"Loteamento' da orla por falnelinhas. Foto: Jairo Oliveira

Do leitor Jairo Oliveira, pelo contato do blog:

Jeso,

A questão dos flanelinhas no Brasil inteiro é polêmica, mas acredito que aqui em Santarém já está havendo um verdadeiro abuso por parte de alguns deles.

A foto acima mostra uma verdadeira apropriação do que deveria ser público, que é o espaço das ruas. Foi colocado um cavalete na parte do estacionamento da orla da cidade, em frente à Ótica Diniz. Só estaciona quem o flanelinha quer.

Isto significa que o espaço que deveria ser usado pela população e fiscalizado pelo município está agora em posse de um cidadão (ou alguns, não sei), que tem por trabalho única extorquir dinheiro da população – agora às custas de descarada particularização de um bem público, que é a rua.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

16 Comentários em: Flanelinhas "loteiam" estacionamento na orla

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • INDIGNADO disse:

    É FÁCIL RESOLVER ISSO!!! É SÓ ACABAR COM ESSA GRAÇA DELES E PROIBIREM DE ESTAR LÁ E BOTAREM PRA TRABALHAR NAS LOJAS OU EM OUTRO COMERCIO…

  • Alessandro disse:

    Pessoal e Jeso, o que faltou foi um pouquinho de investigação. Abusos de flanelinhas existes em várias partes do mundo. Mas nesse caso, basta averiguar por uns dias “quem” estaciona naquela vaga. Vocês iriam ter uma surpresa porque em muitos casos, a vaga não é do flanelinha, mas sim do dono do carro.

  • Nilson Vieira disse:

    Já está ficando cada vez mais difícil achar um lugar para estacionar, no centro da cidade, que já não esteja loteado pelos “donos da rua”. Quanto mais demorar a ação, mais difícil será retirar essas quadrilhas das ruas, basta ver o exemplo das grandes cidades do país.

  • CONSCIENTE disse:

    Isso deveria ter uma parceria doigoverno do Estado (PM) com o governo Municipal par uma fiscalização ostensiva. Direito de ir e vir esta cerceado. uma pena. Além disso, aqueles cidadãos (flanelinhas) praticam ilicitudes como estorção e prejuizo ao patrimonio privado (visto que muitos se utilizam de objeto coirtante para ralar carros que nao pagam estacionamento).SAcanagem, vamos acabar com essa pratica na ORLa. LOgo no cartão postal da cidade…!!

  • Sandro Lopes disse:

    Jeso, a título de colaboração acho pertinente as colocações sobre a implantação da Zona Azul, já estamos realmente necessitando desse encaminhamento. Já existe pronto um ante-projeto com o levantamento do numero de vagas no quadrilátero Tv. Mártires / Rui Barbosa / Fco. Corrêa / Av. Tapajós.

    Quando ordenamos os estacionamentos, separando carro e moto, já era o inicio desse ordenamento. Em alguns momentos, utilizamos áreas como o espaço onde se instala a barraca da santa e a Pça. do Pescador para estacionamento, e funcionou bem. Mas pra que possamos avançar, temos primeiro que definir se a zona azul será terceirizada ou pública, se os atuais flanelinhas serão aproveitados… Os comerciantes irão entender que os espaços serão para os clientes.

    Ainda temos aqui a cultura de cidade pequena com problemas de cidade grande. Muitos de nós, por exemplo, ainda queremos parar na frente de onde vamos. Hoje as famílias têm dois, três carros na garagem (A FROTA PASSOU DE 28 MIL PARA 65 MIL EM SEIS ANOS) e cada um utiliza o seu. Mas claro ainda temos grandes chances de amenizar esses problemas e muitos outros, mas devemos pensar sempre que não é só o poder público, mas todos os entes envolvidos tem o DIREITO/DEVER de também participarem desssa construção.

    1. Jonivaldo Sanches disse:

      Gostaria de discordar do raciocínio do nobre colega, pois o problema da particularização dos espaços das ruas que, sendo bem de uso comum, não pode ser sequer “terceirizado”, pois afetado ao uso coletivo no exercício do seu direito de ir, vir e permanecer; mais, ainda, cabe a Administração Municipal, por ser tema de interesse local legislar sobre esse assunto normatizando tais temas e mesmo impondo sansões àqueles que têm privatizado os bens públicos como as ruas auferindo lucros do locupletamento que tem realizado em afronta à legislação nacional que proíbe o enriquecimento sem causa.
      O tráfego de pessoas e veículos bem como a ocupação dos espaços públicos são bens públicos por excelência no sentido que economistas e cientistas políticos institucionais utilizam, pois todos podem ter acesso a eles e todos pagam para sua utilização (tributos) ainda que não o utilizem, logo é ao poder publico que cabe essa normatização e não a iniciativa dos particulares, pois aqueles têm seus representantes eleitos para isso.
      Não é da boa vontade da população que isso nascerá, mas de iniciativa dos governos locais criando mecanismos de incentivo às boas práticas e sansão às más.
      Não se pode tolerar que pessoas terceirizem os estacionamentos públicos, pois eles são a própria rua, bem público, a qual as pessoas devem ter o direito livremente ir e vir e permanecer, salvo, exceções ligadas ao interesse público. Nem constituem-se, a rigor, em estacionamento.
      Justamente porque a frota de veículos motorizados teve acréscimo quantitativo urge a ordenança dos espaços públicos ligados ao trânsito e estacionamento, porém nada tem sido feito pelos governos e pelo legislativo municipal. A mim me parece que, só quando tivermos grandes problemas no município ligados a esse tema, algo será feito e talvez no sentido de institucionalizar e regulamentar práticas que ferem o interesse público, como fizeram municípios nos quais se autorizou que particulares, ditos flanelinhas, cobrem pela utilização de bens públicos em afronta a constituição. Isso porque, incompetentes, inoperantes ou coniventes que foram os governos, não conseguiram enfrentar os problemas e então impuseram institucionalmente à população o preço de sua incompetência, conivência ou leniência.
      Espero não seja esse o destino de Santarém. Ainda há tempo.

  • Isaias disse:

    Esses cidadãos que trabalham como franelinhas praticamente ficam extorquindo os cidadãos. Isso é um absurdo. Eles sabem que aqui não tem governo mesmo pois a cidade está abandonada pelo poder público. A prefeitura acabou com a cidade. Não quis consertar as ruas porque foi o prefeito campeão de processos que fez, mas não percebeu que as ruas é para benefício dos moradores. Governo incompetente.

  • Anônimo disse:

    Santarém já era para ter área azul como na maioria das cidades do porte e até menor que Santarém. Isso resolveria e também acabaria com os donos de vagas que deixam seus carros o dia todo no mesmo lugar.
    Em algumas cidades o dinheiro arrecado vai para os jovens que fazem essa fiscalização.
    Santarém precisa acordar para coisas básicas e práticas e quando digo santarém, me refiro principalmente aos que tem poder para tal.

    1. Índia tapajoara disse:

      Vc está coberto de razão, só esqueceu de uma coisa…os que tem poder para tal são os primeiro a tranformar essa budega de cidade que eu amo de paixão em ZONA!!!

    2. HERLON CLEVER disse:

      ALGUNS DIAS PASSADOS, ESTACIONEI ENFRENTE AO SEMITERIO NA SÃO SEBASTIÃO FOI 2 REAIS, SAI POIS TINHA QUE DEPOSITAR UM SERTO VALOR NA CAIXA ESTACIONEI FOI MAIS 2 REAIS, FALTOU UM DOCUMENTO FOI PRECISO VOLTAR EM CASA, RETORNEI PARA A CAIXA ESTACIONEI DEZ METROS DE ONDE EU ESTAVA DA OUTRA VEZ ADIVINHEM DENOVO EM EM….. POIS É, NÃO ESTÁ NA HORA DE DÁ UM BASTA PAGAMOS IMPOSTOS MUNICIPAL E ESTADUAL,PARA MANTER A NOSSA SEGURANÇA E DE NOSSOS BENS DE TRANSPOTES( ESSES HOMENS GANHAM PARA QUÊ AFINAL). VAMOS UTILIZAR O EXEMPLO DA CALÇADA LIVRE DENUCIEM.

  • Jeso, será que os membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colombia – FARC, se mudaram para Santarém depois que receberam um combate severo por parte do Governo Colombiano?
    Não tem Orgãos nem Governo que consiga acabar com a bagunça que se instalou em Santarém.
    Pra onde se olha, se vê, desrespeito, bagunça, bandalheira, roubalheira, desigualdade e etc. Está igual a Lei do muruci. CADA UM QUE CUIDE DE SI.

  • Anderson Dezincourt disse:

    Santarém está sem governo, sem vergonha, sem autoridades, enfim, entregue aos ratos e baratas. Flanelinhas e lojistas são os donos das ruas e calçadas, a barulheira impera na cidade, na frente do IBAMA, digo, na cara mesmo do IBAMA instalou-se um estaleiro que está construindo barcos, jogando resto de madeira no rio e ocupando o cais com seus materiais, urubus bricam de pira nas lixeiras em frente ao Mercadão 2000 e tudo de pior está acontecendo e ninguém, absolutamente ninguém faz nada, a não ser empurrar com a barriga e dizer que a responsabilidade é de fulano ou de sicrano. É melhor demitir todo mundo desses inoperantes órgãos e transformar toda Santarém num grande lixão. Santarém nasceu bela, mas em compensação recebeu cada governante que vou te contar…Santarém pede, implora ação.

    1. Antonio Carlos de Almeida disse:

      Calma, Anderson. Espere o novo prefeito (Alexandre Von), tudo será diferente.

      1. HERLON CLEVER disse:

        ÉGUA…..! MANO PORQUE ELE NÃO O FEZ QUANDO FOI VEREADOR, SECRETÁRIO DE

        INFRAESTRUTURA, VICE PREFEITO E DEPUTADO POR DOIS MANDATO, E JÁ VOTOU PARA

        PRIVATIZAR MAIS 14 ORGÃO DO PARÁ ELE E MAIS DOIS SANTARENO QUE DIZEM SER,

        ÉGUA MANO SERÁ QUE É PAIDÉGUA.

  • Jorge Sousa disse:

    Gostaria que o municipio tomasse providência a esse respeito pois muitos motoristas como eu usam estes espaços, ficamos refem destes sujeitos como se fossem proprietarios das ruas.
    Se nos não dermos dinheiro corremos o risco de termos os veiculos riscados e ate os pneus furados.
    Jeso Isso e Legal?

  • HELVECIO SANTOS disse:

    Um poder público que não tira carros de cima das calçadas (estacionamento), mercadorias, idem, que não tira bicicletas de cima do cais, como irá coibir esse tipo de abuso? Os votos são mais importantes, mas os que não aceitam esse tipo de bagunça deveriam votar contra para mostrar que os que querem ordem são maioria. TAPAJOARAMENTE AZUL,