Desafios da criação de uma escola de sustentabilidade em Juruti vira livro
O evento foi organizado pelo IJUS

Na segunda-feira (18), na sede do Instituto Juruti Sustentável (IJUS), foi realizado o lançamento da publicação “A Construção Coletiva de Uma Escola de Sustentabilidade em Juruti, Pará – Aprendizados e Desafios”, de autoria do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB).

A experiência da criação da Escola de Sustentabilidade de Juruti (ESJ), no oeste paraense, é retratada neste livro com projeto “Escola de Sustentabilidade de Juruti: Saber é Poder!”, com apoio do Instituto Juruti Sustentável e Instituto Alcoa.

 

A publicação traz o olhar das pessoas de Juruti, seus aprendizados e também os desafios. Resultando em reflexões amplas, sempre com o olhar a caminhos que nos leve ao cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, empoderando as pessoas e tornando Juruti Sustentável de fato. 

“Este documento tem o objetivo de ser uma memória, contar o que aconteceu, de forma até que se um outro município queira replicar essa experiência tão legal de Juruti, possa ter esse guia. Também um pouco do que a Escola pode vir a ser. Tanto o IJUS como as organizações parceiras assumirem como um potencial espaço de referência para a discussão das temáticas de educação e sustentabilidade. Agregando ainda mais valor ao papel que o IJUS já desempenha em Juruti” falou Alisson Castilho, coordenador de projetos do IEB.

Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas foi um dos alicerces trabalhados na escola, formando 40 lideranças locais em agentes de Sustentabilidade.

“Poder pelo conhecimento”

Participantes do evento com o exemplar da publicação

Melquisedeque da Silva Teixeira, egresso da ESJ, representante do Sindicado dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Juruti / Comunidade Santa Rosa, região do Curumucuri de Juruti, afirmou que um dos principais benefícios em ter participado da escola foi ter o “poder pelo conhecimento”.

“Hoje já conseguimos novas parcerias, como o Embrapa, a cooperativa Coafajur, somos cooperados, desenvolvemos o projeto de hortaliças na comunidade Santa Rosa com seis canteiros,  e duas vezes na semana a comunidade entrega sua produção”, disse.

Melquisedeque fala ainda que isso graças ao entendimento de como é possível unir pessoas e instituições, exemplificando os itens 8,10, dos ODS (8- Emprego digno e crescimento econômico, 10 – Redução das Desigualdades).

 

“Vale a pena incentivar projetos alternativos, está foi uma das metas da escola.  Conseguimos repassar para nossa comunidade de que forma aplicar os 17 ODS. Ficamos com esse compromisso de ajudar as pessoas, pois quem tem o conhecimento tem o poder”.

O IJUS vem dialogando, objetivando fechar novas parcerias.

“É um momento especial para Juruti. A escola de Sustentabilidade de Juruti foi algo que construímos juntos. Ter um espaço onde pudéssemos refletir juntos sobre nossa terra, as oportunidades e desafios pra ter um amanhã melhor. Parabenizamos os alunos, que vieram de todos os cantos de Juruti, hoje temos o IEB também como novo parceiro do instituto”, afirmou Idaliana Aubuquerque, presidente o Instituto Juruti Sustentável.

O que é o IJUS

O IJUS foi estabelecido em agosto de 2008, o Instituto Juruti Sustentável (IJUS) é a primeira organização civil certificada como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) no município de Juruti-PA.

Público presente no lançamento da obra na segunda (18)

Com informações do IJUS

— LEIA também: Juruti alcança a melhor pontuação em gestão fiscal na série histórica do IFGF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *