* A criança recebeu injeção de óleo mineral na veia

Luane Caroline Winholte Campos, de 5 anos, morreu no Hospital e Maternidade Sagrada Família, em Santarém, por ter recebido, equivocadamente, uma injeção de óleo mineral na veia. A aplicação do medicamento teria sido feita por “um dos enfermeiros” do hospital.

Leia também:
Luane morreu. Lembram dela, senhores médicos?.

A revelação foi feita pelo pai da criança, Ladilson Rego Campos, ao delegado Jamil Casseb, da 16ª Seccional da Polícia Civil em Santarém na tarde de  quarta-feira (18).

De acordo com o BO (Boletim de Ocorrência) registrado na Polícia Civil, cujo teor o blog teve acesso há pouco, foi o médico pediatra Rodrigo Chanini quem denunciou a causa mortis de Luane.

A denúncia foi feita por Chanini ao próprio pai da criança.

Luane entrou no hospital no dia 31 de março, com otite (inflamação no ouvido), diagnosticada pelo médico Edgar Bueno. Ele e Chanini responsáveis pela paciente até o falecimento repentino dela, na segunda-feira (16), data programada para a criança receber alta.

Não é a primeira vez que o Sagrada Família é denunciado por negligência.

No início do ano, o hospital aplicou uma benzetacil na veia de um senhor de 66 anos. Ele só não morreu porque trocou de hospital imediatamente, onde foi realizado procedimento de retirada do antibiótico do sangue dele.

Médicos anestesiologista têm feito reiteradas denúncias de “descalabro” reinante no interior do hospital.

A morte de Luane foi denunciada em primeiro mão, na terça-feira,  (17), aqui no blog por Antenor Giovannini. E imediatamente virou pauta de jornais, blogs, rádios e telejornais de Santarém.

O BO registrado contra o Sagrada Família pelo pai de Luane não é inédito.

No final do ano passado, 3 médicos estiveram na 16ª Seccional da Policia Civil e registram BO contra o hospital por suas “condições precárias”.

A direção do Sagrada Família se exime de qualquer culpa pelo ocorrido.

  • 46
    Shares

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

32 Comentários em: Pai de Luane registra BO contra hospital

  • Jeso, os médicos daquele hospital não estão enquadrados na letra C do artigo 22 do Código de Ética Médica?
    do blog do Luís Nassif:

    Cremerj não responsabiliza médico por morte da mãe de Sean
    Enviado por luisnassif, sex, 20/04/2012 – 12:45

    Por Marcia
    Do Jornal do Brasil
    Médico acusado de provocar a morte da mãe do menino Sean recebe advertência

    Igor Mello

    O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) divulgou nesta quinta-feira o resultado do processo administrativo contra o médico Nadir Farah, acusado de cometer um erro que causou a morte de Bruna Bianchi, mãe do menino Sean Goldman. A entidade entendeu que o profissional não teve responsabilidade direta no caso e a punição, classificada como censura pública, se deve ao fato de Farah não ter denunciado as condições de trabalho na Casa de Saúde São José.

    O médico foi enquadrado, assim como a colega Izabel de Araújo Nogueira, na letra C do artigo 22 do Código de Ética Médica, “apontar falhas nos regulamentos e normas das instituições em que trabalhe, quando as julgar indignas do exercício da profissão ou prejudiciais ao paciente, devendo dirigir-se, nesses casos, aos órgãos competentes e, obrigatoriamente, à Comissão de Ética e ao Conselho Regional de Medicina de sua jurisdição”.
    p>De acordo com advogado Paulo Lins e Silva, pai do padrasto de Sean, Izabel, que sofre de esclerose múltipla e tem dificuldades de locomoção, ficou sozinha com Bruna Bianchi, embora a equipe médica, chefiada por Farah, soubesse que a situação da paciente era grave. O discurso foi endossado à época das investigações pelo delegado Carlos Sodré, da 10ª DP (Botafogo), responsável pelo caso.

    A estilista Bruna Bianchi, que tinha 34 anos, morreu em 2008, durante o parto de sua segunda filha. O relatório das investigações apontava que um erro médico da equipe que a atendeu. Há dois processos judiciais sobre o caso em tramitação, um criminal e outro cível.

    O Conselho Regional de Medicina, através de sua assessoria de imprensa, afirmou que não presta outros esclarecimentos, além das informações publicadas no comunicado oficial, sobre casos julgados no Conselho de Ética da entidade.

    Segundo especialistas, o simples fato de o Conselho ter se reunido e exposto publicamente a advertência já é algo incomum e pode ser considerado uma punição.

    “Ele acabou com a vida da minha família”, afirma avó de Sean

    Silvana Bianchi, avó do menino Sean e mãe de Bruna Bianchi, falou ao Jornal do Brasil sobre a punição de Nadir Farah. Ela conta que ficou sabendo da sentença durante a manhã desta quinta-feira, ao se deparar com o informe oficial em um jornal de grande circulação. Ela não quis opinar sobre a decisão, mas responsabilizou a equipe médica pelos problemas que afligem sua família:

    “Não sei dizer se a pena foi ou não branda, deixo para Deus julgar isso. Mas o que posso dizer é que ele acabou com a vida da minha filha e da minha família por negligência. Hoje eu tenho duas crianças órfãs de mãe, que estão separadas e não podem nem se comunicar”, afirma.

    De acordo com Silvana, a demora da Justiça, em que ela pleiteia o direito de visitar o neto, faz com que a família brasileira não tenha nem sequer notícias sobre a criança:

    “Não tenho nenhuma notícia do meu neto há 1 ano e quatro meses. Não o vejo há mais de 2 anos, nem um telefonema, email, nada. Ele já vai fazer 12 anos e está tudo parado na Justiça. Quando isso for julgado, ele pode até ter idade suficiente para vir ao Brasil sozinho, se quiser, de tanto que está demorando”, desabafa.
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/cremerj-nao-responsabiliza-medico-por-morte-da-mae-de-sean

    • Deveriam ser. Mas até hoje o CRM/Pará, acionado inclusive por médicos, não deu um único pio a respeito do que vem ocorrendo no Sagrada Família há meses e meses.

  • Perguntas a serem esclarecidas:

    Porque injetaram o tal óleo mineral? Para que serve o mesmo?
    Quem o prescreveu? Como o Dr. Rodrigo já sabia?
    As reações que o mesmo provocam se aplicado, batem com os sintomas que a criança manifestou antes de morrer?

    • Cara Leiga, leia algumas das respostas para suas perguntas neste comentário: http://www.jesocarneiro.com.br/saude/luane-morreu-lembram-dela-senhores-medicos.html/comment-page-1#comment-72619

    • Leiga, neste assunto não sou como vc, sem saber muito da história posso te afirmar que é muito, mais muito, mais muito difícil mesmo, a não ser que a pessoa queira, confundir e injetar óleo mineral na veia. Mais também não posso dizer que é impossível. É um medicamento administração exclusivamente oral (pela boca), parece com um frasco de xarope. A pessoa tem que aspirar com uma agulha e seringa que são estéreis, uma substancia não estéril e colocar na veia de um ser humano. Sou sempre da opinião que PRIMEIRO temos que ouvir todos os lados, consultar experts, antes de fazer essa papagaiada toda! A impressa também precisa ter ÉTICA!

      • Concordo plenamente com o Pensador… como uma pessoa vai aspirar um medicamento sem condições para ser aspirado… por mais estagiário q seja, não tem condições para isso…

        QUEREM É DESVIAR O FOCO… MAS A VERDADE SERÁ DESCOBERTA…

  • É algo muito triste. O óleo mineral, dentre outras coisas, é utilização para pacientes com forte prisão de ventre.
    Sabe Jeso, li diversos blogs que estavam falando a respeito do assunto e essas coisas me trazem diversos sentimentos, vamos lá..

    Questionamento: Se a medicação foi feita de forma equivocada, existe algum protocolo de checagem no Hospital Sagrada Família pra que esse risco seja controlado?
    Pergunto isso, pois nos hospitais acreditados, aqueles que ganharam selo de segurança isso é uma rotina. Aqui em São Paulo temos em alguns hospitais e meus colegas relatam que isso já um procedimento comum implantado algum tempo ai no Hospital Regional. A finalidade desse protocolo é a garantia da segurança de que fatos como esse não aconteçam.

    Revolta:Nenhum hospital está isento de falhas. Acredito que o Gerente do Hospital deveria, nates de se pronunciar, instaurar um procedimento administrativo para apurar o fato e não, de imediato se pronunciar isentando o Hospital Sagrada Família de qualquer responsabilidade.

    Indignação: Também não é uma postura nada ética que seja publicado em outro blog a matéria ” Hospital Sagrada Família não tem culpa da morte de Luane” e a outra logo abaixo: “Criança morre por negligência de médico em Santarém”. Essas matérias foram publicadas num blog dai chamado JK, não o conhecia.
    Mas, fica evidente que a Gerência do Hospital direcionou ao blog essas duas matérias, primeiro para se isentar de responsabilidade e segundo, para transferí-la toda para o “médico” no intuito de manipular a informação e já dar um veridito para o caso (condenando o médico) sem que houvesse qualquer apuração.
    Lamentável e digna de pena tal atitude, visto que ao lado da matéria está o emblema do Hospital Sagrada Família como patrocinador do Blog.
    Isso é algo que me causa uma decepção enorme com o ser humano. Como alguém receber dinheiro e publicar algo desse tipo. É algo extremamente irresponsável que nos mostra o pior lado da humanidade. O responsável por esse Blog Jk deveria ter algumas aulas de ética, respeito e profissionalismo jornalístico pela afirmação feita sem nenhum conhecimento da causa.

    Dor: A dor da família da Luane é algo que não podemos mensurar, pois ela poderia ser evitada. Em caso de confirmação da causa mortis (troca da medicação) fica além da dor a sensação de que a morte ocorreu por um erro que pode ser bloqueado por práticas adequadas de supervisão de enfermagem.

    Sei que falar à família que Deus confortará os seus corações não é suficiente. Mas, espero que ele lhes dêem sabedoria e discernimento para conduzir à questão. Ao Gerente do Hospital, sugiro que reveja a sua conduta e os protocolos que ele tem implantado, ao médico que seja mais humano, ao Blog JK que dignamente encerre as suas atividades, pois é uma desonra para a classe.

    • Acho muito interessante um medico lá de São Paulo ter tanta informação de um caso aqui de Santarém, ,as vamos lá…
      conheço bem o Hospital pois tive minha ultima filha lá e fiquei com ela internada durante 7 dias, e vi algumas inegligência da parte de alguns médicos sim, principalmente da área da pediatria, acho que as pessoas acabam culpando o instituição por ser mais fácil. mas se o médico é o responsável pelo paciente, qualquer erro é dele e da equipe que tá coim ele, ouço muitos comentário ruins do hospital, mas se for olhar no geral, todos os hospitais da região estão defasados e a saúde publica uma negação, tem médico se dizendo pediatra e atendendo como tal, mas nem se quer tem a especialização, então vamos nos informar bem antes de falar qualquer besteira por ai…

      • Patrícia, nem sempre, posso até lhe dizer que a maioria das vezes não é “erro médico”, termo este inclusive em desuso pelos que estudam o assunto. Hoje falamos em Erros Assistenciais na Saúde, devido a inúmeros profissionais não médicos envolvidos na assistência a saúde humana e uma vizão mais holística do erro, para seu melhor gerenciamento. Nenhum profissional da saúde gosta de errar, entendam que a medicina está muito longe da exatidão da matemática, por exemplo. Usam-se até um jargão bem popular, não existem doenças, existem doentes!

  • Acionem o MP !Entrem em contato com a GLOBO no Rio , esse negócio de reportagem local não adianta , só serve pra lançar novela, filme e série.E o no me do enfermeiro?Olha tomem muito cuidado , sei de tecnicos não formados, nem aprovados q estão se fazendo passar por profissonais da saúde , indicados por outros colegas aux e tec de enfermagem par dar aquela” força “, cobram como se fossem tecnicos ,e estão conseguindo emprego em casas de familia p cuidar de doentes e idosos ,Por isso peçam o certificado ,e o devido registro e fiquem de olho !

  • olhei o outro blog e não vi nada que senhor João falou, não vi nenhuma acusação ao medico e muito menos a logo do hospital como patrocinadora do blog, acho sim que o “senhor” ta com má intenção sobre o hospital, pra falar a verdade, acho negligencia dos anestesista que recebem duas vezes pelo procedimento, quando fui ter meu filho no hospital além de usar o meu plano de saúde, tive pagar novamente para o anestesista porque mudei de acomodação de enfermaria para um apartamento, depois de já ter feito a cirurgia e já estra na enfermaria, é por isso que esses médicos estão ficando rico$$$$$,

    • Tamara, acredito que você entrou no blog errado. Conforme o Sr. João relata está muito claro no blog do JK a acusação feita ao médico em uma matéria e a afirmação de que o Hospital Sagrada Família não tem culpa sobre a morte da menina Luane.
      Como também a logomarca da São Camilo e do Plano PAS. Se você não sabe, lhe esclareço: o Hospital Sagrada Família e o Plano PAS pertencem à São Camilo, patrocinadora do Blog.
      Bom talvez você seja amiga pessoal do mercenário que comanda o blog. Ai você não vai enxergar mesmo.

  • Agora o caldo tá entornado, o leite derramado e só falta às máscaras caírem e os rostos dos culpados virem à tona. O médico já disse que houve injeção errada, já falam até que quem injetou era apenas estagiário e aí? Depois do ocorrido até técnicos que já trabalharam lá, contam histórias horripilantes e que de certa forma fazem sentido. Dizem que o numero de pacientes para um único técnico tomar conta é muito maior do que preconiza o COREN – Conselho Regional de Enfermagem, mas dizem também que os representantes deste em Santarém, tem motivos de sobra para não exigir que se cumpra a norma, e aí? Eles também são responsáveis pela morte da pequena?. Dizem que o CRM também faz vista grossa, por quê? Dizem que o atual gerente ainda não sabe de nada, chegou com a função de bombeiro, custou a atuar no incêndio e o paiol explodiu e ele tá mais perdido do que cego em tiroteio. Dizem que nos últimos tempos quem mandava no hospital era a segunda pessoa do administrativo juntamente com a gerência de enfermagem, onde existe uma pessoa que lhe sobra prepotência, arrogância, preguiça e testosterona. Uma mãe já me disse que a dor da perda de um filho não passa nunca, mesmo depois de muitos anos, uma vó que perdeu uma neta no mesmo hospital de forma parecida e que trabalha na Yamada também me disse que tiraram um pedaço dela e que a vida dela não é mais a mesma. E ai? O Delegado Casseb é um homem experiente e é pai, com certeza vai ouvir todo mundo, inclusive os estagiários que estavam naquela noite de sábado ou tarde de sábado como disse o doutor à família. Aos familiares, Deus os conforte e os console. Aos culpados, que assumam a culpa e que se arrependam, ainda é tempo.

  • Jeso, em breve o Hospital vai sofrer mais uma denúncia, uma senhora, deu entrada com fortes colicas e internada, ao ser levada para o bahneiro do seu quarto caiu, devido o chão estar molhado e não ter piso antiderrapante, sofreu fratura e teve que ser operada.

    Outra questão a ser levantada, ou melhor respondida é se esse Dr. Rodrigo Chanini, acho que o sobrenome não é esse, é realmente pediatra, recebi uma denúncia de que o mesmo não seria!

    O HSF, tem pouquisimos enfermeiros para a quantidade de pacientes, sobrecarregando os mesmo e assim levando a erros!

    Espero que enfim alguém tome uma atitude com a irresponsabilidade do admiistrador deste Hospital, que tanto respaldo já teve em nossa cidade, para que o mesmo volte a receber com dignidade seus pacientes!

    • Gregório, tenho quase certeza que o Rodrigo Chanini é pediatra. Lembro que ele já estava, há cerca de 1 ano, fazendo a referida especialização.

      • Jeso,

        Pelo que fiquei sabendo devido esta confusão, e que me causou grande surpresa, é que apenas 02 médicos possuem título de pediatria na cidade! E que o tal médico é apenas clínico geral. Seria isto mesmo verdade?
        Como podemos verificar esta questão?

      • Ele está fazendo residencia de ortopedia!

      • Quase certeza?… so pode ser piada,.É evidente que ele não é pediatra, é apenas clínico geral.Procure se informar melhor antes de dar uma resposta infundada dessa.

        • Infundada por quê? Procure o CRM e verifique lá. Ou então o próprio médico. Seu questionamento é que é infundado.

  • Deus ilumine as mentes de todos os envolvidos para que tudo seja elucidado. Sr João Martins Picanço, nõa existe protocolo para conduta nenhuma lá.No Hospital Regional é conduta rotineira. O Hospital Sagrada família estagnou no tempo e espaço. O s Administradores ou Gerentes que lá trabalham e são colocados pelos senhores Camilianos aí de São Paulo são despreparados e outros bem preparados.Acho, Médicos também são culpados e ,às vezes, soa-nos como coniventes com os desmandos que lá acontecem. Anestesiologistas que sempre lutaram exigiam melhores condições de trabalho foram enxotados de lá. Temos Auditores de SUS que lá trabalham, Médico da Delegacia do CRM-PA também atende pacientes lá, a Secretaria Municipal de Saúde tem conhecimento e nada acontece com esse Santo Hospital.É comum , os Gerentes, ficarem se eximindo de culpa e lançando-a em Médicos que lá trabalham. O tópico sobre o óbito da menininha está repleto de denuncias, leia principalmente o comentário do Dr Telmo e da Sra Neia, primorosos, é o retrato real do que acontece no Sao Camilo de Santarém, é asqueroso determinadas condutas de indivíduos que só visam lucros financeiros, tudo tem que ser apurado, vamos cobrar, somos importantes na cadeia de punição aos culpados.

  • Ola pessoal.
    Este caso de óleo mineral e uma faça porque ingerido via oral o produto ira consta em todo o corpo do paciente, isto se chama incompetência e falta de impunidade e também o quadro de funcionário não tem um treinamento e nem um direto de HOSPITAL com o curso de ADMINISTRAÇÃO, e ate quando o poder publico ira conviver com tudo isto.
    Com a minha ignorância que pago mais de 400,00 de INSS para que mais isto ja vem descontado e ficamos a mercê de tudo e todos isto e minha indignação………………………………………………?

  • Este hospital precisa de uma reforma geral no seu quadro de funcinários, principalmente técnicos, enfermeiros, médicos, secretários..Tanto faz o atendimento particular pago em dinheiro, cartão ou plano de saúde, o atendimento é péssimo, horas para ser atendido e alguns médicos simplesmente nem olham para o paciente. Eu fui várias vezes, recordo pelo menos cinco, a emergência deste hospital com fortes dores e nunca diagnosticavam meu problema, passavam sempre um medicamento para dor, sem fazer nenhum tipo de exame como tocar ou olhar, e quando com muita insistência para ser internado, diagnosticaram que era apendicite e que a cirurgia deveria ser logo ser realizada.

    Enfim, me arrisco a dizer que o problema da saúde em Santarém não é falta de hospitais nem médicos ou enfermeiros, é de pessoas capacitadas e interessadas em cuidar da vida humana e não somente do bolso…

  • Primeiramente gostaria de ti parabenizar pela sua atitude imparcial quanto a esse fato lamentável. realmente, ninguém tem o direito de acusar quem quer que seja enquanto não houver provas que indiquem os reais culpados pela morte dessa pobre criança. todos nós conhecemos a realidade do sistema de saúde (não só em Santarém como em outras cidades).São poucos médicos pra tratar de muitos enfermos. Essa que é a verdade. Agora analisa só. Se foi aplicado óleo mineral na criança que culpa o médico tem nisso? . Deveria ter uma equipe técnica dentro do hospital para acompanhar acompanhar a atuação desses enfermeiros e ao mesmo tempo dar o apoio necessário para que esses profissionais desenvolvam um trabalho digamos satisfatório. Lamento muito pela morte dessa criança e aproveito a oportunidade para levar uma mensagem de fé e esperança aos familiares dessa criança. Para que acreditem em deus acima de tudo. Acho que é isso que precisamos transmitir através de nossas palavras. uma palavra de conforto. e não um sentimento de vingança.

  • Diz a música popular brasileira: ” PRIMEIRO É PRECISO JULGAR PARA DEPOIS CONDENAR”. Confio na autoridade policial que apurará o caso, o culpado deverá ser punido dentro da lei.Não adianta ficarmos atirando pedras a todo lado, São Camilo irá iluminar as mentes de nossos investigadores.Cocluido o inquérito vamos cobrar justiça.

  • Jeso, o Médico no Brasil tem seu registro de especialidade em sua carteira profissional, independente de ter feito residência médica ou não.O Médico não está impedido de praticar a especialidade que lhe aprouver, há necessidade do registro referido que será analisado pelos CRM’S ESTADUAIS, cada Médico pode registrar duas especialidades,qualquer esclarecimento suplementar consulte o DELEGADO regional em Santarém, Dr Pedroza.

  • Acho que Jequitibá deveria falar quem realmente é, ultimamente ele vem demostrando ser um diabo vestido de anjo.

  • Problema gravissimo que se alastra a todos setores da saúde pública e privada.

  • Dona Leninha, sou um cidadão denunciando descasos onde vidas são ceifadas, calúnias e artifícios ardilosos de administradores para conseguir liminares judiciais em favor de seu hospital com fins pecuniários.Continuarei denunciando como diabo,em favor da população e de minha consciência, tenho plena certeza de que estou construindo algo .Não pararei enquanto não derem um basta nos desmandos .Se a Senhora quiser me conhecer e conversar comigo pessoalmente terei o maior prazer.Outra coisa, tudo o que denuncio aqui provo , tenho aversão a calúnias.Não sou anjo travestido de Diabo , sra LENINHA, SOU DIABO MESMO!!!!!!!

    • Leninha, tentar desvendar o sexo dos anjos é o que menos importa na atual situação. Eu, por exemplo, já acho que o vulgo “Antonio Jequitibá” pode ser até uma linda diabinha vestida de anjo!
      Agora uma coisa é inegável, “ele” sempre está por dentro dos acontecimentos da saúde, escreve bem e com certo conhecimento jurídico. Gosto muito!

    • kkkk …

  • Ilustre Delegado Kasseb, argua também no caso da meninhnha Luane, os Diretores Técnico, Clínico e Gerente atual. Pergunte também ao Diretor Administrativo (Gerente) se o mesmo tem Médicos a qualquer momento para atender a todos os planos de saúde conveniados com o Sagrada Família.Pergunte também porque os pacientes teem que pagar MÉDICOS EM CARÁTER PARTICULAR SE HOSPITAL TEM PLENA OBRIGAÇÃO DE FORNECER PROFISSIONAIS ACORDADOS EM SEUS PLANOS, P EX, Unimed, Cassi, Funcef, Marinha, Fusex, Iasep, PAS ( plano próprio).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *