Na coluna de hoje (24) da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo (assinantes):

maconhaO TST (Tribunal Superior do Trabalho) considerou legítima a demissão por justa causa de um funcionário que fumava maconha na hora do almoço e fora do ambiente de trabalho.

A decisão afirma que o “poder disciplinar” do empregador tem base na “relação interpessoal e na confiança” e que o “mau comportamento” justifica a demissão.

O funcionário, que trabalhava numa indústria mecânica de Minas Gerais, negou que estivesse fumando maconha.

Um vídeo gravado pela polícia nas cercanias da empresa foi analisado por um perito que atestou que ele consumia a droga. O trabalhador venceu a causa no Tribunal Regional, mas foi enfim derrotado pelo TST.

Leia também:
Juiz indefere candidatura do PSOL e PPS.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Maconha no trabalho provoca justa causa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • sativo disse:

    duvido se nao tem juiz que fume da erva e ai ele ia se demitir?

  • Josefina Pereira disse:

    Eu sou anti-droga.
    Concordo plenamente com a decisão da justiça.
    Mas pera lá?! A embriaguez não é tratada como doença, não sendo, atualmente, motivo para despedi o funcionário?
    A cerveja não altera também o estado funcional do indivíduo?

  • Cidadão Santareno disse:

    Putz…. ah se essa moda pega…