MP investiga suposta atuação de organização criminosa dentro da Sespa

O Ministério Público do Pará deflagrou nesta quinta-feira (10) a operação “Transparência – Fase Descartáveis” que investiga a atuação de uma organização criminosa que estaria atuando dento da Sespa (Secretaria de Estado de Saúde).

A operação cumpriu mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado na Marcoplas Comércio de Móveis. Foram apreendidos celulares, computadores e documentos fundamentais ao objeto das investigações.

 

A ação do órgão ministerial paraense foi realizada com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), Grupo de Atuação Especial de Inteligência e Segurança Institucional (GSI) e o Núcleo de Combate à Improbidade e à Corrupção, em conjunção de esforços institucionais com as Promotorias de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Belém.

Em 24 de março de 2020, a Sespa contratou, com dispensa de licitação, a empresa Marcoplas Comércio de Móveis para fornecer 1.140.000 garrafas pet de polietileno, cujo valor total foi de R$ 1.710.000,00, sendo que cada unidade custou ao Estado R$ 1,50.

A justificativa da contratação seria a necessidade de envazar álcool etílico 70%, utilizado na profilaxia da doença covid-19.

 

A contratação causou polêmica na imprensa nacional pela grande quantidade de frascos e pelo valor unitário, já que o preço seria muito superior ao de mercado, podendo alcançar um sobrepreço de 300%.

As investigações indicam que a empresa contratada não produz e não estava habilitada para produzir as garrafas, tendo terceirizado o contrato para outras empresas, por valores muito inferiores.

Com informações do MPPA

LEIA também: Juíza suspende publicação de pesquisa para prefeito e estabelece multa de R$ 80 mil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *