A agressão ocorreu na madrugada de hoje. Kelly Barbosa registrou BO contra Marcílio Pessoa. Veja o vídeo do caso

Mulher recebe cantada, diz Kelly, a vítima, e Marcílio, o agressor

Uma mulher sofreu agressão dentro de um bar na madrugada de hoje (23) depois de dizer “não” à cantada de um homem. O caso ocorreu no bairro da Prainha, em Santarém, e virou caso de polícia.

Kelly Barbosa Guimarães registrou BO (Boletim de Ocorrência) na manhã de hoje na 16ª Seccional de Polícia Civil do Pará. O blog apurou que o agressor é Isaac Marcílio Andrade Pessoa, filho de empresário do ramo de venda de combustível na cidade.

Leia também – Réu em liberdade da operação Madeira Limpa vai viajar para os EUA.

O episódio ocorreu no bar Sorriso do Boteco, na rua Imperador.

O site G1/Santarém divulgou o caso em primeira mão, mas omitiu o nome dos envolvidos.

Jornal e novela

Ariana Almeida, que estava em companhia da vítima no bar, denunciou a agressão física e verbal sofrida por sua amiga na rede social Facebook na manhã de hoje.

“Na noite desta terça-feira aconteceu algo que você vê em no [sic] no jornal, novela e etc, mas acha que nunca irá acontecer com você ou com pessoas próximas: Agressão contra mulher”, relatou.

Ao delegado Jamil Kasseb, Kelly Guimarães disse que foi agredida com palavras de baixo calão, e que também sofreu “socos e chutes” desferidos por Marcílio.

Um dos proprietários do bar, vereador Silvio Neto (PTB), declarou que Marcílio Pessoa foi retirado do local após o ocorrido, e adiantou que as imagens do circuito interno já teriam sido entregue à Kelly Barbosa, para ajudar na apuração do caso. Veja abaixo.

Na sua página no Facebook, a vítima disse que chegou dar um tapa no agressor.

“Fiquei sabendo que ele [Marcílio Pessoa] é acostumado a ser agressivo com mulheres e que inclusive já tem processo Maria da Penha contra ele de sua ex-namorada no amo de 2015! O tapa que eu dei foi por todas as mulheres que ele já agrediu e não se defenderam, quem me conhece sabe que eu trabalho muito pra ser chamada de VAGABUNDA”, desabafou.

O blog enviou mensagem a Marcílio Pessoa, mas ele não retornou o contato.

Baixar cabeça

“Eu posso não ter sido a primeira que ele violentou mas eu espero ser a última! Pois o trauma que vou levar pro resto da vida não vai ser em vão e os socos e os chutes que levei por dar um fora em um cara que se acha gostosão! Ele ainda ficou me chamando pra porrada e infelizmente me seguraram pois nem que ele me matasse eu dava mais uns tapas pq eu não aceito baixar minha cabeça pra homem nenhum.

Ele saiu de lá e foi pra sua casa dormir, e eu?! Bom eu chorei e passei o resto da noite em claro, passei a manhã em delegacia tentando fazer algo a respeito e agora onde estou? Estou em meu Studio pra atender minhas clientes das quais tenho compromisso marcado e ainda assim sou taxada de VAGABUNDA!

Obrigada a todos que estão comigo e aos que não estão torço pra não acontecer com você ou com alguma mulher próxima a você! Entrego nas mãos de Deus!”, escreveu Kelly no Facebook.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

10 Comentários em: Mulher recebe cantada, diz “não” e sofre agressão dentro de bar

  • Mais uma vez o G1 fazendo jornalismo de Esgoto. Omite o nome do agressor pq é filho de gente com grana. Assim como fizeram quando omitiram o nome do Fortunato Serruya quando ele atropelou, alcoolizado, e matou um cidadão no último dia 07/09.

  • COITADA DAS DUAS ANTAS METIDAS A JORNALISTAS, DANIELE GAMBOA E TATIANE LOBATO, NÃO TEM AUTONOMIA NEM PARA DAR PALPITE, SE NÃO A DONA VÂNIA MANDA ELAS PRO OLHO DA RUA!
    MAIS UMA PERALTICE DESTES MOCORONGOS METIDOS A BESTA NA NOITE SANTARENA, E ESTE COVARDE QUE NÃO SABE NEM CANTAR UMA MULHER, VAI CANTAR UM TRAVECO NO VIADUTO SEU PALERMA!

  • enquanto isso, a delegacia da mulher funciona só em horário comercial …. lamentável …

  • Da fruta que esse rapaz gosta, esse senhorita chupa até o caroço. Tá aí o motivo da discórdia.

    • isso é assunto dela e ninguém tem direito de se intrometer, de qualquer forma isso não dá o direito desse sujeito agredi-la

  • Soube da real história, não foi bem assim como a senhorita narrou. Seria bom que a outra parte expusesse sua versão, aí muita gente que vai pela “a primeira impressão é a que fica” iria mudar sua opinião, sem que isso ou aquilo justificasse qualquer tipo de agressão.
    Só pra ter uma noção, o rapaz aí, sem conhecer a “peça”, tentou “canta-la” (o que não tem nada de mais até aí), e como ela também estava lá sob efeito etílico, talvez com o mesmo objetivo dele, a procura de uma namorada, entraram em rota de colisão.

    • Aberlado, vc que, pelo visto, não está envolvido diretamente com o caso, tem vergonha de assinar o seus comentários com nome e sobrenome, imagina o pivô da arenga. Ainda assim, o blog entrou em contato com o agressor e aguarda a versão dele.

  • Resumindo: os dois estavam “altos”, mas esse aí gosta de bater e não sabe ouvir um NÃO.

  • Isso não é homem, é um vagabundo, pilantra que envergonha a classe dos homens. Parece até que não foi concebido por uma mulher para tratar tão mal uma delas.

Deixe uma resposta