MP escala promotores da Perfuga para investigação sob sigilo em Óbidos, promotores da perfuga em Óbidos
Rda Tavares, Bruno e Rodrigo Aquino estão trabalhando em conjunto com Évelin Santos

O Ministério Público do Pará escalou os 3 promotores de justiça da operação Perfuga, em Santarém, para trabalharem numa investigação sob sigilo e aberta pela Promotoria de Justiça em Óbidos, região da Calha Norte.

Maria Raimunda Tavares, Rodrigo Aquino Silva e Bruno Fernandes Freitas já estão trabalhando em conjunto com a promotora Évelin Santos, de Óbidos, no caso.

O Blog do Jeso solicitou informações mais detalhadas do PIC (Procedimento Investigatório Criminal) nº 03/2018, mas foi informado pela assessoria de imprensa do MP que ele tramita sob sigilo.

O sigilo tem sido a regra dos casos investigados pela Perfuga, tanto em Santarém como em Belterra.

O prazo para conclusão das investigações é de 90 dias, podendo ser prorrogado  quantas vezes  for necessário, conforme o artigo 13, da resolução 181/2017, do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

Deflagrada em agosto do ano passado, a Perfuga tem se notabilizado pela investigação de crimes contra os cofres públicos, como peculato, fraude a licitações, danos ao erário, entre outros.

A Perfuga já está na 11ª fase, com combate à corrupção já deflagrado nos municípios de Santarém e Belterra até agora.

DENÚNCIAS

Confira os canais da Perfuga para denúncias de casos de corrupção no seu município.

cartaz perfuga

Leia também:
Escola que prefeito vai fechar em 2019 tira a maior nota no Ideb em Óbidos

  • 117
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *