Arquiteta diz que empresários impediram que mais árvores fossem plantadas na orla, Tamara Saré e a arborização da orla

Tamara, idealizadora da arborização da orla

Da arquiteta e fotógrafa Tamara Saré, sobre o artigo Que venham as árvores, de Helvecio Santos:

Dr. Helvécio, a arborização com 32 árvores que estava prevista para a orla de Santarém no trecho TFT [Terminal Fluvial Turístico]-Praça da Matriz, apesar de fundamental apoio da Prefeitura [de Santarém], através da Secretaria Municipal de Pesca e Agricultura, foi uma iniciativa voluntária de uma cidadã arquiteta que mora na cidade há 19 anos.

Infelizmente, por pressões da iniciativa privada, que advogaram erroneamente em favor do zelo pelo asfalto e do não comprometimento de alguns centímetros de algumas vagas de carro, acabaram forçando que a ação finalizasse apenas com 17 poucas árvores.

Vamos torcer para que haja o entendimento da necessidade de se completar a ação e se privilegiar a qualidade de vida da população.

Essa seria uma ação inicial dentre outras que visavam agir em pontos críticos da cidade, onde com pequenas intervenções se conseguiriam significativos resultados.

Perdi a alegria inicial, mas mesmo assim não perdi a esperança que a sociedade entenda que podemos ser generosos e, acima de tudo, responsáveis pelo bem estar coletivo.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

4 Comentários em: Arquiteta diz que empresários impediram que mais árvores fossem plantadas na orla

  • “Infelizmente, por pressões da iniciativa privada, que advogaram erroneamente em favor do zelo pelo asfalto e do não comprometimento de alguns centímetros de algumas vagas de carro, acabaram forçando que a ação finalizasse apenas com 17 poucas árvores”. Essa advocacia é de uma falta de inteligência comparável à derrubada das mangueiras da São Sebastião. A diferença é que nesta se derrubou o verde e na outra se impediu o plantio do verde. Numa cidade carente de vegetação e onde a dita orla, por se transformar numa fornalha, não é utilizada entre 11 e 16 horas, não é uma pena. É um crime! Santarém é de um potencial turístico único por suas belezas naturais e lutando contra a Terra Mãe, seus filhos deixam essa potencialidade escorrer por suas mãos. Quando sugeri o plantio de árvores, especificamente mangueiras, acompanhando a extensão do cais, sugeri que fossem plantadas em baias avançando sobre a areia. Sugeri também a colocação de postes de luz, a retirada dos barcos e na areia, instalação de traves, postes e mais, para a pratica de esportes. Infelizmente parece que isso não está contemplado nos projetos públicos e nem é o anseio do povo ou dos que guiam o povo. A frente da cidade seria um grande parque público que proporcionaria a aproximação das pessoas, diminuiria as filas nos hospitais e a violência, entre outas vantagens. O povo teria diversão barata e acessível, o que hoje não existe. Infelizmente o cais é prioritariamente utilizado por empresários que acham que a cidade não foi feita para todos mas para poucos, no caso, eles. É preciso que entendam que antes dos pneus dos carros vieram as pessoas e a cidade tem que ser pensada para as pessoas. Melhor, para a felicidade das pessoas. Também é bom que os políticos pensem que dá mais voto contentar o povo do que atender uns poucos empresários. Mas não há de ser nada. Vamos continuar na nossa profissão de fé, Dra, Tamara. Não deixemos que os arautos do caos vençam. Quem sabe um dia veremos gente, muita gente feliz a qualquer hora na orla e planta em profusão. Não peço jardins! Mangueiras me confortariam plenamente na minha Santa Santa Santarém. Mas que venham sapupiras, ipês, mangueiras e pássaros, muitos pássaros e os amavios canoros. Enfim, sonhar não custa nada! Prazer em conhecê-la. TAPAJOARAMENTE AZUL,

  • Obrigado Tâmara, pela sensibilidade da iniciativa e pela generosidade do ato em si. Realmente uma enorme pena que a ação não foi fortalecida e até ampliada. Tenho certeza que muitos munícipes que apreciam a vista da orla também gostariam de te agradecer, quem sabe num momento mais democrático né?

  • TAMARA, que bela iniciativa.
    Amei a escolha do Ipê e Sucupira, pela beleza das flores.
    Santarém vai ficar mais bonita, mais saudável.
    Que outras Tamaras surjam, para plantar mais árvores, de preferência as escolhidas para a orla.
    Parabéns!

  • Podias dizer quem foram esses empresários, quais suas lojasqempreendimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *