Eu recomendo. Quilombolas do Pará temem impacto da ferrovia Norte-Sul, Comunidade de Laranjituba. Foto - Brasil de FatoMoradora da comunidade de Laranjituba, que colhe açaí. Foto – Rosilene Miliotti/Brasil de Fato

Um medo paira no ar nas comunidades quilombolas do Pará localizadas no trecho da ferrovia Norte-Sul, que liga Açailândia, no Maranhão, a Barcarena: os impactos desse empreendimento.

Leia também – Leitor diz que prefeito eleito deveria cortar secretarias e descartar adjuntos.

A jornalista Lilian Campelo, do site Brasil de Fato, fez uma reportagem na qual relata a apreensão dos moradores dessas comunidades com a construção da ferrovia.

– Com a expansão do agronegócio na Amazônia, o chamado Arco Norte (que abrange Rondônia, Amazonas, Amapá, Pará e o Maranhão) se tornará a principal via de escoamento para a exportação de grãos e minérios – escreve a jornalista.

Neste link, a íntegra da reportagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *