Aberta a exposição internacional sobre cultura da paz, da SGI em Santarém, Exposição SGI em Santarém
A exposição está no Paraíso Shopping Center

Realizada na manhã desta sexta-feira (17) a abertura da exposição “Da Cultura de Violência para a Cultura de Paz”, idealizada pela organização não-governamental Soka Gakkai Internacional (SGI), e que estará em exibição até o próximo dia 27, no Paraíso Shopping Center, em Santarém, oeste do Pará.

A iniciativa marca as comemorações dos 50 anos de atividades da SGI na Amazônia e os 71 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A exposição, que é gratuita e aberta ao público, é uma realização da SGI em parceria com a Ufopa (Universidade Federal do Oeste do Pará) e tem o apoio institucional da Carta da Terra Internacional, Tribunal de Justiça, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Prefeitura de Santarém.

“Já que as guerras começam na mente dos homens, é na mente dos homens que as defesas de paz devem ser construídas”. Essa mensagem, que integra o preâmbulo da constituição da Unesco (Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), expressa o pensamento que a exposição da SGI busca disseminar, provocando a reflexão e o despertar para uma cultura de paz.

A mostra é composta por 4 alas e um total de 38 painéis, e tem o objetivo de promover uma ampla reflexão sobre as questões das armas nucleares e a segurança humana, colocando no centro da discussão a transformação do próprio ser humano para a construção de uma sociedade de paz.

“Conflito e desconfiança entre as comunidades, crime, violência e abuso doméstico, até mesmo um comentário maldoso. Tudo isso faz parte da cultura mais ampla da violência, que se inicia de forma silenciosa na forma de apatia, ignorando o sofrimento do outro”, comenta Paulo Dutra, coordenador da BSGI na região Oeste do Pará.

TERCEIRO SETOR

O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, prestigiou o evento e destacou o privilégio para o município ao ter a oportunidade de acesso à exposição.

“A mostra apresenta o contraste do quanto o mundo está perdendo e o quanto as pessoas ainda poderão sofrer se permanecermos com esta cultura de guerra e, nós, enquanto seres humanos, devemos nos transformar e a cada dia buscar a cultura do diálogo e da paz”, comenta o prefeito.

“O terceiro setor têm papel fundamental de preencher as lacunas do poder público e dar a sua contribuição com o desenvolvimento de toda a sociedade”, complementou parabenizando a iniciativa da SGI.

Exposição SGI em Santarém
Nélio Aguiar esteve na abertura da exposição

A exposição que chega em Santarém foi exibida pela primeira vez em Nova York, em 8 de setembro de 2007, e tem a missão de propagar a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que completou 70 anos em 2018.

Assim, todas as suas exibições apoiam a campanha Stand up 4 Human Rights (Defenda os Direitos Humanos) lançada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para promover, envolver e empoderar as pessoas sobre os direitos humanos e tornar as relações humanas mais justas.

“A exposição, em Santarém, encorajou outras iniciativas em conjunto com os parceiros. Desde um curso introdutório de Comunicação Não-Violenta e um Seminários sobre Cultura de Paz realizados juntamente com a Ufopa, até Rodas de Conversa promovidas pelo Fórum de Justiça em escolas de Santarém. Estamos potencializando as discussões sobre a cultura de paz”, relata o coordenador local da BSGI, destacando que semanalmente a organização realiza encontros comunitários sobre o tema.

Leia também:
Quilombolas de Óbidos querem direitos respeitados na construção de linha de energia

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Aberta a exposição internacional sobre cultura da paz, da ONG Soka Gakkai

  • Sinceramente nunca nem ouvir falar nessa ONG, se está na Amazônia há 50 anos deve ser em outra cidade que aqui nunca vi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *