Do leitor que se assina Ludovico Carmona, sobra a Frase do dia:

Não vejo porque motivos os juízes ganharem mais que os promotores, nem estes mais que os defensores públicos, pois os três são cargos de extrema relevância, de equiparada responsabilidade, e neles se fazem presente o Estado Julgador, Estado Acusador e o Estado Defensor.

Não se pode conceber o exercício desses três funções sem paridade de armas, a começar pela isonomia salarial.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

3 Comentários em: Isonomia na Justiça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ludovico Carmona disse:

    Caro Dedé, muito obrigado pelo conselho, mas mesmo que fosse da área jurídica, a carreira da magistratura, embora muito atraente para alguns, dado o “status” que proporciona, definitivamente não é a que mais me encanta. Em razão da minha vocação um tanto autruísta, optaria por carreiras que militam em prol da sociedade e dos menos favorecidos, leia-se Ministério Público ou Defensoria Pública, sendo que esta última, soube que também paga bons salários, não sei se no mesmo patamar do Judiciário. De outra esteira, entendo não menos importante sejam as funções de Delegado e Perito, por isso merecem chegar a um patamar salarial digno, tal como as outras três carreiras anteriormente mencionadas.

  • José disse:

    Nesse sentido é um absurdo o que o estado paga para delegados e peritos, muita coisa esta errada, vai de cada classe brigar por suas melhorias salariais. Não são os juízes que ganham muito e sim as outras classes que ganham pouco.

  • Dedé disse:

    Carmona,

    Faça concurso para juiz e pare de reclamar!!