Roda de Conversa em AlenquerAlguns dos presente na “Roda de Conversa” promovido pelo IHGTap em Alenquer

Com o tema “50 anos do golpe militar e suas consequências na história”, o IHGTap (Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós) realizou uma “Roda de Conversa” na cidade de Alenquer, com o propósito de debater com professores e alunos os impactos da ditadura militar brasileira na vida dos alenquerenses.

O evento foi coordenado pelo professor Wildson Queiroz.

Contou com participação da pesquisadora Áurea Nina, que está escrevendo um livro sobre esta temática, e ainda com os professores Rogério Figueiredo, Raimunda Brilhante e Andrew Silva, além do ex-prefeito João Ferreira.

Um dos pontos altos do encontro foi o depoimento emocionado de Omar Arrais, que foi preso pelo regime militar.

Em 1964, a população de Alenquer teve sua rotina drasticamente alterada por conta da fuga de Benedicto Monteiro, na época deputado estadual, que após dias na mata fechada foi preso no interior da cidade, acusado de comunismo.

Diante da importância do tema e atendendo ao pedido do público presente, outro encontro será realizado ainda este ano para debater um pouco mais sobre o assunto.

Leia também:
IHGTap lança projeto para popularizar a história.

  • 5
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

4 Comentários em: IHGTap realiza debate em Alenquer: Golpe de 64

  • Jeso acabei de receber a noticia que removeram o delegado e o sargento da PM de Alenquer porque ousaram contrariar ao Prefeito Flavio Marreiro e ao seu protetor Osmando Figueiredo simplesmente porque o delegado e o sargento prenderam um veiculo que estava em poder de um cabo eleitoral do prefeito com adulteraçao grosseira e provavelmente roubado.O crime do delegado foi apreender o veiculo e fazer os procedimentos de praxe legais.ISSO E DEMOCRACIA?

  • Jeso, boa tarde!

    Por que só em Alenquer e não em Santarém foi debatido o golpe de 1964. Santarém, junto com Marabá foi o município mais atingido institucionalmente pela ditadura: impediram a posse de um prefeito legitimamente eleito, transformaram em área de “segurança nacional”, nomearam um interventor, cuja principal obra foi derrubar as mangueiras das avenidas da cidade, etc.
    Exceto seu blog que provocou com algumas frases e textos, não se ouviu falar ou leu mais nada. Ou Santarém gostou da ditadura ou esquece rápidos os fatos historicamente relevantes.

    Nazareno Lima

  • Jeso na Ufopa teve debate ou apresentação de videos?

    Peço muito ao Sidney Canto que promova este debate em Santarém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *