Só cerveja long neck

Da leitora que se assina Francinei, sobre o post Leitor critica cerveja exclusiva em pizzaria:

A “venda casada” é apenas um dos problemas dos bares de Santarém. Outra coisa que considero lamentável são os bares que só trabalham com long neck. Ora, será que esses empresários não conhecem nossa região, pois aqui o costume diz que cerveja se toma em garrafa de 600 ml.

Existem dois espaços em nossa cidade (que não vou citar os nomes) que foram contemplados quanto à localização, mas que infelizmente só trabalham com esse tipo de cerveja. Trata-se apenas de uma observação.

Compartilhe:

Notícias Relacionadas

15 Comentários

  1. Telma Amazonas says:

    Ela está falando de bares, botecos ou de restaurantes?

  2. ISSO É PARÁ: "TERRA DE DIREITOS"!!! says:

    Aqui no interior a coisa é muito pior que na cidade grande onde tem-se certa concorrência. Por aqui, é na base do monopólio ou do cartel, o consumidor é que se fod… E o Procon moooorrrreeeeuuuu!!!! Ressuscitem a SUNAB e seu 198, por favor. Ei!!!! prefeituras!!! Vamos cobrar mais impostos desse pessoal que goza na cara do consumidor, FISCALIZAÇÃO NELES!!!!!

  3. Telma Amazonas says:

    Amigos, aproveitem o embalo desta problemática, e parar de beber….rssss….que tal?
    abs

  4. Junio Aguiar says:

    Acho que daqui alguns anos vamos achar um absurdo se um determinado lugar não vender refrigerante ou cerveja ou suco. Quando alguém abre algum empreendimento tem uma visão específica pro seu negócio e acho que tem todo o direito!! Acredito que o empresário tem todo o direito de vender ou não um determinado produto e selecionar sua clientela. Se eu não me sentir a vontade não serei cliente e ponto final. Então Francinei vc tem a escolha de não voltar nesse lugar.

  5. Daniel says:

    corrigindo a angela,já fui no vinil diversas vezes e sempre tomei cerveja 600ml a 4,00 reais..rsrsrs

  6. Grazziano Guarany says:

    Ângela gostei do teu comentário. Pois é isso mesmo. Quando quero sair pra jantar com a minha familia e tomar umas cervejinhas vou sempre em lugares que só vendem long neck. Agora quando to liso e quero encher a cara vou onde tem cerveja e tiragostos baratos. Não gostaria de ver certos lugares excessivamente popularizados. Falando nisso a Martinha ta devendo uma rodada de tijuca. Marcia., será que da pra vender umas Erdingers pra gente ??

  7. Juninho says:

    Concordo com as opniões abaixo, cerveja long neck combina melhor com os bares restrô…a cerveja grande não combina com esses ambientes!!!

  8. Prost says:

    Um projeto de lei proposto por um deputado do PR à assembleia daquele estado, solicita a proibição de comercialização da cerveja long neck. O argumento: as garrafas não são retornáveis e vão parar no lixo. Muita pressão impede a aprovação do projeto. Prefiro mesmo que comercializem apenas a cerveja de litro. A encontrei até em Luzinópolis/TO, a R$ 3,70. E aqui a terra do lost e last, é mais atrasada que a região do Bico do Papagaio.

  9. ZELINHA says:

    Aos comentarios acima citados, Cerveja 600 ml( grande) não combina com restaurante, que tem hora pra fechar (e é ambiente familiar ) ……È pra Bar mesmo!!!! ..Aos Restô que vendem sua Long neck estão de parabens senão vão virar Butiquim. Bem pensado.!!!!

  10. CONSUMIDOR says:

    Nao tenho nada contra os preços praticados em qualquer ambiente, desde que esse mesmo ambiente me deixe escolher o que comprar, beber, etc, o que não é o caso de Santarém, infelizmente, aqui se paga caro sem poder exigir. é isso

  11. Santareno - com você says:

    Não tenho nada contra e nem vejo problema algum a respeito da cerveja, no entanto, acho um absurdo, as “casas” fecharem com determinadas marcas. Cerveja, va lá… mas não ter coca-cola é dose.

  12. Angela says:

    Não sei pq tanta polêmica, eu adoro e só tomo cerveja long neck! Por exemplo o Nossa Casa e o Vinil só vendem esse tipo de cerveja e considero ser o correto pois não combina a elegância desses lugares com cerveja grande, e quem prefere esse tipo de cerveja tem várias opções na cidade como o Qualhada, Casa Nova, Seu Camilo, Juba, Jiboia…

  13. marcia melo says:

    JPSTM,esse cara entende das coisas…e um jpstm VIAJADOOOOO.

  14. ÊTA! BRASIL PAI D'ÉGUA!!!!! says:

    Já deixei de frequentar clubes e bares que usam desse método aí. Meu conselho frenquentem outros lugares onde o direito de optar do freguês é respeitado.

  15. JPSTM says:

    Jeso, esse perfil de cerveja long neck funciona em bares que trabalham visando um público específico. Não sei como acontece em Santarém e nem quais são esses bares, pois ja estou um tempo sem visitar a saudosa terrinha, uma vez que o ofício laboral é impiedoso marcador. Em São Paulo os bares de elite só vendem serveja long neck devido ao gosto refinado dos frequentadores de tais praças de diversão noturna. As ultrapassadas e coloniais cervejas de 600ml, são vendidas apenas em botecos de periferia, onde o público não é nada exigente e toma “qualquer coisa”. Acredito que os barzinhos que estão acreditando e valorizando as pessoas de bom gosto em Santarém tiveram um alto investimento prezando pelo conforto e qualidade nos serviços prestados. Na minha humilde opnião, a diversão em um ambiente agradável e que me faça sentir bem, NÃO TEM PREÇO.

Deixe uma resposta

css.php