TJ de Minas decreta prisão de Azeredo por envolvimento no mensalão tucano , Eduardo Brandão de Azeredo

Eduardo Azeredo, ex-governador de MG

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou nesta terça-feira, 22, o último recurso do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) e determinou sua prisão, seguindo o entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal) que autoriza o cumprimento da pena após condenação em segunda instância.

O mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça, segundo o jornal Folha de S. Paulo, foi enviado à Polícia Civil e à 9ª Vara Criminal para que possa ser cumprido.

O advogado de defesa, Castellar Guimarães Neto, afirmou que se encontrará com a juíza responsável pelo processo na 9ª Vara para acertar detalhes sobre uma eventual entrega de Azeredo e sobre as condições de prisão, como cela especial por exemplo.

Os desembargadores já haviam concordado em expedir a prisão de Azeredo, desde que antes fossem esgotados os recursos possíveis na corte.

Os embargos declaratórios julgados nesta terça foram considerados o último recurso possível e, por isso, a prisão foi decretada de forma imediata.

Os advogados chegaram a pedir que seja aguardada a publicação do acórdão ou o prazo para novos recursos antes que o pedido de prisão fosse expedido.

RECURSOS NA SEGUNDA INSTÂNCIA

Os desembargadores, então, chegaram a discutir se a prisão deveria ser decretada nesta terça e, por 4 votos a 1, entenderam que sim. Os desembargadores chegaram a mencionar o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que teve a prisão decretada mesmo antes de exauridos todos os recursos na segunda instância.

O entendimento, no caso de Lula e de Azeredo, é que novos embargos na corte teriam efeito apenas protelatório.

Por unanimidade, os cinco desembargadores da Quinta Câmara Criminal negaram os embargos de declaração. Com isso, foi confirmada a condenação de 20 anos e 1 mês por peculato (desvio de dinheiro público) e lavagem de dinheiro no esquema conhecido como mensalão tucano.

A defesa de Azeredo aguarda o julgamento de dois habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para tentar impedir sua prisão e obter a anulação da condenação. Ainda cabem recursos ao STJ e também ao STF.

ENTENDA O CASO

Azeredo foi inicialmente condenado em 2015, mas recorreu ao Tribunal de Justiça. Em agosto passado, por 2 votos a 1, os desembargadores mantiveram a condenação em segunda instância.

Desde então, Azeredo teve dois recursos negados no TJ —o último no dia 24.

A denúncia oferecida em 2007 pela Procuradoria-Geral da República, quando Azeredo ocupava o cargo de senador, acusa o tucano de desviar R$ 3,5 milhões de empresas estatais de Minas (Copasa, Comig e Bemge) para sua fracassada campanha à reeleição de 1998.

As empresas pagaram os valores para a SMP&B, do publicitário Marcos Valério, para supostamente patrocinar três eventos esportivos. A orientação para que as estatais concedessem o patrocínio partiu da Secretaria de Comunicação do governo.

As investigações mostram, porém, que os recursos foram usados para cobrir empréstimos da campanha junto ao Banco Rural.

O processo de Azeredo teve início no STF, com o acolhimento da denúncia em 2009. Em 2014, quando a ação estava pronta para ser julgada e o tucano era deputado federal, ele renunciou ao cargo, numa estratégia para voltar à primeira instância e retardar o fim do processo.

OUTROS ACUSADOS NO MENSALÃO TUCANO

Condenados em primeira instância, podem recorrer em liberdade

Renato Caporali Cordeiro, ex-diretor de estatal
Eduardo Pereira Guedes Neto, ex-secretário adjunto de Comunicação
Clésio de Andrade, ex-senador de Minas (PSDB)
Julgamento em primeira instância próximo

Marcos Valério, publicitário
Ramon Hollerbach, sócio
Cristiano Paz, sócio
Punibilidade extinta por prescrição

Walfrido dos Mares Guia, ex-vice-governador de Minas
Cláudio Mourão, tesoureiro da campanha de Azeredo
Lauro Wilson, ex-diretor de estatal

Com informações da Folha de S. Paulo

Leia também:
Justiça autoriza presidente da Câmara de Vereadores de Juruti a viajar

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: TJ de Minas decreta prisão de Azeredo por envolvimento no mensalão tucano

  • É Azeredo…….

    Agora Presidiário, sim!

    Canalha/ Vagabundo………..

    Que apodreça na Prisão……….descansa em Paz.

  • Azeredo (PSDB), preso; Cabral, Picianni, Paulo Melo, Albertasi (PMDB), presos; Gennu (PP), preso; Lula, Pallocci, Vaccari (PT), presos. Devemos aplaudir o Judiciário e os bons ventos que sopram e varrem a sujeira do nosso Brasil. Devemos torcer pelo Brasil e não ficarmos divididos como alguns políticos querem. Pretos contra brancos, ricos contra pobres, plebeus contra elite e assim mais.Essa divisão é uma tática de dominação que só beneficia esses políticos. Vamos acordar e deixar de sermos instrumentos de dominação. Torcer e brigar por este ou por aquele político ou partido, adotando corrupto de estimação não nos levará a lugar nenhum. Aliás, só nos levará aos caos. Não importa o partido. Transgrediu a lei, cadeia nele. As casas legislativas e os governos estão cheios de políticos que deveriam estar na cadeia. Em outubro vamos dar uma basta! Não votar nesses eternos “representantes do povo” é nossa obrigação. O Brasil merece coisa melhor, Só depende de nós. TAPAJOARAMENTE AZUL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *