Perícia libera exame de DNA de 8 das 9 vítimas do naufrágio da Bertolini em Óbidos, Perito criminal do CPC Renato Chaves, Felipe Sá. Foto-Samuel Alvarenga.Secom

Felipe Sá, perito criminal do CPC Renato Chaves

Os corpos de 8 das 9 vítimas do que estavam a bordo do empurrador da empresa Bertolini, que colidiu em agosto deste ano com o navio cargueiro Mercosul Santos, no município de Óbidos, foram identificados pelo CPC (Centro de Perícias Científicas) Renato Chaves.

Durante coletiva à imprensa realizada na manhã de ontem, em Santarém, no oeste do Pará, a direção geral do CPC também divulgou que os corpos já estão liberados às famílias. Sanada as questões legais, os familiares farão velório coletivo para prestar as últimas homenagens aos seus entes.

Os resultados do exame de identificação foram anunciados primeiramente às famílias, em seguida à imprensa.

De acordo com o perito criminal Felipe Sá, o trabalho foi dividido em duas etapas: a Ante mortem e a Post mortem. A primeira etapa iniciou em outubro, por meio de entrevistas com familiares e coleta de amostras biológicas para exames de confronto genético. A etapa seguinte foi realizada a partir da ida dos peritos ao local do acidente, recuperação dos corpos – com identificação padrão – finalizando com exame de DNA.

“Para todo o procedimento foi aplicado um protocolo internacional, utilizado pela Interpol, para identificação de vítimas de desastres em massa. A participação dos familiares foi fundamental na primeira etapa, quando na entrevista eles detalharam as características dos seus entes, disponibilizaram exames médicos que essas vítimas teriam em vida; exame de arcada dentária; e qualquer outro detalhe que pudesse facilitar a identificação”, relatou o perito.

CONFRONTO

Após a remoção dos corpos do empurrador, eles foram trazidos para Santarém para a realização da necropsia.

“Foi feito todo o procedimento, com coleta de material genético de todas as vítimas para um confronto no Laboratório de Genética Forense do CPC em Belém com as amostras das famílias, que tínhamos coletado anteriormente”, destacou Felipe Sá.

O exame de DNA iniciou no último dia 11 e após 10 dias foi finalizado pelos peritos criminais.

Foram identificadas 8 das 9 vítimas:

— Juraci dos Santos Brito;
— Wandel Ferreira de Lima;
— Dick Farney Oliveira Costa;
— Marcelo Reis Moreira Costa;
— Darcio Vânio Rego de Sena;
— Cleber Rodrigo Azevedo;
— Ivan Furtado da Gama e
— Adriano Sarmento de Castro.

“Poderíamos até ter dado o resultado antes, entretanto, 4 amostras vieram de parentes com amostras coletadas fora do estado do Pará. Tivemos apoio do laboratório de DNA Forense dos Institutos de Criminalística do Amazonas, Maranhão e São Paulo. A identificação da nona vítima deve vir a partir do resultado que vem de São Paulo e temos a esperança que até a metade da semana que vem ele já esteja com o resultado identificado”, informou o perito.

“Foi um trabalho muito difícil, principalmente em virtude da geografia do local, uma área profunda, com pouca visibilidade, mas no final, graças ao empenho de todos concluímos com êxito, faltando apenas a produção dos laudos”, explicou Felipe Sá.

Com informações da Agência Pará

Leia também:
Secretária de Saúde pede demissão em meio a crise na gestão de Chico Alfaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *