Pitágoras
Suzane Lima, ex-aluna do Pitágoras e funcionária da Alcoa

Com 9 anos de atuação no município, o Colégio Pitágoras Juruti, no oeste do Pará, não para de colecionar conquistas.

As mais recentes foram alcançar 95% de taxa de aprovação de estudantes no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em 2018, conquistar o 2º lugar geral no Pará e 13º lugar no Brasil no ranking de escolas públicas e privadas com melhor pontuação no exame, numa comparação entre escolas do mesmo nível socioeconômico.

 

A unidade do Pitágoras em Juruti foi instalada e vem sendo mantida com o apoio da Alcoa. Além das vagas para filhos e dependentes de funcionários da mineradora, o Pitágoras disponibiliza anualmente 40 bolsas integrais de estudo, dando oportunidade a jovens que não possuem familiares com vínculo empregatício com a empresa.

A universitária de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal Oeste do Pará (Ufopa), Suzane Lima, que hoje atua como estagiária na Alcoa, ingressou no Colégio Pitágoras em 2010 como bolsista, cursou o ensino médio.

Pitágoras
Posicionamento do Pitágoras em Juruti, no Pará e no Brasil

Filha de uma funcionária pública e um pedreiro, ela sempre almejou entrar em uma universidade pública federal – concretizou a meta através do Enem, em 2012.

Sonhar mais alto

“Estudei, aprendi muito e isso não se resume somente a conhecimentos acadêmicos, mas em inspiradoras histórias de vida que nos fazem sonhar mais alto”, ressalta.

O universitário Sávio Guilherme Rodrigues também foi bolsista do Pitágoras e ao concluir o ensino médio se tornou colecionador de aprovações em vestibular.

Em 2017, ano em que fez o Enem, passou em quatro instituições de ensino superior. Hoje, com apenas 19 anos, escolheu cursar Engenharia Mecânica na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

“Não tenho dúvida de que a base do ensino médio, obtida no Pitágoras Juruti, foi essencial na conquista das aprovações”, enfatiza.

 

Segundo a diretora do Pitágoras Juruti, Josélia Printes, os resultados da escola tornam concreta toda a dedicação da equipe.

“É o resultado de muito trabalho. Compromisso é a palavra-chave com a educação e isso nós buscamos todos os dias. Mesmo estando numa região distante dos grandes centros urbanos, trabalhamos com empenho e agora estamos colhendo os frutos. É um trabalho de paixão pela educação, desenvolvendo essa equipe e buscando sempre os melhores resultados”, comemora.

https://2.bp.blogspot.com/-lboQLgncitA/XV8EYFQ6SSI/AAAAAAAAeFs/ozcRBS4XDdYRC0CLmMP3Uh1hHxX8Xd2HwCLcBGAs/s1600/S%25C3%25A1vio%2BGuilherme%2BRodrigues%2B-%2Bestudante%2Bde%2Bengenahria%2Bmec%25C3%25A2nica%2B%2528Foto%2BArquivo%2BPessoal%2529.jpg
Sávio Guilherme, base do ensino médio no Pitágoras

A estrutura e equipamentos do colégio são fornecidos inteiramente pela Alcoa, que também contrata o serviço de ensino da instituição, que é referência no Brasil.

350 alunos

“Estamos com o Pitágoras desde o início das nossas operações. É uma parceria de trabalho com indicadores de performance. Traçamos uma meta para o ano junto com a direção e trabalhamos duro para alcançar. As aprovações nos vestibulares só crescem a cada ano. A Alcoa está presente, sempre buscando saber quais os apoios e incentivos necessários para alcançar o que foi proposto”, destacou a gerente de Recursos Humanos da Alcoa Juruti, Mayara Alves.

A Rede Pitágoras tem escolas em todo o Brasil. Em Juruti, o colégio atende estudantes desde o maternal (a partir dos 3 anos) até a 3ª série do ensino médio. Atualmente, 350 alunos são atendidos na escola em Juruti.

Com informações da Alcoa/Juruti

— LEIA também: Número de funcionários paraenses na unidade da Alcoa em Juruti ultrapassa a 80%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *