Doutor Macedo não cometeu crime algum. O aluguel foi de pessoa física, diz líder do governo
Jonas Palheta e Dr. Macedo: aliados em Belterra

Líder do governo na Câmara de Vereadores de Belterra, oeste do Pará, Jonas Palheta (PSD) declarou que o prefeito Doutor Macedo (DEM) “não cometeu nenhum crime” ao alugar um de seus imóveis a uma empresa, para construção de terminal de combustível no local.

O contrato,cuja cópia foi obtida pelo blog por uma fonte que pediu para não ser identificada, foi acertado entre o prefeito e a Administradora de Bens de Infraestrutura, de Recife, em outubro de 2017. O imóvel fica dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) Aramanaí, às margens do rio Tapajós — entre as praias de Porto Novo e Cajutuba.

Jonas Palheta, alcançado pelo blog nesta quinta-feira (10), disse que o Dr. Macedo lhe assegurou que não existe nenhum irregularidade no contrato, pois se trata de um negócio particular, “de pessoa física”.

 

Relatou ainda que a denúncia do blog tem viés político, pois o vereador Júnior Rocha (MDB), opositor do prefeito, já circulava na cidade com cópia do contrato há cerca de uma semana, mostrando-o a várias pessoas, inclusive o atual presidente da Câmara, Serjão (DEM).

Rocha é pré-candidato a prefeito de Belterra no pleito do próximo ano.

Doutor Macedo e o caso Samaúma
A APA antes e depois da redução e o imóvel do Dr. Macedo (DEM)

Sessão que reduziu a APA

Jonas foi um dos 10 vereadores que participou da sessão da Câmara, em maio de 2017, que aprovou por 9 votos a 1 o projeto de lei de iniciativa do prefeito que reduziu em 20% o tamanho da APA de Aramanaí. O parlamentar votou favorável à matéria.

Com a redução, o terreno do Dr. Macêdo na comunidade de Samaúma — 200 metros de frente por 600 metros de fundo — ficou fora dos novos limites da reserva ambiental.

O contrato foi fechado com a empresa de Pernambuco 5 meses após a sessão dos 9 a 1 na Câmara.

Contraponto

A assessoria do prefeito, procurada pelo blog desde a primeira matéria sobre esse caso, tem optado por não se manifestar. Júnior Rocha confirmou o relato de Jonas Palheta, mas frisou que se limitou a mostrar “os documentos” apenas a alguns de seus pares na Câmara, por conta da “gravidade dos fatos”.

“Esse documento foi deixado no meu gabinete há uns 7 dias, e ainda estou apurando a autenticidade dele, já que, pelo seu conteúdo, o ato praticado é muito grave”, disse.

“Como o vereador Jonas [Palheta] é o líder do governo, o procurei para lhe mostrar o documento e avaliar a gravidade. Na ocasião, o vereador Ulisses Medeiros também estava junto, olhou, avaliou e disse que se fosse autêntico [o contrato], o caso seria muito grave”.

— LEIA também sobre esse caso:

5 curiosidades sobre o contrato de aluguel do imóvel do prefeito na APA Aramanaí

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

4 Comentários em: Doutor Macedo não cometeu crime algum. O aluguel foi de pessoa física, diz líder do governo

  • Construir um terminal de combustível naquela área só uma empresa de fora pra fazer uma aberração dessa, em conluio com os forasteiros do lugar. Será que a mocorongada vai ficar chupando o dedo igual quando deixou construir aquele mondrongo da carjiu?

  • Difícil mesmo é ver tanto cinismo.

  • Esse Macedinho é um pilantra oportunista. Queria tomar a prefeitura de Belterra a todo custo, agora que é prefeito tá fazendo tudo oque planejou em benefício próprio e a população cada vez mais carente.

  • O que esperar de um Prefeito que reduziu os salários funcionarios à metade mas garantindo a si próprio um negócio milionário que é vender um terreno super-valorizado e ainda liberar a maravilhosa praia de Cajutuba a atividades portuárias e outras não menos poluidoras. Esse é o projeto de desenvolvimento pra Belterra? Quantas vezes assistimos esse filme? É muita mediocridade e cara-de-pau dessa gente. Esperamos não fique por isso e que a justiça prevaleça e a história condene.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *