Só promessa: delegacia em Santarém do CRA continua fechada

Célio Lima, presidente do CRA no Pará

Passou outubro, metade do mês de novembro já está à vista e nada do presidente do Conselho Regional de Administração no Pará, José Célio Santos Lima, cumprir o prometido: reabrir as portas da delegacia do CRA-PA em Santarém.

Diante da inoperância, a Associação dos Administradores do Oeste do Pará já não descarta a possibilidade de por em prática um plano B para resolver em definitivo essa questão:  acionar a Justiça.

No oeste do Pará, estima-se que haja cerca de 300 administradores habilitados junto ao CRA, e que pagam anuidade de 400 reais.

Leia também:
Océlio Moraes lança livro sobre sua tese de pós-doutorado, por Vicente Fonseca

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

7 Comentários em: Só promessa: delegacia CRA em Santarém continua fechada

  • Um conselho que cobra uma anuidade de 400 reais e não oferece nada a classe. Quando precisa-se de uma informação referente ao associado, liga-se para o CRA em Belém e o atendimento é de pessoas desqualificadas e mal educadas. Para que serve mesmo esse conselho de classe?

  • Um conselho que cobra uma anuidade de 400 reais e não oferece nada a classe. Quando precisa-se de uma informação referente ao associado, liga-se para o CRA em Belém e o atendimento é de pessoas desqualificadas e mal educadas. Para que serve mesmo esse conselho de classe?

  • CRA totalmente inoperante na regiao, humilhando seus profissionais qdo na vdd existe para valoriza-los. Mais uma vez o interior sendo vítima da metrópole. Para o CRA Santarém nao merece ter uma representaçao do Conselho…mas a cada ano nos cobra 400,00 de anuidade. Nao estamos e nao ficaremos de braços cruzados. Vamos continuar a exigir nossos direitos e prerrogativas e precisamos de todo apoio possivel.

  • O grande problema é que o descaso vem exatamente dos superiores, ou seja, dos presidentes, dos delegados, dos responsáveis pelo conselho. E querendo ou não este descaso não é só com relação ao oeste do Pará, é nacional, os próprios lideres do conselho não lutam pela categoria, acreditam que a “administração” é apenas um curso qualquer, apenas uma formação qualquer que mesmo sem ela, qualquer pessoa pode exercer o cargo que não lhe é de direito.

    Tenho certeza que não se vê um Contador, atuando na profissão de engenheiro, ou mesmo um advogado atuando na medicina, porém, vemos infinitos outros cargos como Médicos, advogados, engenheiros, serviço sociais, atuando na área de Administração, que não lhe é de competência. E o conselho nesse momento??? não faz nada mesmo!!!
    Vemos desde a presidência da republica este descaso, vemos em hospitais, onde médicos são nomeados a ocupar o cargo de Administradores, tirando o cargo de pessoas realmente qualificadas e que trariam benefícios não só para o estabelecimento em si, mas para toda a população.

    O CRA deveria investir mais na própria profissão. Aqui em santarém, existem pessoas que querem também dar andamento no seu CRA, porém não se sentem motivadas por conta desse desamparo do próprio conselho. É complicado, mas além dever reabrir a delegacia, deveria também atuar de forma mais profunda na sociedade, cumprindo a própria profissão..

  • De pleno acordo Krisley
    Junte-se a nós. Precisamos nos fortalecer. Venha com a gente. Teremos uma reuniao 3af, 19:30h na Unama.

  • A inoperância do CRA/PA não é pela falta de recursos.

    De acordo com o Relatório de Gestão do Exercício de 2016, produzido pelo CRA/PA e supervisionado pelo CFA, existem recursos disponíveis para investir (Balanço Patrimonial, página 26).

    • Em 2016, o CRA/PA obteve receita de R$ 3.397.037,37;

    • O Balanço Patrimonial de 2016 indica existir R$ 2.035.110,02 de recursos em caixa ou em créditos de curto prazo;

    É lamentável que, apesar do mais de 1 milhão de reais em investimentos, nenhuma ação foi direcionada a Santarém-PA ou região, que forma Administradores desde 1985 (há mais de 32 anos) e hoje possui 14 Instituições de Ensino Superior formando profissionais na área.

    Veja como o CRA/PA tem gastado, sem olhar para os Administradores do Oeste do Pará:

    • R$ 90.419,73 de gastos, em 2016, com passagens aéreas, marítimas e terrestres de diretores;

    • R$ 550.934,98 de gastos com campanha de valorização da profissão;

    • R$ 64.000,00 de investimento em PRODER: “Campanha de Divulgação: Novos Registros”;

    • R$ 311.631,43 de Campanha Institucional para Redução da Inadimplência;

    Os R$ 604.581,78 de recuperação de débitos inscritos na dívida ativa, de Administradores com registro no CRA, que não pagam a sua anuidade, também pode ser um importante indicativo da insatisfação com a condução dos gestores do CRA/PA.

    A despeito do curso de Administração ser o que conta com o maior número de alunos ingressantes e também é o que mais registra alunos concluintes, o ilustre presidente do CRA/PA não demonstra empenho em trazer benefícios ou fortalecer a classe.

    Não queremos o enfrentamento, mas exigimos trabalho e respeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *