Polícia Federal prende 4 hackers por invadirem o celular do ministro Moro
Sérgio Moro, ministro da Justiça

A Polícia Federal abriu Operação Spoofing nesta terça-feira, 23, contra um hacker que invadiu o celular do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A ação foi determinada pelo juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira. A informação é do Estadão.

A PF cumpre quatro mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão em São Paulo, em Araraquara e Ribeirão Preto.

“As investigações seguem para que sejam apuradas todas as circunstâncias dos crimes praticados”, informou a PF.

 

Spoofing é um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é. A operação mira uma ‘organização criminosa que praticava crimes cibernéticos’.

No dia 5 de junho foi revelado que Moro teve o aparelho desativado, após perceber que um dia antes ele havia sido alvo de ataque virtual.

O celular do ministro foi invadido por volta das 18h da terça-feira, 4. Ele só percebeu após receber três telefonemas do seu próprio número. O ex-juiz, então, acionou investigadores da Polícia Federal, informando da suspeita de clonagem.

— LEIA também: Ministro da Educação vira alvo de manifestação em Alter do Chão. “Fascista”; vídeo

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Polícia Federal prende 4 hackers por invadirem o celular do ministro Moro

  • Ali polícia, ponto de ônibus na Olavo Bilac é terror das mulheres que vão trabalhar as 6 da manhã, cadê as motos do governador.

  • É o feitiço retornando ao feiticeiro, o Moro fez escuta ilegal contra a ex presidente Dilma, divulgou o material e por isso foi lisonjeado pelo feito, agora prova do próprio veneno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *