Outro réu se diz

Luciano Brunet e Gerdeonor Santos, dois sem-recursos do escândalo de Juruti Velho

Viralizou.

Mais um dos 9 réus do escândalo da construção de casas populares em Juruti Velho, município de Juruti, também diz não ter dinheiro para bancar a sua defesa no processo em tramitação na Justiça, para devolução de 14 milhões de reais à União.

O novo sem-recursos é Gerdeonor Santos, presidente da Acorjuve (Associação das Comunidades de Região de Juruti Velho).

Na próxima assembleia geral da entidade, prevista para o final deste ano, ele deve colocar em votação a proposta de que a Acorjuve banque a sua defesa na 2ª Vara Federal de Santarém.

O primeiro a se declarar liso foi Luciano Brunet, ex-nº 1 da Superintendência do Incra no oeste do Pará.

O segundo da fila é Gerdeonor.

A Acorjuve, que congrega 52 comunidades, recebe em média R$ 500 mil/mês em royalties da Alcoa Juruti.