Moradores e empresários cobram mais segurança para Alter do Chão, Alter do Chão - Correios

Agência dos Correios em Alter do Chão, alvo de 2 assaltos em pouco mais de 1 mês

por Sávio Carneiro (*)

A violência deixou de ser manchete de jornal apenas nos bairros de Santarém. Os moradores de Alter do Chão estão aterrorizados com a violência que vem acontecendo num dos mais famosos balneário do país.

Nos últimos 30 dias, o distrito santareno foi abalada com o registro de 2 assaltos à agência dos Correios e com uma família que feita refém por bandidos numa casa de praia no último final de semana das férias de julho.

Cerca de 100 comunitários, moradores e empresários do turismo na vila estiveram reunidos na noite da última quinta-feira, 10, no salão paroquial do balneário, para debater sobre várias demandas.

Ao final, foi elaborado um abaixo assinado com pedidos para os governos municipal e estadual em benefício de Alter do Chão.

O site/blog Jeso Carneiro esteve na reunião, e conversou com alguns moradores.

BANDIDAGEM

A principal reclamação é a falta de policiamento e o consumo de drogas na localidade, favorecendo o aumento da violência.

Para o funcionário público e morador de Alter do Chão há 15 anos Gerson Campos, além do aumento do efetivo da polícia, seria importante ser colocado um posto de segurança na entrada do balneário, para monitorar o acesso dos freqüentadores.

Moradores e empresários cobram mais segurança para Alter do Chão, Alter do Chão - reunião

Reunião, realizada na última quinta-feira, 10, de moradores e empresários do distrito de Alter do Chão

“Sabemos que não vai resolver, mais pelo menos inibirá a entrada da bandidagem”, explicou.

Outros empresários se manifestaram e sugeriram até em contratar uma empresa particular de segurança para atuar na vila, já que os governos municipal e estadual relegaram o distrito ao abandono.

DELEGACIA

Quando o morador ou turista precisa ir à delegacia da Polícia Civil em Alter do Chão, para registrar uma simples ocorrência, por exemplo, sempre esbarra com o portão do prédio fechado.

É que a delegacia possui apenas um investigador.

Quando necessita fazer uma diligência, tem que fechar a delegacia. Ele é o único policial no distrito.

Atualmente, a delegacia está servindo apenas de alojamento para os policias militares que ali atuam. Todos os registros de ocorrência na comunidade são realizados apenas em Santarém.

Muita das vezes a vitima desiste de fazer a ocorrência por conta disso.

– – – – – – – – – – – – – – –

* É repórter especial do site/blog Jeso Carneiro. Reside em Alter do Chão.

Leia também
Caminhão doado a Santarém será utilizado na limpeza de Alter do Chão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *