Delegada de Alenquer é demitida da Polícia Civil por improbidade e corrupção

Publicado em por em Alenquer

Delegada de Alenquer é demitida da Polícia Civil por improbidade e corrupção
A delegada estava lotada atualmente em Alenquer. Foto: Meramente ilustrativa

Foi demitida da Polícia Civil do Pará (PCPA) nesta quarta-feira (18), “a bem do serviço público”, a delegada Fabíola Martins Rabelo, atualmente lotada na cidade de Alenquer, região do Baixo Amazonas.

A policial, natural de Santarém, deixa o cargo com base em 4 artigos (74, 81, 84 e 87) do Estatuto da PCPA, em vigor desde março de 1994.

Ela incorreu, por exemplo, em atos de improbidade administrativa e corrupção, ambos elencados no artigo 81 do estatuto (Lei Complementar 022/1994).

Em decorrência da gravidade dos atos ilegais praticados por Fabíola Rabelo, foi aplicado a ela a cláusula “a bem do serviço público”, a mais grave com relação à dispensa por responsabilidade disciplinar.

Por 5 anos, a delegada não poderá exercer o cargo novamente, ainda que neste prazo seja aprovada em concurso público.

O decreto de demissão foi assinado pelo governador Helder Barbalho (MDB) e publicado na edição de hoje do diário oficial paraense.

— Novas demissões: Mais 2 investigadores são demitidos da polícia por corrupção no Baixo Amazonas.

  • JC também está no Telegram. Siga-nos e leia notícias, veja vídeos e muito mais.


Publicado por:

2 Comentários em Delegada de Alenquer é demitida da Polícia Civil por improbidade e corrupção

  • Salve Jeso. Uma pequena retificação, quando a situação “a bem do serviço público” consta no ato de demissão, a pessoa fica legalmente impedida de assumir qualquer cargo público pelo resto da vida. O impedimento de 5 anos ocorre somente nos casos onde a pena é a “demissão”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.