Justiça remarca audiência com médico

A Justiça Federal remarcou a audiência de instrução e julgamento do médico contratado pela Prefeitura de Santarém (PA) em 2015, exonerado no início de 2016, e que recebeu R$ 370 mil sem trabalhar até o início de 2018. Ele é réu em ação por crime de apropriação indébita movida pelo MPF (Ministério Público Federal).

O caso tramita na 1ª Vara da Justiça Federal desde 2018. E está nas mãos do juiz Felipe Gontijo Lopes. Foi ele quem remarcou a audiência (prevista anteriormente para 3 de março próximo) para o dia 24, também de março, às 11h.

 

O médico Paulo Roberto da Silva Costa Júnior, formada no campus da Uepa (Universidade do Estado do Pará) em Santarém e que atualmente reside em Belém, nega a acusação.

Na sua manifestação inicial ao juiz, ele disse que “não se apropriou de qualquer valor indevidamente depositado em sua conta, senão que sempre esteve aguardando manifestação do Município de Santarém, para devolução”.

Na audiência, o magistrado ouvirá as testemunhas arroladas pelo MPF (4 no total) e defesa do réu (no total de 7), assim como fará o interrogatório de Paulo Roberto Júnior.

Primeira mão

A acusação contra o médico foi noticiada pelo Blog do Jeso em primeira mão em março de 2018. Em dezembro do mesmo ano, o MPF confirmou a informação ao noticiar o recebimento da denúncia pela Justiça Federal.

Justiça remarca audiência com médico
A ficha do médico no CRM. Arquivo BJ