Brasil conquista a América e busca renovar elenco para a disputa do Mundial de 2022. Fonte: Pixabay.com”
Seleção Brasileira, alternativas para o Catar

A Copa América pode não ser uma das competições mais importantes no cenário internacional, porém isso não apaga alguns dos méritos da Seleção na conquista.

O Brasil foi dominante durante quase todo o torneio, apenas tropeçando no Paraguai, e deu uma certa tranquilidade para Tite até o Mundial de 2022. O treinador também ganhou algumas alternativas, porém ainda precisa encontrar substitutos aos veteranos que podem não estar presentes no torneio que vai acontecer no Catar.

Foram seis partidas disputadas na Copa América, e a Seleção conseguiu vencer quatro jogos e empatar dois. Apenas Venezuela e Paraguai deram trabalho para o time de Tite. Porém, dois pontos merecem ser exaltados.

O outro ponto foi o excelente desempenho defensivo do time. Durante toda a competição, o Brasil sofreu apenas um gol. Paolo Guerrero, que brilhou no Corinthians e hoje atua no Internacional, foi o único jogador a marcar um gol em Alisson.

Isso mostra que Tite voltou a ter um controle total sobre o sistema defensivo, algo que fez dele um treinador campeão por onde passou. A ideia é aproveitar isso para o futuro, principalmente contra equipes mais fortes.

A conquista da Copa América alavancou a Seleção Brasileira como um dos principais favoritos para o Mundial de 2022. Porém, a disputa não será nada fácil.

As dicas de apostas para hoje colocam que os favoritos para a conquista da Euro 2020 devem ser os principais rivais do Brasil no Catar, algo que faz sentido. Por isso, Tite precisa preparar bem a equipe durante as Eliminatórias para chegar preparado em alguns possíveis clássicos.

Novas alternativas

A Seleção Brasileira sofreu com algumas grandes seleções no passado. Em 2010, 2014 e 2018, o torcedor viu sempre uma equipe europeia acabar com o sonho do hexa. Holanda, Alemanha e Bélgica foram os algozes, mas Tite tenta renovar o Brasil para evitar que isso se repita no Catar.

Com alguns jogadores mais velhos, o treinador viu na Copa América nascer algumas boas alternativas para o futuro do time nas Eliminatórias.

Everton, que defende o Grêmio, foi o principal destaque. O jogador marcou três gols, foi um dos artilheiros da Copa América e ganhou todo o apoio dos torcedores.

Alguns jornais indicam até uma possível transferência dele para o futebol europeu. No entanto, Tite precisa de mais nomes. Thiago Silva, Daniel Alves, Fernandinho e outros já passaram dos 34 anos e dificilmente estarão no Mundial de 2022.

Ainda faltam quase três anos para a disputa, então o Brasil tem muito tempo para pensar na renovação do elenco. As Eliminatórias, que se iniciam em março de 2020, também vão ajudar nesta tarefa. Porém, é inegável afirmar que o título da Copa América, em pleno Maracanã, já colocou uma esperança maior para o hexacampeonato.

Tite sabe disso, mas precisa evitar problemas que aconteceram na Rússia em 2018, quando o sonho brasileiro acabou contra o forte time da Bélgica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *