Sindicato do Judiciário no PA  inicia 'greve sanitária', sem atendimento presencial
TJ do Pará, em Belém, sede do Judiciário paraense. Foto: arquivo BJ

O Sindju (Sindicato dos Funcionários do Judiciário) do Pará deflagrou nesta segunda-feira (13) uma ‘greve sanitária’, isto é, sem atendimento presencial ao público externo.

Orientações foram encaminhas hoje pelo Sindju aos servidores grevistas de como proceder no decorrer da paralisação.

 

O atendimento presencial, segundo o sindicato, só será feito para advogados, defensores públicos, membros do MPPA (Ministério Público do Pará), “mas preferencialmente por telefone, email ou Whatsapp”, salientou.

Abaixo, as recomendações do Sinjur à categoria:

→ 1. Ir para a sua unidade de trabalho e realizar suas atividades internas normalmente, com exceção do atendimento presencial do público externo.

→ 2. Afixar aviso na porta das secretarias de que o atendimento presencial ao público externo está suspenso por razões sanitárias.

→ 3. Colocar os contatos para atendimento: e-mail, telefone e WhatsApp Informar aos advogados que os atendimentos deverão ser feitos preferencialmente por meio eletrônico.

→ 4. Atendimentos presenciais só serão mantidos para advogados, defensores, membros do MP (mas preferencialmente por telefone, email ou Whatsapp);

→ 5. Não atender partes ou público em geral presencialmente.

→ 6. Reportar ao Sindju a presença ou ausência das medidas de segurança, como máscaras, protetor facial acrílico, álcool em gel, álcool líquido para limpeza de superfícies, medição de temperatura na entrada dos prédios.

LEIA também: Judiciário pagou acima de R$ 100 mil mensais a mais de 8.000 juízes entre 2017 e 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *