Jonas Lourenço, vereador em Rurópolis

Jonas Lourenço, presidente da Câmara. Foto: Helder Marinho

A Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Rurópolis, sob o comando do vereador Jonas Lourenço (PT), está destituída, e os membros a Casa tem 48h, a contar de hoje (28), para realizarem nova eleição aos 4 cargos de direção do Legislativo – presidente, vice, 1º secretário e 2º secretário.

A decisão é do juiz Gláucio Assad, da comarca de Rurópolis.

O magistrado justificou a medida com base no preceito de que a atual Mesa Diretora, eleita há 28 dias, foi formada sem obedecer a proporcionalidade dos partidos com assento na Câmara.

Além de Jonas Lourenço, integram a Mesa os vereadores Sérgio Ribeiro (PMDB), vice; Flora Variani (PMDB), 1ª secretária), e Anderson Pinto (PP), 2º secretário.

A Câmara de Rurópolis tem 13 vereadores.

Duas chapas participaram da disputa da Mesa Diretora da Câmara, biênio 2013-2014. A encabeçada por Jonas Lourenço bateu por 7 votos a 6 a que tinha à frente a da vereador Raimundo Nonato Silva, o Nonatinho, (PSDB), que contou com o apoio do prefeito eleito Pablo Genuíno (PSDB).

Os demais integrantes da chapa derrotada eram Edgar Rocha (PSD), Carla Silva (PSDB), e Ismael Carvalho (DEM).

Ainda hoje, no blog, mais informações sobre esse caso.

Atualizado às 16h21

Leia também:
Prefeito nomeia pai inelegível como secretário.

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

9 Comentários em: Juiz destitui Mesa da Câmara de Rurópolis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • anonimo disse:

    O Pablo pode ser um péssimo prefeito,todos do seu partido pode não ser tão bom,mas se eles foram eleitos é pq a maioria acredita neles,e eu tb acredito. E no entando concordo em mudar a presidencia da camara até mesmo pq pior que esta rurópolis nao pode ficar e se eles nao ter a chance de mostrar serviço como vamos julgar?

    VAMOS DAR UMA CHANCE PARA RURÓPOLIS CRESCER OU PELO MENOS MELHORAR OLHA AI O PARTIDO QUE PERDEU É TÃO BOM QUE SUMIU TDO …

    1. Anônimo disse:

      SEU SALARIO DEVE ESTAR SENDO BOM. HEIN KKK

  • antonio Carlos disse:

    Gostaria de esclarecer que o juiz da Comarca de Rurópolis Dr. Glaucio Assad é cunhado do atual prefeito Pablo (PSDB) e da vereadora Paula (PSDB) que estava na chapa que perdeu a eleição da mesa o que está certo é que a vereadora Paula quer ser presidente da Câmara, ou seja, para ficar tudo em Família:
    Poder Executivo: Pablo Genuino
    Poder Legislativo: Paula Genuino
    Poder Judiciário: Glaucio Assad (Cunhado do Prefeito e da vereadora)

  • Anonimo disse:

    Prezados,
    Probres Ruropolenses……essa corja do prefeito Pablo não aceita perder a presidência da Câmara e está fazendo de tudo para destituir a mesa diretora…….Cade a Justiça, o Pablo colocou o seu pai no em umimportante cargo no governo….isso é nepotismo….cade a justiça??????? as vezes não dar para acreditar na justiça….infelesmente.

    Saudações a todos

  • Carla Naíza Costa da Silva disse:

    Caro Jeso,
    A título de informação, e, sobretudo, em respeito a seu conceituado Blog e aos internautas que o acessam, me sinto no dever de esclarecer na íntegra os motivos que ensejaram o manejo do mandado de segurança e, por conseguinte a decisão em sede de liminar da lavra do Exmo. Dr. Gláucio Assad.
    O mandado de segurança e a respectiva decisão se fundam em três pontos cruciais. Primeiramente, pelo fato da sessão inaugural NÃO se dar na presença da mesa que dirigiu os trabalhos na sessão legislativa anterior, em absoluta afronta ao art. 1º da Resolução nº. 009/1990 (Regimento Interno da Câmara Municipal de Rurópolis), e art. 11 da Lei Orgânica do Município. Em segundo, pelo fato da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal NÃO obedecer ao princípio da proporcionalidade partidária, em desrespeito ao art. 20, §1º, alíneas “a”, “b”, e “c”, do Regimento Interno da Câmara Municipal de Rurópolis, e art. 58, §1º, da Constituição Federal.
    Por fim, como terceiro aspecto ensejador da decisão, está o fato de sequer haver chamada nominal para que cada um dos vereadores se levantasse da sua cadeira e se dirigisse a tribuna, onde ali, verbalmente, pudesse dizer os nomes dos candidatos e respectivos cargos de sua escolha, em ofensa ao que preceitua a alínea “c” do §1º do art. 20, do Regimento Interno da Câmara Municipal de Rurópolis.
    Importante salientar, que todos esses fatos constam das ATAS 001 e 002/2013 da Sessão Solene de Escolha da Mesa Diretora, que estão acostados aos autos do Mandado de Segurança.
    Por derradeiro, cabe ressaltar que a respeitável Decisão que anulou a eleição da mesa diretora da Câmara Municipal de Rurópolis, culminando com a sua respectiva destituição, é pautada na LEGALIDADE, e respeito aos princípios e disposições inerentes ao Regimento Interno da Câmara Municipal de Rurópolis.
    Grata pelo espaço!
    Carla Naiza Costa da Silva (Vereadora no Município de Rurópolis)

    1. Jeso Carneiro disse:

      Grato pelas informações, vereadora. O espaço aqui no blog sempre estará aberto a contrapontos.

    2. Se o Juiz Glaucio Assad realmente e (Cunhado do Prefeito e da vereadora), ele e suspeito para atuar neste processo!
      Portanto esta decisão terá que ser revista pelo Tribunal!

    3. Anônimo disse:

      VOCE COMO VEREADORA DEVE SER MAIS INTELIGENTE. E DIZER QUE ASSINOU PQ MANDARAM, E VC LOGICO OBEDECEU.
      primeiro porque a sessao se deu com a presença da mesa diretora anterior.
      segundo . lei ealmente o q diz o regimento.
      terceiro vc sabe o que bloco partidário. não né. acredito que não. se no dia 30 nao sabia responder a uma simples pergunta do reporte.
      ao final todos nós sabemos que isso tudo foi uma montagem, porque o prefeito atual tem medo do Jonas, nao conseguiu negociar com o Jonas. essa é a verdade que o povo precisa saber.
      talvez lele nao tenha dinheiro para comprar medicamentos nem para dar sextas basicas, mas para esse tipo de negociação ele tem….. POVO ABREM O OLHO..

  • Barão do Arapiuns disse:

    Outra vez o Judiciário se intrometendo no Legislativo. Sem falar que se a moda pega em Santarém o Maurício Corrêa seria o presidente da Câmara, taí uma oportunidade Maurício de ganhar o cargo, pede a cópia da ação e ajuíza no Fórum. Mas ridículo mesmo é interesse “velado” do juiz. Ficaria o domínio total dos Genuíno nos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. Pouca vergonha!