Justiça homologada a 5ª delação da Perfuga, a de Pedro Gilson Oliveira, Promotores e delegado da Perfuga
Promotores e delegados que comandam a Perfuga

A 2ª Vara Criminal de Santarém homologou o quinto acordo de delação (colaboração premiada) no âmbito da operação Perfuga.

Trata-se do colaborador Pedro Gilson Valério de Oliveira, que prestou serviços à Câmara de Vereadores de Santarém, e fechou o acordo com o Ministério Público do Pará.

A decisão é do dia 18 de outubro.

O juiz Rômulo Nogueira de Brito considerou os termos do acordo em conformidade com a legislação, e determinou sigilo na apuração dos fatos levantados pelo delator.

A operação Perfuga, inicialmente, apurou crimes de corrupção ocorridos na gestão do ex-vereador Reginaldo Campos (2015/2016), que permanece preso desde agosto do ano passado.

Sem data para encerrar, os desdobramentos da Perfuga, que já resultou em 9 fases, executadas em Santarém e Belterra.

Os fatos narrados pelo delator, que estão em segredo de justiça, têm referência aos exercícios de 2015 a 2018, atravessando duas gestões (Reginaldo Campos, biênio 2015/2016, e Antônio Rocha, atual presidente da Casa).

No âmbito do MP, os promotores de justiça, com atuação em Santarém, Bruno Fernandes, Maria Raimunda Tavares, Ramon Furtado e Rodrigo Aquino atuam nas investigações, e na Polícia Civil, o delegado Kleidson Castro.

Essa é a quinta colaboração homologada.

Além do chefe do RH, Andrew Oliveira, e do ex-vereador Reginaldo Campos, foram homologadas as delações de Rubens Athias, ex-chefe do Setor de Licitações, e Samuel Fernandes, ex-diretor administrativo, todos da Câmara de Vereadores de Santarém.

Com informações do MP do Pará

Leia também:
Justiça manda fechar 3 empresas da Perfuga, entre elas a locadora Billcar

  • 62
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *