Suposta dívida de quase R$ 800 mil é que move oposição ao prefeito de Alenquer
Neto Macedo, Josino e Betão: contra Juraci

Cerca de 800 mil reais devidos a um empresário e político pelo Município é um dos panos de fundo de todas tentativas — até agora fracassadas — de afastar em definitivo o prefeito de Alenquer (PA), Juraci Estevam (PSB), do cargo.

A cobrança da dívida por supostos serviços prestados pela empresa MB de Macedo Neto Comércio e Serviços tramita na Justiça desde o início de 2017. O impasse perdura porque Juraci não reconhece a dívida, e é encarado por isso como grande obstáculo ao fim do litígio.

 

Mario Batista de Macedo Neto, 33 anos, o Neto Macedo, é o credor e apontado como o braço empresarial visível das manobras para derrubar Juraci. Em 2016, ele disputou a eleição ximanga como candidato pelo DEM a vice-prefeito de Carlos Cambraia (PSC).

A dobradinha, que ficou em 3º lugar na disputa com 4 candidatos, obteve pouco mais de 3 mil votos (14,3%) — contra 12 mil de Juraci, vitorioso com 51,24% dos votos válidos.


R$ 773.428,41

Valor da dívida, por supostos serviços prestados para PMA, que Neto Macedo cobra do Município na Justiça, através do processo número 0000247-15.2017.8.14.0003


Aliança

Para destituí-lo do cargo, Neto Macedo aliou-se ao vice-prefeito Josino Filho (PP), o líder político do golpe, e que sucedeu Juraci nas 4 vezes em que o prefeito foi afastado do cargo — duas em 2018 e duas em 2019.

A aliança conta ainda com a participação de vereadores, entre os quais o atual presidente da Câmara, Betão (DEM), e de advogados, entre eles Marjean Monte, processado pelo Ministério Público do Pará em Óbidos por corrupção (improbidade administrativa), em conluio com o prefeito Chico Alfaia (PL).

 

Apesar das 4 tentativas infrutíferas de apear Juraci Estevam do cargo, o grupo não desiste. Já articula novas ações em 2020 contra o prefeito.

Uma delas, inclusive, é lançar ou apoiar candidato — com acerto previamente definido — para evitar a reeleição ”do padre” que se recusa a honrar a suposta dívida de quase R$ 800 mil.

Assim que reassumiu o cargo na semana passada, Juraci desfez todos os atos administrativos do vice-prefeito, como por exemplo as nomeações de pessoas ligadas a Neto Macedo, Josino, Betão e companhia limitada.

Com o controle da máquina pública de novo em suas mãos, o prefeito se arma para novos confrontos com o grupo que ele denomina de “máfia”.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Suposta dívida de quase R$ 800 mil é que move oposição ao prefeito de Alenquer

  • Tem é que para de brigar colocat nossa cidade pra desenvolver porque só cresce mas não desenvolver em nada vc anda em outras cidades tudo mudando Alenquer só no traso que vergonha pra nossa cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *