Carta aberta sobre a pandemia aos usuários da Unimed

INFORME PUBLICITÁRIO

A Unimed Oeste do Pará entende o momento singular que o mundo todo vive, a Pandemia COVID-19. Entende-se que a melhor solução, proposta pela Organização Mundial da Saúde – OMS  –  o isolamento social, também acarreta para as empresas outras situações como a queda no consumo de bens e de serviços, a falta de clientes, os atrasos de pagamentos de débitos, além de demissões, licenças não remuneradas e,  consequentemente, a crise econômica.

Entende, também, que a vida é mais importante que a economia e que neste momento todos os esforços devem estar alinhados para preservá-la.

O que estamos fazendo?

No intuito de preservar a qualidade dos atendimentos aos nossos usuários, caso aumentem os casos do novo Coronavírus na cidade, a Unimed Oeste do Pará já estabeleceu um plano de contingência, que visa descentralizar o atendimento de urgência e emergência do hospital, para outros pontos espalhados por Santarém e concentrar no hospital apenas casos médios e graves para, desse modo, diminuir a possibilidade de contágio com o vírus. Esta ação faz parte dos esforços econômicos que estamos fazendo neste momento a fim de amparar nossos clientes diante do cenário atual.

O que é essencial?

Essa é uma pergunta que tem agendado conversas ao redor do mundo. Quais os setores indispensáveis durante esta Pandemia? O que não pode parar? De quais investimentos, mesmo durante a crise, não posso abdicar? Dentreos vários setores essenciais, um tem sido consenso da população: a saúde. E por que ela é tão essencial?

Dados da OMS mostram que pacientes em casos graves do COVID-19 utilizam por mais tempo as UTI’s nos atendimentos de saúde. No Brasil, a maior parte da população utiliza o serviço público de saúde e este tem estado cada dia mais congestionado, embora o Brasil ainda não tenha chegado aos dias de pico da Pandemia, como informam especialistas em saúde, em virologia e em infectologia.

Por outro lado, temos o serviço particular e os planos de saúde que atendem uma massa menor da população e estão reformulando seus planejamentos para conseguirem atender de forma mais eficiente seus usuários.

O mercado de planos de saúde é gerido baseado no princípio do mutualismo, logo, a contribuição de todos é essencial para o benefício individual de cada um dos contribuintes.

De maneira prática, a continuidade dos pagamentos das mensalidades do plano de saúde é o que mantém o atendimento àqueles que precisam mais e utilizarão nossos serviços, neste momento, para se manterem vivos. Mesmo percebendo que o momento pede uma ação imediata para redução de custos, recomendamos aos nossos usuários que, por segurança, continuem com seu plano de saúde.

O Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais de saúde têm divulgado o quanto é importante que setores essenciais não parem, e que não desamparem a quem precisa tanto dos seus serviços.Nesse sentido temos estado aqui.

Em meio ao turbilhão, continuamos firmes e certos de que existe uma guerra invisível que atinge a nós também. Expomo-nos, mas praticamos o nosso jeito de ser que é cuidar de vidas. Fomos formados para isto, e estaremos firmes todos os dias,para que você, seus funcionários, familiares e amigos fiquem em casa, e seguros.

Contem com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *