Violência doméstica: Justiça ordena busca e apreensão em casa de advogado, Rodrigo Jennings

Rodrigo Jennings, advogado acusado de crimes de ameaça e violência doméstica

A Justiça expediu mandado de busca e apreensão na residência de um advogado em Santarém. O caso tramita na Vara de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher.

A decisão foi proferida pelo juiz Vilmar Durval Macedo Júnior no dia 14 de junho.

O site Jeso Carneiro apurou que o alvo é Rodrigo Jennings de Oliveira, advogado, e a vítima Geise Caroline Caldeira.

O juiz determinou que o mandado fosse cumprindo com ‘ponderação e calma’ pelo oficial de justiça, mas que, se preciso, ‘poderá arrombar portas e requisitar reforço policial’.

No último dia 3, os autos do processo em que o advogado aparece como réu, e que estava em poder dele desde o dia 31 de maio deste ano, foram apreendidos na sua residência.

Rodrigo Jennings reponde ação penal pelos crimes de ameaça e violência doméstica, processo (nº 0011822-75.2014.8.14.0051) em tramitação no Fórum de Santarém desde setembro de 2015.

CORPO DELITO

Embora tenha devolvido os autos do processo sem oferecer resistência, o advogado não teria entregues os CDs nos quais estariam gravados depoimentos das partes envolvidas no caso, realizados nas audiências de instrução, e nem um laudo de exame de corpo delito, conforme atestou o diretor de secretaria da Vara de Violência Doméstica.

Violência doméstica: Justiça ordena busca e apreensão em casa de advogado, Mandado de busca e apreensão

Fac-símile do mandado de busca e apreensão autorizado pela Justiça na residência e Rodrigo Jennings

Por conta desses fatos, o juiz aplicou as penas de multa de meio salário-mínimo e perda do direito de Rodrigo Jennings de vistas no processo fora da vara.

Determinou ainda que que a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) seja comunicado do episódio, afim de abrir procedimento disciplinar contra o advogado.

Essa decisão do juiz Vilmar Macedo Júnior foi proferida na última sexta-feira, 14.

OUTRO LADO

Nas redes sociais, o advogado foi ao ataque contra o editor do site.

“O blogueiro metido a jornalista e jurista é acostumado a inventar fatos sobre as pessoas para divulgar no seu blog na internet [sic] e informar errado a população”, escreveu Jennings, em sua página no Facebook.

“A informação é falsa. Mentira!”.

No ano passado, a Justiça julgou improcedente uma queixa-crime ajuizada pelo advogado contra a empresa responsável pelo site Jeso Carneiro. O juízo entendeu que os fatos divulgados neste espaço sobre o advogado em 2015 – acusado de falsificação de documentos – era de estrito “interesse público”.

Jennings recorreu da sentença junto TJ (Tribunal de Justiça) do Pará, onde o caso aguarda novo julgamento.

Leia também
Queixa-crime de advogado contra jornalistas é julgada improcedente pela Justiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *