CNPq nega extinção da Plataforma Lattes, com 6 milhões de cadastrados

O CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) divulgou nota neste domingo (14) negando os rumores de que o governo pretende extinguir a Plataforma Lattes.

O órgão integra o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que teve cerca de 42% de seus recursos não obrigatórios congelados pelo governo federal, de acordo com levantamento do site Direto da Ciência.

“Batizada” em homenagem ao físico Cesare Mansueto Giulio Lattes (1924-2005), a  Plataforma Lattes tem cerca de 6 milhões de usuários cadastrados.

Inaugurado em 1999 e consagrado como um padrão nacional para acadêmicos e pesquisadores atuantes no Brasil, o chamado Currículo Lattes se tornou elemento de análise de avaliação para concursos, promoções e concessões de bolsas e financiamento a pesquisas.

Desde o final de 2016 usuários da plataforma têm enfrentado frequentemente falhas nas atualizações de seus currículos.

Essas instabilidades do sistema têm complicado a vida daqueles que precisam incluir em seus currículos informações necessárias para inscrição em exames, processos seletivos e outras atividades.

Após cerca de um ano e meio considerando “pontuais” essas falhas, em junho de 2018 o então presidente do CNPq, Mario Neto Borges reconheceu que elas se devem ao envelhecimento da  Plataforma Lattes e afirmou que pretendia modernizá-la até o final do ano passado.

A promessa não foi cumprida.

“Ressaltamos, ainda, que está em curso, em parceria com várias instituições, um Plano de Modernização da Plataforma Lattes, anunciado em dezembro de 2018″, afirmou o órgão na nota divulgada ontem (15).

Leia a íntegra da nota do CNPq sobre a suposta extinção da Plataforma Lattes

Com informações do site Direito da Ciência

Leia também:
Ministério Público faz recomendação de pagamento de bolsas ao Instituto Wilson Fonseca

  • 8
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *