O que existe por detrás da desapegada jornalista que escreveu

Lenne Santos: “Não sei ser superficial. Sou intensa”

por Núbia Pereira (*)

Baseado no programa infantil Catalendas, da TV Cultura do Pará, a jornalista Lenne Santos lança no sábado (2), no X Salão do Livro do Baixo Amazonas, em Santarém, o livro “Catalendas”.

A obra, editada e produzida pela Imprensa Oficial do Estado (IOE), é resultado da dissertação de mestrado da autora na Universidade Federal do Pará.

A gente aproveitou para conhecer um pouquinho mais da jornalista que, além de assessora de imprensa, também é professora universitária. Bora conferir o bate papo No Salto?

Lenne Santos, como você se define?

Uma mulher apaixonada. Pela minha profissão, pelos meus amigos, pela minha família, pelos meus trabalhos (mais de uns…claro), não necessariamente nesta ordem. (risos).

Aos “40” lança o primeiro livro, o Catalendas, o que significa?

40?????? Quanta honra…Núbia, acrescenta mais uma década aí manazinha….uma década bem vivida e bem vívida…Essa segunda, assim mesmo com acento agudo no i…isso mesmo, sempre gosto de acentos agudos…

Kkkkkkk… Eu não tinha parado para pensar nesse detalhe, não sou de pensar ou tentar adivinhar idades… rs

O que isso significa?

Também não sei ao certo. Sei que os significados vamos encontrando no percurso. Sempre com intensidade. Não sei ser superficial. Sempre mergulho de cabeça e pago um preço alto por isso. Não me importo. Estou acostumada a quitar cada centavo das altas faturas que a vida tem me apresentado.. Amoooo isso. Viver a vida de forma aguda. Sou assim.

O que você pretende mostrar de fato, com essa história?

Esse história, na verdade algumas histórias, digo os contos e lendas com as quais tive contato durante a pesquisa, me levaram de volta ao um momento da minha infância vivida na Transamazônica. Descobri isso depois que a minha dissertação de mestrado ficou pronta. Foi o trabalho acadêmico, defendido em 2006, na UFPA em Belém, que deu origem a esse livro. Será que fui clara?

Sim, claro! rs rs

É para um público específico?

Acredito que todas as pessoas que gostam de ouvir e contar histórias vão se interessar. Professores do ensino infantil, pedagogos também podem querer saber sobre a relação das crianças com a televisão e com as lendas e contos infantis, além claro do teatro de bonecos que é um dos fios condutores do texto.

Você é daquele tipo apaixonada por crianças?

Sabes que tenho uma relação interessante com crianças…Elas em geral gostam muito de mim. Tenho um carinho muito grande por elas, tenho sobrinhos, afilhados, e até vizinhos que me dão uma alegria enorme. Saudades do Murilo, meu ex-vizinho de 5 anos, que me recebia todos os dias com um lindo sorriso. Hastag volta Murilo. Acho que isso explica a minha relação com as crianças, ainda que não tenha tido filhos.

lene7

“Gosto de plantas”

Já plantou uma árvore?

Váaaaarias. Gosto muito de plantas. Cultivo algumas em meu apartamento. Recentemente plantei um pé de graviola. Hoje tenho dado bastante atenção a essa pequena árvore que insiste em crescer numa terra não muito fértil. Notou alguma semelhança? hahahhahahaa

E quando vem os filhos?

kkkkkkkkkk… Já tive algumas oportunidades, digo alguns relacionamentos, namorados que insistiam em ter filhos. Caso tivesse dito sim, talvez tivesse hoje meia dúzia de filhos únicos de mãe solteira (hahahahhahaha). Prefiro estar só, comigo mesma. Sem nenhum remorso de egoísmo. Sei dar amor aos que estão acerca de mim, claro quando aceitam e, principalmente, merecem. Posso adotar um dia, quem sabe!. Já perdi o time do relógio biológico.

És a favor então da adoção?

Sou super a favor. Tenho exemplos na minha família. Adotaria, se tivesse um companheiro. Não enfrentaria sozinha a missão de educar uma criança.

Lenne Santos - No Salto

Lenne autografa o seu livro Catalendas

Você tem muitas histórias para contar, mas conta uma que marcou sua vida na TV?

Sem dúvida a minha experiência como gerente de jornalismo na TV Cultura entre 2001 e 2002. Aprendizados para a profissão e para a vida que me servem até hoje. E claro, foi na TV Cultura ( que chamamos carinhosamente de Funtelpa) que tive meu primeiro contato com o Programa Catalendas. Uma magia que me dá alegrias até hoje, dia de lançamento deste livro.

O que te tira do sério?

Mentira. Falsidade.

Qual tua religião e o que Deus representa na tua vida?

Costumo dizer que tento seguir os preceitos cristãos decodificados por Alan Kardec, a Doutrina Espírita. Difícil, num mundo tão líquido e cruel em que vivemos hoje. Mas eu tento. Faço parte de um trabalho solidário aos sábados que me realiza. Ajudar ao próximo – ainda que esse próximo não seja tão próximo – ainda que seja um desconhecido, pra mim é a representação de Deus em minha vida. Sou uma mulher de muita fé. Tenho fé nas pessoas, nas instituições, na vida.

O teu estado civil tem a ver com a correria do dia a dia?

Com toda certeza…. (rindo até 2050) Queridíssima, vivemos num mundo tão maluco que poucas pessoas estão preparadas para receber carinho, dedicação e até mesmo amor no sentido mais sincero que esse palavra possa ter. E amor?????? tenho, e muito…

O que falta para você ser uma mulher realizada?

Realização? Acho que me realizo todos os dias quando acordo, abro a minha janela e sinto a luz vibrante do sol de Santarém. Pensa num privilégio que é viver numa terra que todos os dias amanhecem ensolarados. Adoro a chuva mas a luz do Sol me alimenta. Sou apaixonadaaaa por praias. Precisa falar mais????????

Saúde! Outra realizacão. Hoje, depois de vencer um câncer de tireóide diagnosticado em 2013, não posso desejar mais nada a não ser viver plenamente e intensamente dando importância ao que realmente tem importância, refiro-me a coisas e também a pessoas…

A partir da experiência vivida com o câncer mudou também seu modo de enxergar a vida? Sei que você faz Reiki, pratica esporte, você já tinha essa filosofia de vida? Me conta um pouco?

Minha vida mudou completamente depois da experiência com o câncer. Isso mesmo. O câncer não é apenas uma doença é uma experiência. Sabes quando tu estás a 100 km por hora e o carro freia de uma vez. Foi assim, pra mim, o diagnóstico. Aceitei e decido enfrentá-lo de frente. Ele me ensinou a ser uma pessoa melhor, comigo e com os outros. Já era Reikiana. Praticava a auto aplicação. Aplicava nos amigos. Aproveitei para intensificar o uso da energia cósmica universal ao meu favor. Digo que enfrento o câncer correndo, literalmente. Nesses quase 5 anos de tratamento já participei de mais de 20 corridas. Já venci a barreira dos 5km, 10km e 14,5km. Agora quero correr uma maratona, 44 km. Sonho…..

Qual a maior loucura que você já fez?

Loucura????? Loucura é viver. Em 15 minutos tudo pode mudar. E eu sigo na minha loucura cotidiana de viver um dia de cada vez.

Alguma por amor?

Posso deixar essa resposta para a próxima entrevista????

Hahahhahha Tá bem!

Você é uma mulher de muitos amores? E muitos amigos?

Muitos amores. Costumo dizer que já tive muitos “homens de minha vida”. Quando me apaixono me entrego de verdade. Mas também me desapaixono. Agora, por exemplo, estou num processo de, digamos, desapaixonamento. Já estou quase saindo. Falta pouco… rsrs

Me diz um fato inusitado, já pagou um mico?

Muitos…muitos..difícil lembrar um especificamente..Juroooooo

Você é uma jornalista empreendedora, inclusive prestes a lançar em Santarém: o bike boat. Qual tua expectativa?

A experiência de pedalar sobre as águas é encantadora. Li uma reportagem a respeito e decidi investir. Os amigos que experimentaram até agora gostaram muito. Espero que dê certo. Precisa de pouco: Sol, belas praias, a belas paisagem e depois é só curtir um passeio sobre as águas claras do Tapajós. Expectativas muito boas.

Lenne Santos - No Salto

Você é uma mulher de treta?

Não levo desaforos para casa. Sabe aquele ditado do boi e da boiada? Pois é, sigo à risca. Um boi para não entrar na briga e uma dúzia de boiadas para não sair.

Kkkkkkkkkkk medo hahhaha

Você sabe quando alguém não gosta de você?

Sim. Só não deixo a pessoa saber que eu sei. Sabes por quê? Porque me afasto. Não sei fingir.

De zero a 10, quanto vc classifica teu ofício e tua conduta?

Tento ser 51% sempre para melhor. Minhas conquistas são pautadas no trabalho honesto. Não sei subir pisando nas pessoas. 100% transpiração…

São quantos anos de carreira?

Formada em Jornalismo desde 1996, faça as contas amiga…kkkkk

Kkkkk sou jornalista! hehehe

Você tem noção de como é visto pelos teus colegas de profissão?

Sinceramente não faço a menor ideia. Uma coisa é certa: só me mostro como realmente sou para poucos. Não me importo muito com o que pensam de mim, Importa o que eu sou.

Isso te preocupa ou te conforta?

Não me preocupo com o que pensam ou falam de mim. Sou honesta comigo e com as minhas convicções.

Tem alguma coisa em você que ainda incomoda?

A impaciência…Queria mais…juro…

Que tipo de causa você nunca abraçaria?

Aquela que prejudicasse alguém…

Você é de onde?

lene3

A jornalista abraçou um novo desafio, o empreendedorismo

Como veio parar em Santarém?

Sou do mundo….kkkkkkkkk

Nasci em Almeirim, me criei em Altamira. Estudei no Paraná. Me criei no mundo. Vim pra Santarém pela aprovação no primeiro concurso da Ufopa.

Se tivesse o poder de mudar alguma coisa no jornalismo, mudaria o que?

Nossa que pergunta difícil. No jornalismo tal qual eu acredito? Mudaria pouca coisa. Já nas práticas….bom aí. .prefiro a notícia bem apurada e a história bem contada. Qualquer história pode se transformar numa boa história desde que bem contada, contada com sensibilidade.

O que você acha da não exigência do diploma no Jornalismo?

Totalmente contra. Você arrancaram seu dente com um dentista que não tivesse diploma?

O que te levou para o mundo das comunicações?

Minha natureza. Gosto de me comunicar, sou falante e odeio rotina.

Tem alguma coisa que você faz questão de ostentar?

Não gosto de ostentação. Prático o armário cápsula: 48 peças incluindo sapatos e bolsas. Troco a cada 4 meses. Uma maravilha. Sou minimalista, por opção.

Você é do tipo sincera. Fala na cara doa a quem doer, isso já te prejudicou alguma vez?

Muitas vezes. As pessoas não gostam de sinceridade.

A Lenne de 20 anos atrás e a Lenne de hoje, tem muita mudança?

Tudo. Principalmente a balança, porém o coração está mais leve. Em minha bagagem só levo o necessário. Praticando o desapego de objetos e emoções.

Voltando para o livro? Onde os leitores podem encontrar?

Olha, vou lançar agora no X salão do livro e a turma toda pode adquirir comigo lá, com direito a autógrafo. Depois, eles serão vendidos nas livrarias de Belém e Santarém ou direto comigo…

Quantos livros estão sendo colocados à venda?

500 exemplares, uma parte fica com a Imprensa Oficial editora da obra.

Quem foi a primeira pessoa a ler? (fora a equipe de edição, claro!) e Por quê? (algum motivo especial).

Ainda é inédito. Os exemplares chegaram ontem (ainda não vi) rs rs…

Qual o valor e o dinheiro da venda você pretende utilizar em que, ou com o que?

15 reais, preço de lançamento. Ainda não pensei nisso…sinceramente….

Te desejo todo o sucesso.

Thanks!

Lenne Santos - No Salto

Lenne Santos e a jornalista do No Salto, Núbia Pereira

– – – – – – – – – – – – – – – –

* É jornalista e titular a seção No Salto.

Leia também esta entrevista de Núbia Pereira:
A farofeira camaleoa que faz da cozinha elevação espiritual

  • 3
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: O que existe por detrás da desapegada jornalista que escreveu “Catalendas”

  • Belíssima entrevista! Parabéns Núbia!
    A minha eterna professora Lenne Santos é competentíssima!
    Fui lendo e lembrando de algumas idéias trocadas na faculdade, quando tive alegria de ser seu aluno e pouco depois colega no colegiado de docentes. Uma pessoa incrível, verdadeira, profissional e que não poupa passar sua experiência na comunicação.
    Desejo sempre muita saúde e boas aventuras! Deus lhe abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *