Juiz converte prisão preventiva em domiciliar de advogado da Perfuga após 103 dias, Audiência - defesa - Perfuga

No primeiro plano, os advogados Andre e Isaac Lisboa, e Joselma Maciel, que fazem a defesa de Wilson Lisboa

O advogado Wilson Gonçalves Lisboa, um dos presos na operação Perfuga, passou a dormir  em casa desde ontem, 15. A defesa do ex-assessor jurídico do ex-vereador Reginaldo Campos conseguiu reverter a prisão preventiva do réu em prisão domiciliar.

Wilson voltou para sua residência por volta das 19h.

Ele estava preso há 103 dias, em cela especial no quartel do Corpo de Bombeiros em Santarém, após prisão decretada pelo juiz Rômulo Nogueira de Brito, responsável pela Perfuga em primeira instância, no dia 4 de setembro.

Foi a segunda passagem do advogado pela prisão no âmbito da Perfuga.

Lisboa deverá apresentar em juízo, mensalmente, exames médicos e medicamentos que usa para controlar o transtorno de ansiedade de síndrome de pânico que sofre.

Também não poderá manter contato com réus e testemunhas envolvidos no caso.

As defesas de Reginaldo Campos e Sarah Oliveira, bem como de Samuel Fernandes – os únicos dos 28 réus que ainda estão presos – não tiveram êxito na reversão da prisão preventiva que eles cumprem.

Os advogados Isaac Lisboa, Joselma Maciel, André Lisboa, Rafael Rego e Edenmar Rosa dos Santos é que fazem a defesa do Wilson Lisboa na Perfuga.

  • 2
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *