Câmara de Placas abre CPI para investigar licitação de R$ 7 milhões em aluguel de máquinas
Raquel Possimoser, alvo da CPI da Câmara

Em sessão realizada nesta segunda-feira (11), a Câmara de Vereadores de Placas, no oeste do Pará, abriu CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar uma licitação de cerca de R$ 7 milhões aberta na gestão da prefeita Raquel Possimoser (PSDB).

O pregão 005/2019 é o objeto das investigações da CPI. A licitação foi aberta neste ano, para contratação de empresas especializadas em aluguel de máquinas.

 

O pedido da CPI foi protocolado pelo vereador Nelson Fetisch (SD), subscrito por mais 3 vereadores, entre os quais Herlinho Rodrigues (SD) e Vilmar Gaúcho (PSC). A comissão tem 90 dias para concluir seu trabalho. Esse prazo pode ser prorrogado.

A CPI é composta pelos seguintes vereadores:

— Denilson Amorim (PSDB), presidente;

— Nelson Fetisch, relator, e

— Evaldo Machado (MDB), membro.

Serviços prestados?

A linha de investigação da CPI é saber se os serviços contratados e pagos até agora pela prefeita Raquel Possimoser foram efetivamente prestados ao município.

Essa é a primeira CPI aberta no governo da prefeita tucana, no cargo desde janeiro de 2017. Ela é candidata à reeleição.

Amanhã (12) mais informações sobre a CPI.

— LEIA também: Óbidos é o pior em gestão do Pará, e está entre os 5 piores do Norte, afirma Firjan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *