As 10 cidades onde mais se vive no Pará

Novo Progresso

Novo Progresso (foto), às margens da BR-163 (Santarém-Cuiabá) lidera o ranking das 10 cidades com melhor indicador de esperança de vida ao nascer no Pará.

Os dados são de 2012, os mais recentes e estão compilados no Atlas de Desenvolvimento Humano do Brasil 2013, do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento).

A média nacional desse indicador é 74,08 anos.

Abaixo, as 10 melhores cidades paraenses nesse ranking.

1º) Novo Progresso – 74,66

2º) Belém – 74,33

3º) Ananindeua – 74,24

4º) Tucunã – 73,76

5º) Altamira – 73,64

6º) Parauapebas – 73,55

Almeirim – 73,55

Brasil Novo – 73,55

Curionópolis – 73,55

10º) Santarém – 73,44

Santa Luzia do Pará, na rabeira desse ranking, esse indicador é de 68,41 anos.

Fonte: PNUD

PMs irão fazer curso de equoterapia em Brasília

Três PMs lotados em Santarém irão participar de um curso de equitação para equoterapia a ser realizado em Brasília (DF), no final deste mês.

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo, dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, como vetor do desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência ou com necessidades especiais.

O curso será ministro pela Associação Nacional de Equoterapia.

Os sargentos Amilton Santos e Hudson Pereira, além do subtenente Ivanor Siqueira já estão de bilhete aéreo reservado.

Começaram as obras da reforma do hospital de Mojuí

Jailson Alves: contrapartida do município

Iniciadas as obras de ampliação e reforma do hospital municipal de Mojuí dos Campos, com conclusão prevista para junho do próximo ano.

O hospital foi construído há 11 anos, na gestão do governador Almir Gabriel, mas nunca funcionou, ainda que tenha sido entregue à Prefeitura de Santarém todo equipado.

Leia também:
Licitação de R$ 2 milhões para vicinais em Mojuí.

A ampliação e reforma estão orçadas em cerca de R$ 1,8 milhão.

90% dos recursos são do governo estadual. O restante é contrapartida do município, segundo informou ao blog o prefeito de Mojuí, Jailson Alves (PSDB).

A empresa responsável pelo serviço é ACA (Amazônia Construções e Avaliações).

O hospital, de pequeno porte, terá 20 leitos.

“Com ele em pleno funcionamento, vamos desafogar o encaminhamento de nossos pacientes para os hospitais de Santarém e Belterra. Daí a sua importância”, frisou o prefeito.

Ele lembra que o Governo do Pará deve, por cerca de dois anos, ficar responsável pela gestão do hospital, para depois repassá-lo ao município.

Secretária já recebeu R$ 74 mil em salário ilegal

Livia CorrêaContinua na faixa dos dois dígitos o salário da secretária adjunta da pasta municipal de Saúde (Semsa) de Santarém, médica Lívia Corrêa e Castro (foto).

No mês de maio, ela recebeu R$ 13.670,16.

O prefeito Alexandre Von paga aos secretários adjuntos R$ 8 mil (bruto).

Como ocupante de cargo de confiança, Lívia Correa está impedida de exercer qualquer outra atividade, conforme estabelece o artigo 28, da lei 8.080/1990, que rege o SUS (Sistema Único de Saúde).

Blog do Jeso | Alexandre Von

Alexandre Von: cúmplice da ilegalidade

Só neste ano, a número 2 da Semsa já recebeu da prefeitura 114 mil reais (bruto) – contabilizados até maio. São cerca de 74 mil embolsados ilegalmente em 2014.

No ano passado, a prefeitura pagou 171 mil reais a mais à médica.

A média salarial da adjunta neste ano é de R$ 22,8 mil, maior que a média de 2013, que foi de R$ 22,2 mil.

O salário dela, segundo explicou ao blog, é turbinado com plantões que faz na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do HMS.

A nº 1 da pasta, Valdenira Cunha, também exerce atividade ilegal. Trabalha no HRBA (Hospital Regional do Baixo Amazonas) e na Unimed.

Sobre esse caso, leia também:
Salário da nº 2 da Saúde volta a subir.
Caos na Saúde é culpa de “prefeitos da região”.
DEM silencia sobre trabalho ilegal de médicas.
PSC que saber se secretária trabalha no HRBA.
Secretária tem vínculo de 16h com o Regional.
Leitor critica secretária por emprego no HRBA.
Secretária municipal trabalha no Regional.

Plano de saúde e idosos: campanha da ANS

Coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, hoje (20):

Anúncios que a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) começa a veicular amanhã orientam clientes a se informar ao contratar um plano de saúde e a denunciar operadoras que recusam idosos.

A campanha, primeira em dois anos com verba própria, custa R$ 3,7 milhões.

Leia também:
Carreira de promotor como exemplo para os médicos.

Carreira de promotor como exemplo para os médicos

Do médico Telmo Moreira Alves (foto), sobre o post MP do Pará abre concurso para 50 promotores:

Blog do Jeso - Telmo MoreiraÉ muito importante saber que uma categoria profissional de grande importância e relevância na sociedade é remunerada dignamente e possui um plano de carreira que lhe oferece segurança para o resto da vida.

Em função disso, dificilmente vamos ter resistência dos bacharéis de direito ao serem nomeados para qualquer município do estado.

Por outro lado, causa tristeza saber que, por exemplo, a categoria médica não é tratada da mesma forma.

Eu trabalhei durante 30 anos no ex-INAMPS e depois Ministério da Saúde, a minha aposentadoria não chega a R$ 4.000,00. Plano de cargo e carreira nem pensar.

Se fosse diferente, dificilmente teríamos dificuldade de radicar médicos em qualquer rincão do Brasil. Também me causa muita tristeza ouvir de algumas pessoas, sem nenhuma análise ou reflexão das circunstâncias, dizer que o médico não quer trabalhar no interior, ou repetir a ladainha que o médico no Brasil é muito bem remunerado.

Justiça seleciona projeto antidrogas de Itaituba

Ejercicio Fotográfico: Bodegón de Droga

Itaituba teve proposta de financiamento aprovada no edital “Viva Jovem”, promovido pela Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas), vinculada ao Ministério da Justiça.

O edital selecionou em todo o país projetos de promoção da saúde e prevenção do abuso de drogas e da violência nos municípios.

No Pará, só Itaituba consta na lista dos selecionados.

O município capitaneado pela prefeita Eliene Nunes (PSD) vai receber R$ 100 mil do Ministério da Justiça para implementar o seu projeto.

Leia também:
Sai 4 licenças do IPHAN para portos em Miritituba.

R$ 90 mil para os médicos anestesistas

Logo médico - medicina - Blog do JesoO prefeito de Santarém, Alexandre Von (PSDB), fechou contrato de um ano com a Coopanest (Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas)/Pará para prestação de serviços de anestesiologia no HMS (Hospital Municipal de Santarém).

Vai pagar pelo serviço, a cada mês e até maio de 2015, R$ 90 mil.

Com sede em Belém, a Coopanest tem 25 anos de mercado e é presidida por Luís Paulo Mesquita.

Leia também:
Inexigibilidade favorece empresa de Belém.

Inexigibilidade favorece empresa de Belém

Alexandre VonO prefeito de Santarém, Alexandre Von (PSDBfoto), apelou outra vez para o instituto da inexigibilidade para contratar sem licitação uma empresa de Belém.

Trata-se da DPJ Arquitetura e Engenharia.

Ela foi contratada para fazer a elaboração do plano diretor físico do hospital materno infantil, orçado em R$ 23 milhões – recursos federais e contrapartida do município,

Pelo serviço, a DPJ vai embolsar cerca de R$ 15 mil.

Leia também:
Caixa oferece 6 milhões pela folha de pagamento.

Saúde certifica HRBA como “Hospital de Ensino”

O Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarem. Foto: Thiago Araújo/AG. PAHRBA, com sede em Santarém. Apenas 200 no país com a certificação. Foto: Thiago Araújo/AG. PA

O Ministério da Saúde oficializou hoje (2) a certificação do HBRA (Hospital Regional do Baixo Amazonas), com sede em Santarém, como “hospital de ensino”.

É o primeiro do interior do Pará a receber esse “selo”.

No Brasil, existem apenas 200 hospitais – de tum total de 7 mil serviços de saúde – com essa certificação, com validade de 2 anos, a contar desta segunda-feira.

O HRBA tem apenas 8 anos de existência. Foi projetado e inaugurado em 2006, ao final do primeiro mandato do governador Simão Jatene (PSDB).

Página 2 de 9412345...Última »
css.php