Quilombolas pedem que Ibama não autorize MRN a construir novas barragens , barragem da MRN
Barragem na área do projeto da MRN em Oriximiná

No momento em que se completa um mês do rompimento da barragem da Vale em Minas Gerais, quilombolas e ribeirinhos de Oriximiná, oeste do Pará, em declaração pública, se solidarizam com as vítimas de Brumadinho e manifestam o temor que um desastre possa ocorrer também em sua região.

A maior produtora de bauxita do Brasil, Mineração Rio do Norte, tem 25 barragens de rejeitos em Oriximiná, e a população à jusante, não recebeu qualquer preparação para liderar como uma situação de emergência.

É o que consta no documento que associações quilombolas e ribeirinhas que vivem a jusante das barragens apresentam suas reivindicações ao Poder Público, à MRN empresa, ao Ministério Público e ao Legislativo.

“Não à construção de novas barragens! Que Ibama e Agência Nacional de Mineração não autorizem a Mineração Rio do Norte a construir novas barragens até que nossas reivindicações sejam atendidas”, diz o documento.

Eis algumas das reivindicações:

— Transparência Já! Divulgação dos relatórios das vistorias que a Agência Nacional de Mineração realizou na Mineração Rio do Norte em 2015 e 2018. Que a ANM realize com urgência um diálogo com a população a jusante das barragens para esclarecimentos sobre a segurança das barragens.

— Novo licenciamento ambiental das barragens! Elaboração de um estudo de impacto ambiental exclusivo para as barragens da Mineração Rio do Norte considerando as barragens já construídas e os impactos socioambientais das novas barragens.

— Revisão dos planos de emergência da MRN! Os planos de emergência foram elaborados sem consulta e diálogo com a população local. Exigimos que sejam adequados em processo participativo com as comunidades, associações e sua assessoria. Exigimos que seja firmado um compromisso prévio da MRN com as comunidades que garanta seus direitos em caso de rompimento das barragens.

— Discussão de alternativas tecnológicas! Exigimos que a MRN invista na pesquisa de tecnologias às barragens para disposição dos rejeitos”.

 

A ÍNTEGRA DO DOCUMENTO

MRN - Não às barragens 1
MRN - Não ás barragens 2

Leia também:
Pará tem 66 barragens; duas são de alto risco; na região, MRN lidera com 25


Relacionado ao tema, leia também AQUI um oportuno artigo de Helvecio Santos, articulista do blog

  • 162
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *