Fotos – Waldiney Ferreira
Um tigre na toca do Leão

por Núbia Pereira

Moreno, al…ops, baixo (tem 1m65) ;-), olhos verdes, 37 anos.

Divorciado. Já foi Boto, no Tapajós, mas agora ele é Leão. Leonino manso? Hummmm… que nada! Antes do Clube do Remo entrar em campo, num jogo em Santarém, ele fez foi eu sair do salto para um aquecimento básico…(Plaft).

Aliás, o homem é ligado no 220 volts. Não cansa! Pudera, é preparador físico.

Tive que entrar no clima, porque senão… Robson Fábio Melo Silva, o Robson Melo, é ligeirinho, tipo fala rápido, anda rápido, fala, corre, corre, corre… (não teve jeito, não! Eu também tive que correr pra conseguir algumas respostas)…ufaaa.

Quase me ganha pelo cansaço. Confira agora o que consegui arrancar deste pequeno grande homem, do signo de escorpião, e que hoje faz parte da equipe do Clube do Remo (Arrrrrgggg).

Boa tardeeee!

Boa tarde! Assim que você veio me entrevistar?

Assim como?

Toda No Salto…kkkkkkkkkkkkkk

Kkkkkkkk… Olha, isso é bulling.

Hahahahahah…

Leão é sempre assim… quer dominar, mas tô na minha área. Sou Pantera. Sou Papão. Galera todo ali na arquibancada e na geral tá comigo. hahahaha…

Kkkk… Minha rival.

Falando em rivalidade, o teu currículo é bem grande, né? Tava te estudando e vi que você já atuou em vários times…

Pois é. Já trabalhei no Castanhal, Imperatriz-MA, Ananindeua, Ypiranga-AP, São Raimundo, Independente, Paragominas, Taquaritinga-SP e, agora, no Clube do Remo.

Há algum requisito que os clubes exigem para você se tornar o preparador?

A experiência conta muito. Mas, é preciso ter formação superior.

Hummm… E como surgiu o interesse em ser preparador físico?

Quando eu jogava profissionalmente futsal, já pensava em atuar nessa área e a de fisiologia do exercício.

salto19

Qual é o time que você torce mesmo?

Torço pra quem me paga atualmente…kkkkkkkkkkk

Espertieeenhoooo

Foi fácil para ingressar na área?

Eu atuava em clubes de base e escolinha, em Belém, quando surgiu o convite do Castanhal em 2005 no profissional pelo fisiologista Divaldo Martins

O primeiro time qual foi? Conseguiu o resultado esperado?

Foi o Castanhal Esporte Clube. Conseguimos subir de divisão e fazer ótima campanha em 2006 na elite. Foi muito positivo.

Você já se deparou com um atleta preguiçoso, sem disciplina, aquele tipo que da um trabalhão pra ficar em forma?

Já sim, em todos os clubes que passamos tem um pouco disso também. Mas é fácil lidar hoje em dia com a exigência que o desporto proporciona. Não tem mais espaço pra esse tipo de atleta.

O que é mais difícil na tua carreira?

Os curiosos de plantão, atletas sem compromisso com as metas, estrutura deficiente e clubes que não honram os salários acordados.

Hoje você trabalha no Remo, mas já atuou como preparador físico de uma galera espalhada por aí…Você é um cara de muitos amigos, ou depois que acaba o trampo cada um vai para o seu lado?

Ninguém consegue ser unanimidade nessa área, mas creio que tenho alguns amigos e parceiros sim espalhados por esse Brasil. Fica o contato com quem nos identificamos ao longo da caminhada.

Quando terminar o Campeonato Paraense 2016 quais são os seus planos?

Continuar nossos projetos aqui no Remo, que são a vaga na Sulamericana, ir longe na Copa do Brasil e o acesso à Série B 2017.

Você atuou no Boto do Tapajós, na vida real você é um “boto”? rs rs

kkkkkkk… claro q não! Tenho meus hobbys e meu estilo próprio.

És um homem muito assediado?

hahahahahahaaaa… Na verdade as mulheres mantém certa distância pelo posto que estou como um dos comandantes. Creio q ficam na defensiva! Mas procuro lidar de boa com isso.

Salto - tigre (20)

A mulherada “pira” quando olha para esses lindos olhos verdes?

Kkkkkkkk… Pra ser sincero, não. Alguns elogios aqui, outros ali…mas tudo dentro da normalidade. ahahahahhahahahaha

Kkkkkkkkkkkkkkkkk… Me engana que eu gosto.

Você é divorciado, né? Mas, quando tá com alguém rola muito ciúme da companheira?

Já fui casado e minha ex sabia lidar bem com isso, já me conhecia e sabe que tenho muitos amigos, parceiros e contatos.

Huuuummmmmmmmmmm…

Até por ser Ddocente de nível superior também com muitos alunos e alunas de Educação Física.

Nem vou comentar… kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Você é um cara que curte o quê, além da boa forma física?

Gosto de programas com minha família, no bairro do Telégrafo, gosto de cinema, um bom samba com minha cerveja e viajar por esse Parazão e esse meu Brasil.

Bebe e fuma? …

Bebo sim. Sem frescuras… Porém, tudo podemos no momento certo! Kkkkkkkkkkkkk… esses três pontinhos ai, heim?

kkkkkkkkkkkkkkkkk… nada, nada não hahaha

Salto - tigre (18)

Qual tua relação com Deus?

Total dependência…Ele direciona, me fortalece e me protege. Sou católico e frequento as novenas de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, terças, e a Igreja Matriz, aos domingos.

Na hora de entrar em campo, você costuma lembrar o que aos jogadores?

Na entrada do túnel, que dá acesso ao gramado, procuro relembrar dos trabalhos, das fraquezas do adversário, do compromisso e da maturidade de jogo! Saber ler o jogo é fundamental para se ter êxitos. Oriento fisiologicamente e aí vamos pra partida.

Me diga o que eles não podem, de fato, antes do jogo!

Tudo se pode na hora certa, no momento adequado, porém, sempre alerto que são atletas de alto rendimento e que devem ter moderação. Dependem do corpo e de seu estado físico…

Sexo pode? hahahahah…

Sexo pode!! Hahahahahah…

Você acha que preparador físico é valorizado aqui no Pará?

Ainda não. Precisamos evoluir muito nesse quesito, pois a responsabilidade é grande e envolve uma paixão nacional, fanatismo e clubismo grandes. Sem falar nas condições que nos são dadas! Tenho esperança que nossos gestores vejam isso antes que o futebol regional decaia mais ainda…

Qual é sua metodologia de trabalho como preparador físico?

Aberta, transparente e profissional. Procuro respeitar os princípios do treinamento desportivo e as avaliações feitas no início dos trabalhos. Tento periodizar os treinos em formas de microciclos e 1 mesociclo.

Salto - tigre (17)

Já aconteceu alguma situação inusitada na tua carreira?

Por duas vezes recebi cestas e presentes de torcedoras durante o trabalho e aí já viu né? Os atletas não perdoam…Hahahahahahah…

Kkkkkk…..

Gosto de futebol, mas não sou a pessoa mais correta para comentar. Mas, você é mais do que preparado para isso, então, o que você acha do futebol paraense?

Em ascensão, após alguns anos sofrendo. Temos muitos valores na região que precisam ser trabalhados e desenvolvidos. Vejo com bons olhos os times do Pará nas series A, B e C do brasileiro.

E da organização?

Ainda somos amadores, precisamos evoluir enquanto gestores de esporte, ideias inovadoras e responsáveis. A palavra é descentralizar. Vejo poucos gestores fazendo isso na região. Os clubes precisam ser auto-sustentáveis e ter estrutura mínima de trabalho para crescerem.

Você tem tempo suficiente para preparar os atletas para a competição?

Muito difícil, quase que 80% das equipes não respeitam esse período. Aí entram vários outros fatores em questão: financeiros, logística, material, condições e etc.

Imagino…

O que você acha do formato da competição em relação aos outros campeonatos estaduais?

Injusta. Poderia ser mais vantajoso para os clubes e cidades sedes. Na verdade, nós temos um torneio de 9 jogos. E se for às finais podendo ir mais longe nesse número de jogos. Os presidentes dos clubes tem o poder de mudar esse cenário.

Os clubes do Pará já fornecem uma estrutura adequada de trabalho a profissionais como você, por exemplo?

Alguns sim. Mas ainda estamos evoluindo no quesito preparação física e fisiológica. O próprio Clube do Remo, que é um dos grandes no Pará, ainda está se modernizando em aparelhos e materiais da área, após minha chegada em maio do ano passado.

O que falta para um clube paraense está na elite do futebol brasileiro?

Falta pouco… Temos qualidade, paixão do torcedor, apelo popular e da mídia, temos tradição e peso, precisamos nos organizar, a nível de gestão e organização interna. Futebol é coisa séria e precisamos de mais profissionais nas suas referidas áreas. Não temos espaço para amadorismo e paixão clubística. Tem que ser respeitado o profissional e seus funcionários.

Os atletas de futebol paraense trazem uma boa formação técnica, tática, física e emocional equivalente aos jogadores de outros estados?

Rsrsrsrsrsrs… Com certeza não! Mas, já vemos mudanças significativas na mentalidade de alguns atletas. Temos dificuldade quanto a isso…Eu qualifico dois tipos: os atletas e os jogadores de futebol, nós temos muitos jogadores de futebol atuando no Pará. O atleta é aquele que vive e depende do futebol, se concentra no trabalho, investe em si, tem vida rotineira de atleta de alto rendimento, o jogador é o cara sem comprometimento com sua profissão, sem respeito ao seu corpo e seus limites.

Salto - tigre (7)

Por que, ultimamente, o Pará tem revelado poucos jogadores de destaque para o cenário nacional?

Rummm… Discordo! Na verdade temos revelado até um bom número, porém não aparecem aqui no cenário regional. Vão se destacar em outros centros. Por exemplo: no Corinthians temos 3 atletas daqui na base; no Cruzeiro, mais 2; no Goiás, 4; no Atlético, mais 2… Isso sem falar no exterior e times profissionais de séries A e B. Todo ano estamos importando e exportando atletas. Para você ter uma visão melhor é só acompanhar os plantéis dos times das duas principais divisões do Brasil, A e B.

Hummmmmmmmmmm…

Você é professor do ensino superior?

Sim. Atuo como contratado em algumas instituições, a mais recente foi a Ietep/Facesp de Paragominas, mas já lecionei na Unissulma de imperatriz e Unopar. Leciono aulas para discentes de educação física, a nível de treinamento desportivo e áreas de atividade física e saúde em geral.

Como profissional de educação física, como você vê a educação física dentro da escola? É valorizada?

Vejo essencial para o desenvolvimento do cidadão num todo. Ainda precisa ser mais valorizada pelos governos. Assim como outras disciplinas. Cada uma disciplina tem sua parcela de contribuição na formação do aluno e conosco não é diferente, cada educador tem sua metodologia de ensino para sempre explorar o melhor do aluno.

O que você acha do nível dos alunos universitários, atualmente?

Temos uma geração muito boa saindo para o mercado. Ainda vão ter que se preparar mais e se qualificar. Hoje têm as facilidades que não tinha na minha época, como internet, redes sociais e a legislação atual, com conselhos e diretrizes.

Salto - tigre (9)

Falando nisso, como você analisa essa geração, que se diverte mais com os jogos eletrônicos e internet?

Entraremos aí em outro âmbito, que vai da criação dos pais até a insegurança das ruas atualmente, com uma sociedade capitalista e consumista ao extremo. Mas, temos vários projetos sociais grátis e pagos que podem suprir essa deficiência, porém a criança não se governa, deve ser direcionada. É uma luta maior a dos pais hoje em dia.

Você acha que esse contexto empobrece o vocabulário motor das crianças e promove o sedentarismo infantil?

Muito. Tenho convicção que a criança que tem a oportunidade de vivenciar vários e diversos momentos motores leva vantagem na sua rotina de vida em relação à outra criança que não vivenciou esses momentos.

Acreditas que o sedentarismo vai dominar a futura geração?

Creio que não chegaremos a tal ponto, mas essa estatística irá aumentar sim. Cabe a nós educadores, pais e sociedade letrada mudar esse panorama. A atividade física e a informação é muita difundida atualmente… Então temos maior conhecimento do que faz bem e, também, do que não faz.

Remo ganha ou não esse campeonato? Eu tô torcendo para que NÃO!!! rsrs Mas, boa sorte!

Queremos muito esse tri. Pra mim será o primeiro ainda pelo Remo.

Aliás, o que se pode esperar do Remo nesse campeonato, afinal, ainda há muito jogo pela frente, né?

Pode se esperar muita dedicação, compromisso e uma luta árdua pelo tri estadual.

Salto - tigre (12)

Hahahahahha.. Hoje você é leão, mas se fosse um animal mesmo “dos veras”, qual seria?

kkkkkkkkkkkk… Um tigre, pela garra e pela luta diária pela sobrevivência.

Tigrãoooooooooo… hahahahahah

Obrigada por esse bate-papo. Sai do Salto e acabei ficando mais séria, mas curti ter conhecido um pouco da sua vida. Desejo brilhantismo e muito sucesso na tua caminhada.

Eu que agradeço pela oportunidade. Hahahahha Também curti esse momento No Salto.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

2 Comentários em: Um tigre na toca do Leão

  • Robson um dos melhores preparado Fisico q eu já trabalhei excelente profissional,espero ver ele brilhando cada vez mais . Abraço do seu amigo Edilson Belém.

  • Parabéns mano. Ta dando o melhor pelo leão…
    Mas por favor… vai contudo pra cima do Vasco. eu acredito que possamos ganhar dentro da casa deles….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *