Plano de saúde e idosos: campanha da ANS

Coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, hoje (20):

Anúncios que a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) começa a veicular amanhã orientam clientes a se informar ao contratar um plano de saúde e a denunciar operadoras que recusam idosos.

A campanha, primeira em dois anos com verba própria, custa R$ 3,7 milhões.

Leia também:
Carreira de promotor como exemplo para os médicos.

Carreira de promotor como exemplo para os médicos

Do médico Telmo Moreira Alves (foto), sobre o post MP do Pará abre concurso para 50 promotores:

Blog do Jeso - Telmo MoreiraÉ muito importante saber que uma categoria profissional de grande importância e relevância na sociedade é remunerada dignamente e possui um plano de carreira que lhe oferece segurança para o resto da vida.

Em função disso, dificilmente vamos ter resistência dos bacharéis de direito ao serem nomeados para qualquer município do estado.

Por outro lado, causa tristeza saber que, por exemplo, a categoria médica não é tratada da mesma forma.

Eu trabalhei durante 30 anos no ex-INAMPS e depois Ministério da Saúde, a minha aposentadoria não chega a R$ 4.000,00. Plano de cargo e carreira nem pensar.

Se fosse diferente, dificilmente teríamos dificuldade de radicar médicos em qualquer rincão do Brasil. Também me causa muita tristeza ouvir de algumas pessoas, sem nenhuma análise ou reflexão das circunstâncias, dizer que o médico não quer trabalhar no interior, ou repetir a ladainha que o médico no Brasil é muito bem remunerado.

Justiça seleciona projeto antidrogas de Itaituba

Ejercicio Fotográfico: Bodegón de Droga

Itaituba teve proposta de financiamento aprovada no edital “Viva Jovem”, promovido pela Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas), vinculada ao Ministério da Justiça.

O edital selecionou em todo o país projetos de promoção da saúde e prevenção do abuso de drogas e da violência nos municípios.

No Pará, só Itaituba consta na lista dos selecionados.

O município capitaneado pela prefeita Eliene Nunes (PSD) vai receber R$ 100 mil do Ministério da Justiça para implementar o seu projeto.

Leia também:
Sai 4 licenças do IPHAN para portos em Miritituba.

R$ 90 mil para os médicos anestesistas

Logo médico - medicina - Blog do JesoO prefeito de Santarém, Alexandre Von (PSDB), fechou contrato de um ano com a Coopanest (Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas)/Pará para prestação de serviços de anestesiologia no HMS (Hospital Municipal de Santarém).

Vai pagar pelo serviço, a cada mês e até maio de 2015, R$ 90 mil.

Com sede em Belém, a Coopanest tem 25 anos de mercado e é presidida por Luís Paulo Mesquita.

Leia também:
Inexigibilidade favorece empresa de Belém.

Inexigibilidade favorece empresa de Belém

Alexandre VonO prefeito de Santarém, Alexandre Von (PSDBfoto), apelou outra vez para o instituto da inexigibilidade para contratar sem licitação uma empresa de Belém.

Trata-se da DPJ Arquitetura e Engenharia.

Ela foi contratada para fazer a elaboração do plano diretor físico do hospital materno infantil, orçado em R$ 23 milhões – recursos federais e contrapartida do município,

Pelo serviço, a DPJ vai embolsar cerca de R$ 15 mil.

Leia também:
Caixa oferece 6 milhões pela folha de pagamento.

Saúde certifica HRBA como “Hospital de Ensino”

O Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarem. Foto: Thiago Araújo/AG. PAHRBA, com sede em Santarém. Apenas 200 no país com a certificação. Foto: Thiago Araújo/AG. PA

O Ministério da Saúde oficializou hoje (2) a certificação do HBRA (Hospital Regional do Baixo Amazonas), com sede em Santarém, como “hospital de ensino”.

É o primeiro do interior do Pará a receber esse “selo”.

No Brasil, existem apenas 200 hospitais – de tum total de 7 mil serviços de saúde – com essa certificação, com validade de 2 anos, a contar desta segunda-feira.

O HRBA tem apenas 8 anos de existência. Foi projetado e inaugurado em 2006, ao final do primeiro mandato do governador Simão Jatene (PSDB).

Decreto veta qualquer propaganda de cigarro

Agência Brasil

Dois anos e meio depois de a Lei Antifumo ser publicada, a presidenta Dilma Rousseff assinou hoje (31), no Dia Mundial sem Tabaco, o decreto que regulamenta a norma e proíbe o fumo em locais fechados e de uso coletivo, extingue os chamados fumódromos, veta qualquer propaganda de cigarro no país e amplia o tamanho dos alertas nas embalagens do produto.

Leia também:
Projeto prevê multa para cigarro jogado na rua.
Homem Malboro morre por causa do cigarro.

A regra, que será publicada no Diário Oficial da União na próxima segunda-feira (2), entra em vigor em dezembro.

Cigarros

De acordo com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, a regulamentação visa a desestimular ainda mais o tabagismo e proteger as pessoas que não fazem uso do cigarro.

Pela regulamentação, será proibido o consumo de cigarro, cigarrilhas, charutos, cachimbos e outros produtos considerados fumígenos, como os narguilés, em locais públicos de uso coletivo, total ou parcialmente fechado, incluindo áreas com toldos, divisórias, além de espaços que tenham teto e parede em qualquer um dos lados.

Leia mais em Governo proíbe fumo em locais fechados e veta qualquer propaganda de cigarros.

Dengue continua em queda no Pará

Agência Pará

Dengue - Blog do JesoA Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública) divulgou nesta terça-feira, 27, o quinto informe epidemiológico sobre a situação da dengue no Pará em 2014.

Os casos suspeitos de dengue levantados até o dia 26 de maio deste ano somam 4.962, dos quais 1.490 confirmados – sendo 1.485 de dengue clássica, três de dengue com complicações e dois de febre hemorrágica da dengue.

Leia também:
Pará recebe em Paris certificado de livre da aftosa.

Os cinco municípios com maior número de casos suspeitos – ou notificados – são Parauapebas (601), Belém (352), Senador José Porfírio (267), Oriximiná (250) e Anapu (235).

A maioria dos casos confirmados está em Parauapebas (334), Senador José Porfírio (170), Oriximiná (165), Pacajá (161) e São Félix do Xingu (128).

O relatório indica, ainda, que a dengue vem diminuindo em todo o Estado, já que no mesmo período do ano passado o número de casos confirmados foi de 6.901 e o de mortes causadas pela doença chegou a quatro. Por outro lado, em 2014 ainda não houve registro de óbitos por dengue no estado.

Leia mais em Casos de dengue continuam em queda no Pará.

Pará recebe em Paris certificado de livre da aftosa

O reconhecimento de livre de aftosa foi entregue em Paris. Foto: Arquivo/AG. PA

Agência Pará

O Pará recebeu ontem (26) o reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área 100% livre da febre aftosa.

Além do Pará, outros sete estados (Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí, Ceará, Paraíba e Maranhão) integram a comitiva brasileira convidada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Governo Federal, para participar da 82ª Assembléia Geral da OIE, quando foi oficializado o reconhecimento, em cerimônia a ocorrer em Paris, na França, sede da organização.

Leia também:
O que será do Pará em 20 anos?.

A comitiva do Pará é formada pelo governador Simão Jatene, o secretário de Estado de Agricultura, Andrei Gustavo Castro, o diretor geral Agência de Defesa Agropecuária (Adepará), Sálvio Freire, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), Carlos Xavier, o presidente da União Nacional da Indústria e Empresas de Carne (Uniec), Francisco Victer, e o presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Carne, Gil Reis.

No evento também estão presentes representantes de 178 países, que juntos discutem assuntos de interesse mundial, a exemplo da adoção de resoluções acerca das principais doenças animais, principalmente as de maior impacto para o ser humano e para a economia mundial.

Leia mais em Pará recebe em Paris certificado internacional de livre de febre aftosa.

Ministério da Saúde penaliza 16 cidades do Pará

Jailson Alves16 municípios do Pará, entre os quais Mojuí dos Campos, no oeste paraense, acabam de ser penalizados pelo Ministério da Saúde com a suspensão da transferência de recursos financeiros para a vigilância sanitária.

No Leia Mais, abaixo, veja a lista dos 16.

A penalidade deve-se ao fato dos municípios não terem incluído o serviço de vigilância sanitária no SCNES (Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde).

E mais: não alimentaram regularmente o SIA/SUS (Sistema de Informação Ambulatorial).

Caçula dos municípios do Pará, Mojuí dos Campos tem como prefeito Jailson Alves (PSDB – foto).

As verbas suspensas para os 16 municípios serão referentes aos meses de maio e agosto deste ano.

Leia também:
1924, a saúde em Santarém.

(mais…)

Página 2 de 9412345...Última »
css.php