Bordalo propõe projeto de lei que cria o programa de Mediação Escolar no Pará
Bordalo, promoção da cultura de paz

Só em 2018 foram registrados mais de 1100 casos de violência dentro de estabelecimentos de ensino no Pará, uma média de três casos por dia, segundo dados da Segup (Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social).

Para promover a cultura de paz, o deputado estadual Bordalo (PT) apresentou nesta quarta-feira projeto de lei que dispõe sobre a criação do programa Mediação Escolar nas escolas públicas e privadas do Pará.

O programa, além de prevenir a violência no ambiente escolar, possibilita a inclusão e participação dos alunos e professores nas soluções dos problemas, promovendo um processo coletivo de diálogo e um ambiente harmonioso.

 

Na tribuna da Alepa (Assembleia Legislativa do Pará), Bordalo, que preside a Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor, destacou um dos objetivos do programa. 

“Visa construir uma cultura de paz nas escolas, instituir efetivas relações de solidariedade e respeito às diferenças, em respeito aos papeis e na busca por soluções pacíficas e positivas para a pessoa e para o coletivo”.

O projeto foi apresentado durante sessão ordinária da Alepa e os programas permitirão formar membros da comunidade educativa como mediadores, que poderão ser funcionário do estado ou voluntário, desde que pessoa seja capacitada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) ou já possua conhecimento e experiência na área.

LEIA também: IFPA de Óbidos tem aula de campo sobre reabilitação de áreas mineradas em Juruti

Por meio de audiências entre as partes, o mediador buscará solucionar os conflitos interpessoais entre alunos e/ou alunos, funcionários da escola e professores, objetivando através do diálogo prevenir a violência no ambiente escolar.

Em casos de situações que exigem uma intervenção mais especializada, a Seduc poderá também, por meio de convênio com o Tribunal de Justiça do Pará, contratar conciliadores e mediadores inscritos nos Centros Judiciários de Soluções de Conflitos e Cidadania e cadastrados no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos.

Segundo relatório Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), cerca de 150 milhões de jovens de 13 a 15 anos já sofreram violência por parte de seus colegas e aponta ainda que, dessa faixa analisada, um em cada três alunos já sofreu bullying.

Com informações da assessoria do deputado Bordalo

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Bordalo propõe projeto de lei que cria o programa de Mediação Escolar no Pará

  • Também criar uma cultura de honestidade, organização e compromisso dos prefeitos e prefeitas dos municípios onde a maioria só sabe roubar e se locupletar, enquanto as escolas estão sujas, caindo aos pedaços, uma porcaria como se os alunos estivessem numa pocilga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *