Polícia indicia Henderson Pinto,
Henderson Pinto, vereador licenciado e ex-presidente da Câmara de Santarém

A Polícia Civil do Pará indiciou o “governador regional” do Baixo Amazonas e vereador licenciado de Santarém, Henderson Pinto (MDB), e mais 3 pessoas por supostos crimes de peculato e associação criminosa no âmbito da operação Perfuga.

A investigação, a cargo do delegado Kleidson Castro e abastecida pela delação de Andrew Oliveira da Silva, ex-chefe de RH (Recursos Humanos) da Câmara de Vereadores de Santarém, mira a contratação de funcionários fantasmas pela Casa na época em que Henderson a presidiu entre os anos de 2013 e 2014.

O inquérito, sob sigilo, foi encaminhado pela polícia à Justiça, segundo revelou uma fonte anônima ao Blog do Jeso. O caso tramita na 2ª Vara Criminal.

O juiz titular da vara, Rômulo Nogueira de Brito, conforme a fonte, já teria encaminhado o inquérito para o Ministério Público do Pará, que deverá ajuizar (ou não) denúncia criminal contra os indiciados.

A Polícia Civil enquadrou Henderson Pinto em peculato, com prática reiterada de 24 vezes, e associação criminosa, enquanto que Andrew Silva, além dos dois delitos em conluio com o ex-presidente da Câmara, em crime de inserção de dados falsos em continuidade delitiva.

https://3.bp.blogspot.com/-9fLOoApp5SY/XP5bMCE1izI/AAAAAAAAbJ8/lt_IDKoVWVoP4oPWw5TaHu-JB339jf8lACLcBGAs/s1600/processo%2Bsigiloso%2B-%2BHenderson%2BPinto.JPG
O processo tramita sob sigilo na Justiça

Em novembro do ano passado, a Justiça bloqueou parte dos bens de Henderson (até R$ 56 mil), a pedido do Ministério Público, por conta de um outro processo no âmbito da Perfuga. Nele, o coordenador do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas é acusado de fraude à licitação e peculato, fatos supostamente ocorridos também quando ele presidiu a Câmara.

CONTRAPONTO

Acionada pelo blog, a assessoria de Henderson Pinto não se manifestou até a publicação desta matéria. O espaço para o contraponto continuará aberto.

Delação do ex-nº 1 do RH da Câmara vai além dos crimes da Perfuga, Andrew Silva
Andrew Silva, delator dos crimes praticados por Henderson

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

8 Comentários em: Polícia indicia Henderson Pinto, “governador regional”, por peculato e associação criminosa

  • Gente é fácil demais achar as irregularidades do Enderson, basta verificar quanto tempo a empresa Tupaiu do tio chiquinho ficou sem fazer servidos na gestão do PT e quando ele assumiu a câmara a empresa volta triunfante para fazer serviços na Camara de vereadores.

  • Eu disse e repito, eu estava lá quando a família dele assumiu a Secrataria de infra estrutura, o pai dele que agora é idoso e virou santo fez coisas terríveis quando era secretário, trouxe um irmão Chamado Tomaz, uma vagabundo que só queria roubar e pegar as funcionárias da seminf. O Jerónimo deixava de pagar os garis para pagar a folha de salários do São Francisco, ninguém me contou, eu estava lá !!! Esse pessoal tem vocação para o mau !!!!

    • Se ele pagava as folhas de salários do São Francisco, como é que o São Francisco perdeu a sede social em leilão da Justiça do Trabalho, justamente para pagar os jogadores da época??

  • É uma tradição da família andas sempre na contramão do que é republicano correto, prefere se enroscar com a coisa errada, pegar recurso público e transformar em patrimônio pessoal seu e de sua família.

  • Novamente esta foto redator? Pensei que o Jean Willys havia voltado, mas o que esperar de um aluno aplicado do rei do cipoal?

  • Favor lembrar que o DAS do (gargalhadas) governador regional,(gargalhadas, essa é boa, pra que serve?) é incompatível com sua escolaridade…
    “Interessante” o Hélder ter mantido essa conversa furada de gov regional, criada pelo tucanato. Ô Hélder, esqueceu disso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *