Odebrecht de Chico Alfaia, Allgreens sumiu de Óbidos após ser denunciada ao MPF
Chico Alfaia, gestão alvo da PF e MPF

Uma espécie de Odebrecht do primeiro ano do governo Chico Alfaia, prefeito de Óbidos (PA), quando chegou a faturar cerca de R$ 500 mil em venda de remédios, a Allgreens Hospitalar não conseguiu fechar nenhum contrato com a prefeitura após ser denunciada ao MPF (Ministério Público Federal) no final de 2017.

A empresa, com sede na cidade de Aparecida de Goiás (GO), é um dos principais alvos da operação Contraste, deflagrada na terça-feira (5) pela Polícia Federal.

 

Há indícios de que a Allgreens tenha recebido o pagamento da Semsa, via Fundo Municipal de Saúde, sem fazer a efetiva entrega dos medicamentos. Ela foi a maior fornecedora, pelo menos no papel, de produtos farmacêuticos para o governo Chico Alfaia em 2017, o primeiro dessa atual gestão.

O contrato que ela fechou naquele ano foi na ordem de R$ 1,7 milhões. O documento, assinado pelo próprio Chico Alfaia, foi celebrado em agosto de 2017. Altevir de Assis Viana assinou pela Allgreens. A vigência era de apenas 4 meses — agosto a dezembro.

Logística impressionante

Chamou atenção da PF a eficiente logística da suposta entrega dos medicamentos pela empresa à prefeitura.

“Consta na grande maioria das notas fiscais a saída dos produtos de Goiás em um dia e o recebimento em Óbidos logo no dia posterior, sem qualquer menção ao nome do transportador ou ao meio de transporte utilizado”, revelou a PF em release à imprensa no dia da operação.

De acordo com o Portal da Transparência da Prefeitura de Óbidos, a Semsa pagou em 2017 à Allgreens R$ 445.853,00 — de um contrato no valor total de R$ 1.774.206,80.

Veja cópia do contrato assinado por Chico Alfaia e não pela ex-secretária de Saúde Melina Braga.

Nos anos seguintes, 2018 e 2019, não consta no portal nenhum pagamento à empresa. Como também não consta a participação dela em nenhum outro processo licitatório pós-2017.

 

A Allgreens foi denunciada ao MPF no final de 2017, por vereadores da oposição em Óbidos. Entre os quais, Preto Sousa (PSD), ex-presidente da Câmara de Vereadores e que acusou Chico Alfaia de ser um dos integrantes de uma “quadrilha” na área da Saúde especializada em desviar recursos públicos.

Preto Sousa e Chico Alfaia agora são aliados. O vereador integra a bancada governista da Câmara e apoia à reeleição do ex-desafeto.

A operação deflagrada em Óbidos foi batizada pela PF de Contraste em referência ao volume de compras de medicamentos pela Semsa no período investigado (2017 e 2018), que contrastou com as notícias de fortes reclamações da população obidense por falta de remédios nas unidades de saúde da cidade e do interior.

Raio X

Nome: Allgreens Hospitalar Eireli – ME

Sócios: Altevir de Assis Viana e Antonio Castro Lima Filho.

Sede: Av. V 6, Qd. 324, Lt. 12, Bairro Cidade Vera Cruz, CEP.: 74.937-600, Aparecida de Goiânia/GO.

Capital social: R$ 500 mil

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

Um comentário em: ‘Odebrecht’ de Chico Alfaia, Allgreens sumiu de Óbidos após ser denunciada ao MPF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *