Justiça acata denúncia, e 14 políticos viram réus no escândalo do mensalinho, Vereador Carlos Alberto
Vereador Carlos Alberto, presidente da Câmara, virou réu por corrupção

O juiz Vilmar Durval Macedo Júnior, de Juruti, no oeste do Pará, tornou réus 14 políticos denunciados pelo Ministério Público do Pará no processo do mensalinho, o maior escândalo de corrupção da história recente do município.

Um dos envolvidos é o atual presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Alberto de Oliveira (DEM).

A decisão foi proferida hoje (21). Os réus vão responder por crime de improbidade administrativa (desvios de recursos da Prefeitura de Juruti).

O mensalinho de Juruti foi um esquema de corrupção, segundo o MP, montado em 2014, e que consistia em pagamento de propina mensal, oriunda dos cofres públicos, feito pelo ex-prefeito Marquinho Dolzane (2013-2016) aos vereadores à época.

O magistrado afirmou que a denúncia apresentada “é contundente em corroborar as condutas ilícitas e o modus operandi” descritos na peça.

“Os fatos veiculados pela acusação [MP] são amparados em robusta prova pré-constituída, documentos, áudios e depoimentos”, salientou.

“Em uma análise preliminar, verifico fortes indícios de que os acusados violaram aos deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e moralidade administrativa, bem como se locupletaram indevidamente de verbas públicas, auferindo vantagem patrimonial”.

Vilmar Macedo Júnior deu prazo de 15 dias para que as defesas dos réus se manifestem, ofereçam documentos e justificações e arrolem testemunhas a favor de seus clientes. Ele também manteve a indisponibilidade de parte dos bens dos réus.

OS RÉUS

Os 14 acusados de participação no esquema são:

— 1. CARLOS ALBERTO BATISTA DE OLIVEIRA
— ELBER GONCALVES DE AZEVEDO
— ELIVAN DA SILVA ROCHA
— MANOEL BORGES DOS SANTOS

— 5. MONICA DE FARIAS BRIGIDO
— ROGERIO SOARES DA SILVA
— CLEVERSON MAFRA DE SOUZA
— LUIZ ANTONIO BRAGA DE SOUZA
— JANISSON DE SOUSA NATIVIDADE

— 10. MARCO AURÉLIO DOLZANES
— EDJANIO PRINTES FIGUEIRA
— FLADIMIR DE AZEVEDO ANDRADE
— HERIANA DOS SANTOS BARROSO

O MENSALINHO

De acordo com as investigações da polícia, o ex-prefeito Marquinho Dolzanes (PSD) repassava mensalmente, em troca de apoio político, a cada um dos 13 vereadores de Juruti o seguinte:

— R$ 2 mil;
— 100 litros de diesel;
— 100 litros de gasolina;
— 10 passagens de barco no trecho Juruti–Manaus e
— 10 passagens no trecho Juruti-Santarém.

Os acusados negam a prática dos crimes a eles imputados pelo MP.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

4 Comentários em: Justiça acata denúncia, e 14 políticos viram réus no escândalo do mensalinho

  • Bom que seja apurado os fatos e os culpados, paguem pelos seus crimes e que sirva de exemplo que o nosso País não aceita mais essa prática desonesta de politicos corruptos e ainda mais os que se dizem Evangelicos envegonhando os seus eleitores e o nome de Jesus Cristo….que a Justiça se faça.

  • Presado Jeso, na matéria acima é citado o total de 14 acusados, que conforme decisão da justiça agora são réus, no entanto na lista nominal apresentada contabilizamos somente 13 nomes, afinal está faltando alguém na lista ou o total não é 14? Obrigada

  • Que a justiça,seja feita e que sirva de exemplo,pra esses que se dizem honestos ,andam com Bíblia de baixo do braço,mais roubando o povo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *