de uma dona-de-casa, D. Dica estudou até a 4ª série do curso primário e ficou órfã de mãe aos 12 anos de idade.

Dois anos depois, seu pai saiu de casa dizendo que voltaria em três dias e sumiu. Dica assumiu a criação dos sete irmãos mais novos.

Chefe de família, ainda adolescente, trabalhava na roça e, à noite, costurava. Reencontrou o pai (Manoel Franklin), após 39 anos, doente, num garimpo distante e cuidou dele depois de criar os seus irmãos mais jovens e filhos.

Em Santarém, a fama da modista se consolidou.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Filho deve seguir os passos do pai rumo à inelegibilidade política

Em Rurópolis, pai e filho, ambos ex-prefeitos, devem ter o mesmo destino político, a inelegibilidade

Filho deve seguir os passos do pai rumo à inelegibilidade política, Pablo e João Paulo GenuínoZé Paulo e Pablo Genuíno, devem rumar abraçados a inelegibilidade política

 

por Jeso Carneiro (*)

O tucano esnoba.

Até hoje, passados 134 dias desde que deixou o cargo de prefeito de Rurópolis, Pablo Genuíno ainda não protocolou no TCM (Tribunal de Contas dos Municípios) as prestações de contas relativa aos exercícios financeiros de 2015 e 2016.

Leia também
Nepotismo top em Itaituba: coordenador do Procon é sobrinho do vice-prefeito

Consulta recente feita pela Câmara de Vereadores de Rurópolis junto ao TCM constatou a pendência. No Ler Mais, abaixo, veja cópia do documento.

Pablo dirigiu o município de 2013 a 2016.

Tentou a reeleição, mas as urnas o rechaçaram com quase 68% dos votos dados para oposição.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Minha mãe

por Helvecio Santos

Minha mãeNão era alta, como a via quando criança. Nos meus últimos tempos em Santarém precisava abaixar para beijá-la na testa.

Aparência frágil, não pesava mais que cinquenta quilos. Cabelos pretos delicadamente anelados, um olhar observador e profundo, desses que não precisam de palavras como leito e sozinhos mandam mensagens.

Leia também do autor
Rodrigo e Rogério

A robustez manifestava-se no seu caráter, na honestidade inegociável, no irrepreensível respeito a todos e no imaculado sacerdócio de esposa e mãe.

Gostava de roupas simples, o que vinha ao encontro da nossa situação naquela época. Normalmente vestidos feitos por minha irmã Neusa, Manona para mim, todos de algodão com pequenas estampas florais.

Nunca usou sapato de salto alto e até acredito que não sabia caminhar com eles e também nunca a vi de sandálias havaianas. Gostava mesmo era de chinelos de couro, tipo franciscano, macios, bem ao modo da delicadeza que seus pés exigiam.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Jonildo ‘Bichinho’ vira máquina de ganhar licitações em Óbidos

Jonildo 'Bichinho' vira máquina de ganhar licitações em Óbidos, Chico Alfaia, prefeito de ÓbidosPrefeito Chico Alfaia, cuja gestão Bichinho pinta e borda

 

por Jeso Carneiro (*)

 
O empresário Jonildo Teixeira, o Bichinho, virou uma máquina de ganhar licitações em Óbidos sob a gestão do prefeito Chico Alfaia (PR) e do seu vice Isomar Barros (PCdoB).

Ele é multiramo – atua em pelo menos 40 setores empresariais diferentes.

Leia também do autor
Prefeito e vice de Óbidos e a novela mexicana do transporte escolar

De terraplenagem a transporte escolar, passando por comércio de bebida, de perfumes a serviço de coleta de lixo hospital.

Coincidência ou não, tem derrotado oponentes graúdos em certames sob a responsabilidade do atual governo.

Ontem, 9, ele ganhou fácil fácil – pois não teve concorrentes – a licitação para ‘contratar empresa especializada na execução de serviços de coleta, transporte e descarte de lixo e resíduos de serviços de saúde, produzidos pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade, e pelo Hospital Municipal José Benito Priante (24 horas)’.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Rodrigo e Rogério

rodrigo caioJô reclama ao árbitro Luís Flávio Oliveira o cartão amarelo recebido

 

por Helvecio Santos

Parece nome de dupla sertaneja, mas não é e também está longe de serem irmãos gêmeos.

Eles são protagonistas de uma cena rara no futebol e aconteceu há cerca de quinze dias na primeira semifinal do campeonato paulista entre São Paulo e Corinthians e, para o que vou argumentar, pouco importa o resultado da partida.

Leia também do autor – Quem matou Maria Eduarda?

Ainda no primeiro tempo, numa bola dividida entre o goleiro do São Paulo e o atacante Jô do Corinthians, envolvendo também o zagueiro tricolor, Rodrigo Caio, agarrado à bola, o goleiro rolou no gramado contorcendo-se em dores, vítima de um pisão que levara na batata da perna.

Imediatamente o árbitro pune o atacante com cartão amarelo, o que o deixaria de fora da segunda semifinal.

O atacante argumenta, argumenta, mas de nada adiantou.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cinzas de palhaço ecologista morto em dezembro serão jogadas no Tapajós

Cinzas de palhaço ecologista morto em dezembro serão jogadas no Tapajós, Magnólio, palhaço ecologista morto em 2016Magnólio morreu em dezembro de 2016

 

por Fábio Pena (*)

Familiares, amigos e admiradores do artista, advogado e educador social Paulo Roberto Sposito de Oliveira, mais conhecido como palhaço Magnólio e que faleceu em dezembro de 2016, se reúnem no sábado, 15, em Santarém para uma homenagem especial.

No encontro das águas dos rios em que ele sempre navegou, levando educação, saúde e alegria para as comunidades e movimentos sociais, serão jogadas parte de suas cinzas, num até logo que pessoas queridas preparam para o iluminado mestre da alegria que ele sempre foi.

Veja abaixo a programação.

Paulo Roberto de Oliveira, nascido em São Paulo, se formou advogado, assistente social, professor de educação física e mestre em educação ambiental.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quem matou Maria Eduarda?

por Helvecio Santos

Quem matou Maria Eduarda?No final de março, em uma operação da Polícia Militar na Fazenda Botafogo, bairro Costa Barros, Zona Norte do Rio de Janeiro, Maria Eduarda, 13 anos, aluna de uma escola pública que fazia aula de educação física na quadra da escola, foi vitimada por três projéteis de arma de fogo, vindo a óbito no local.

Leia também do autor – Em tempos de machão

Imediatamente a “comunidade”, eufemismo criado pelos “socialistas” para designar favela, como se a mudança de nome mudasse a condição de penúria, fez protestos, bloqueou ruas, queimou pneus e acusou a Polícia Militar pela autoria dos disparos.

É bom lembrar que o Brasil, e talvez muito mais o Rio de Janeiro, de há muito vive uma guerra civil não reconhecida pelas autoridades, mas as estatísticas de vítimas por armas de fogo, crescente a cada ano, não deixam dúvidas.

Para o leitor que não conhece a realidade da “Cidade Maravilhosa” (?) ter uma ideia, em 2005 eu advogava para uma empresa de factoring, e precisei visitar um cliente na Fazenda Botafogo.

Ler mais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Videos
Canal direto
Canal Diteto
Prestação de Contas
Twitter


Colunistas
Sites e blogs
Publicidade