Policial militar protocola pedido de cassação de vereador condenado na Perfuga, Mano Dadai
Mano Dadai é filiado ao PRTB

Protocolado na Câmara Municipal de Santarém, oeste do Pará, pedido de cassação do vereador Yanglyer Glay Santos Mattos, o Mano Dadai (PRTB). Motivo: quebra de decoro parlamentar, em decorrência de sua condenação a 8 anos e 6 anos de prisão por envolvimento na Perfuga.

O pedido foi dado entrada ontem (25) pelo policial militar José Monteiro Filho, residente em Santarém.

A cassação é embasada no artigo 5º do decreto 201, de 1967, que dispõe sobre a responsabilidade de prefeitos e vereadores.

Foi esse decreto que respaldou a abertura de uma comissão processante na Câmara contra o ex-vereador Reginaldo Campos, em setembro de 2017, por envolvimento também na Perfuga. Para fugir da pena de inelegibilidade, em dezembro daquele ano Reginaldo renunciou ao mandato.

Mano Dadai, então 1º suplente, assumiu a vaga.

É o segundo pedido de cassação do mandato de Dadai protocolado na Câmara neste ano. O primeiro, de fevereiro, foi arquivado depois de receber parecer contrário da Corregedoria da Casa, sob a presidência do vereador tucano Jandeílson Pereira.

Dadai está afastado do cargo desde terça-feira (23), em obediência à decisão judicial proferida na sentença condenatória dele.

“Deixar que um vereador continue no cargo após prática de tais crimes [peculato e associação criminosa] é brincar com a boa fé do cidadão santareno”, escreve o militar no pedido.

“Pode parecer dolorido para os senhores vereadores tomarem esta decisão [a de cassar Mano Dadai], por se acharem constrangidos em afastar um colega. mas os senhores tem compromisso com a verdade. Não podem serem [sic] convenientes com a impunidade, o câncer que está levando a classe política ao suicídio moral”.

TRAMITAÇÃO

O pedido de cassação será encaminhado à Corregedoria da Câmara, para um parecer sobre a solicitação. Retorna à Mesa da Casa que decidirá se cria ou não uma comissão processante.

Essa comissão, a ser composta por 3 vereadores, terá o papel de iniciar o processo de cassação, garantindo o direito constitucional de Mano Dadai de ampla defesa.

Ao final, apresentará suas conclusões em relatório, a ser submetido à votação do plenário da Casa — a instância que tem pleno poderes de decidir ou não pela cassação do parlamentar.

No vídeo, o vereador Dayan Serique explica a tramitação do processo de cassação de Reginaldo Campos — o mesmo ritual a ser obedecido no caso de Mano Dadai.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: Policial militar protocola pedido de cassação de vereador condenado na Perfuga

  • Nos municípios paraenses em geral, a política municipal é uma pouca vergonha. Muitos prefeitos criam uma tal de “base de apoio”, regada a muita propinagem, ” cala boca”, etc., pra encobrir suas falcatruas, suas corrupções, e a maioria dos vereadores ficam mais canalhas do que já são, e o festival de roubalheira e incompetência ficam “legalizados”, “oficializados”, uma safadeza gigantesca. Diante de toda essa esculhambação, a dita ” Justiça” dorme😴😴 e como dorme 😴😴😴 e de barriga cheia😊😡😴😴😄😄😂😂😕😕😑😑👎👎

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *