Condenado pela 3ª vez, João de Deus pega pena de 40 anos de cadeia por estupro
João de Deus, terceira condenação

A juíza Rosângela Rodrigues dos Santos, de Abadiânia (GO), condenou João Teixeira de Faria, 77 anos, conhecido como João de Deus, a 40 anos de reclusão em regime fechado por estupro de 5 mulheres durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola.

O processo corre em segredo de Justiça.

 

Essa é a 3ª condenação de João Teixeira de Faria, que se apresenta como “médium”, designação usada no espiritismo para descrever quem teria o dom de incorporar espíritos e entidades. Não existe comprovação científica a respeito desse tipo de prática.

Na 1ª condenação, em 18 de fevereiro, João de Deus foi condenado a 4 anos de prisão por posse ilegal de arma de fogo. A 2ª, em 19 de dezembro, foi por abusos sexuais, na qual foi condenado a 19 anos e 4 meses de prisão.

Acusação e agravante

Para calcular a pena, a juíza considerou como atenuante a idade do réu, que está com 77 anos. Por outro lado, a magistrada considerou como agravante o fato de João de Deus ter cometido a violência sexual em razão do ofício, sob argumento de ser um alicerce de fé.

O curandeiro está preso desde 16 de dezembro de 2018 e ainda responde a outros 9 processos por crimes sexuais. Ele nega todas as acusações.

João Teixeira de Faria trabalhou durante anos como curandeiro na cidade goiana de Abadiânia (a 117 quilômetros de Brasília). Na Casa Dom Inácio, ele já atendeu milhares de pessoas, entre elas políticos, empresários poderosos e celebridades do Brasil e do mundo.

 

As primeiras acusações contra João de Deus surgiram no programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, em 7 de dezembro de 2018. Na ocasião, 10 mulheres afirmaram que foram abusadas sexualmente por ele.

João de Deus é réu em 8 processos que envolvem crimes sexuais, posse ilegal de armas e falsidade ideológica. Em outro caso, o qual a denuncia ainda não foi aceita, o curandeiro é acusado de estupro de vulnerável. Ele nega os crimes.

Com informações do Poder360

— LEIA também: Vovó do Tráfico infarta e morre durante operação policial em Monte Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *