Carta aberta ao prefeito de Óbidos, Chico Alfaia, Óbidos - Alfaia

Alfaia, gestão desastrosa à frente de Óbidos

por Cleise Sarrazin (*)

Caro Prefeito,

Sinto-me na obrigação de me manifestar sobre tudo que tem acontecido desde o início da sua grave gestão, no dia 01 de janeiro de 2017, onde eu e outros valentes companheiros lhe demos em primeira mão oportunidade e confiança.

Naquele momento estávamos em acampamento nos fundos da prefeitura e o senhor “usando” de humildade nos convenceu de ser da PAZ E BEM.

Mesmo consciente da possibilidade de futuras retaliações, sinto-me na obrigação de me posicionar acerca de acontecimentos que considero lamentáveis, que em nada acrescentam no diálogo sempre conturbado entre professores/gestor.

Primeiramente, vou começar manifestando meu total repúdio e indignação a quem chama os professores e demais trabalhadores da educação de “vagabundos”, “trapaceiros”, “presencistas” e de outros adjetivos que o bom senso não me permite colocar aqui.

Estendo a minha indignação ao senhor também, pois como nosso líder deveria nos conduzir em um projeto de educação que mude a realidade deste município, e não permitir (ao não se manifestar) que nossa imagem seja enxovalhada perante a sociedade numa clara tentativa de nos desqualificar enquanto profissionais.

Já tive alguma experiência em gestão, privada e pública. Inclusive neste lugar também qual o senhor serve, e nunca, nunca mesmo, permiti ofensas a subordinados. Críticas sim, ofensas jamais!

Em segundo lugar, gostaria de lhe esclarecer e afirmar que greve não é só dos profissionais da educação, como já ouvi o senhor pronunciar. A greve é de professores, técnicos, apoio, garis, agentes de trânsito, da saúde, etc. É de todos. Eu digo TODOS! Todos estão sem condições de trabalho, e isto inclui os funcionários da sede da PMO.

Contudo, as cobranças sobre nós são cada vez maiores. Mais e mais projetos novos e gastos nos são impostos a cada dia e vão se somando a nossa atribulada rotina, e o que é pior: com SALÁRIOS SEMPRE ATRASADOS.

O mais incoerente é que esses projetos, espaços físicos para funcionamento por exemplo, do Maternal, não trazem com eles as condições necessárias e financeira para que sejam implantados.

Mesmo assim eles acabam de uma maneira ou de outra andando, o senhor sabe por que prefeito? Pela boa-vontade dos “vagabundos”, “PRESENCISTAS”, “trapaceiros” que às vezes tiram do próprio bolso para bancar as despesas que as atividades e situações geram.

Um bom exemplo disso são os diretores e professores de educação infantil das escolas dos bairros menos favorecidos, que fazem coleta para comprar produtos básicos, para complementar a MERENDA ESCOLAR, pois caso contrário os alunos dessas escolas não têm nem essa merendinha, muito menos a ALIMENTAÇÃO ESCOLAR que sempre está FALTANDO.

SEM FALAR EM TRANSPORTES…

O terceiro ponto que tenho a tocar é ainda mais grave, é sobre a lotação.

Ouvi o senhor por várias vezes FALANDO que todos teriam oportunidades…. professores, principalmente, e agora o senhor determina que os vereadores e adjunto façam a lotação na base do QI?

O senhor tem a seu serviço um sistema de lotação que indica onde há necessidade, o senhor mesmo poderia estar lotando juntamente com a secretária, mas com tantos desmandos é preciso mesmo agradar suas parcerias.

Ainda sobre lotação, gostaria de comentar algo lamentável que ouvi nesta última semana: que o senhor ordenou à secretária adjunta só conceder vagas as pessoas que não foram classificadas no processo seletivo para cargos como professor itinerante, as que fossem indicadas pelos 10 vereadores da sua base.

Algo assim, presumo, como uma “Máfia de Lotação” instalada na Semed. Isto é Ridículo! Além de ofensivo.

Sendo assim, são mafiosos os vereadores, os adjuntos e os funcionários do setor responsável pela lotação. O professor não poder ser lotado em turma nenhuma, prefeito, pelas suas qualificações e experiências é muito humilhante. Ele se sente derrotado. Vários me ligaram, houve dois que choraram pela forma de tratamento da adjunta, que esquece ESTAR e que a LEI da gravidade existe e é fato.

Lembro-lhe que ao apontar tantos desmandos administrativos dentro da Secretaria de Educação é em último caso criticar a secretária, já que as gestões anteriores que por essa secretaria passaram foram também indicações de prefeitos que não dão total autonomia.

Encerro lhe fazendo um apelo: não se atenha somente a ouvir ao que dizem seus vereadores e assessores mais imediatos. Ouça professores, diretores, coordenadores, agentes etc., separadamente, e sem a presença de secretários, adjuntos, vereadores e coordenadores de campanha.

Não se esqueça de ouvir também os vigias, garis, ASGs, apoio em geral, essas pessoas trabalham muito, trabalham longe muitas vezes de suas casas e famílias, trabalham sem condições e são pouco reconhecidas.

Juntos somos mais fortes e podemos mudar a situação lamentável que se encontra educação, saúde, infraestrutura etc. na nossa cidade.

– – – – – – – – – – – – – – –

* É professora da rede municipal de ensino de Óbidos

Nota do editor: textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais publicados no espaço "comentários" não refletem necessariamente o pensamento do Site Jeso Carneiro, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

5 Comentários em: Carta aberta ao prefeito de Óbidos, Chico Alfaia, por Cleise Sarrazin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • messias disse:

    esse aristides deve ta tomando esse leitinho tambem kkkkk

  • Jovem sonhadora disse:

    Minha amiga, coragem e se prepare para responder por suas sábias palavras, já que este governo não admite críticas e acham que estão sempre com a razão, estes péssimos imortais estão fadados ao fracasso.

  • ROBERTO RABELO disse:

    Da vontade de rir para não chorar, é notorio que enquanto não termos gerenciadores capacitados, vamos sofrer como os companheiros de òbidos e demais municípios do Brasil.

  • Aristides fonseca borges disse:

    mas existem professores que são concursados que deveriam dar aula, gostaria que se implantassem a meritocracia no serviço público. Quem não quer dar aula saia do serviço público o aluno não tem culpa disso. o prefeito está errado? sim está, mas atraso de salário não é privilégio de Óbidos. A politicagem está por traz de muita coisa, as velhas raposas estão querendo voltar a qualquer custo. Professor que não cumpre sua função tem que ir embora .

  • Ana disse:

    Nunca imagine que um dia fosse concordar com a senhora Cleize, da qual tenho discordâncias profissionais e ela bem sabe disso, mas hoje sinto-me obrigada pela sua forma simples e direta de contar umas das maiores verdades que estamos vivenciando na educação onde temos, uma secretária que vive dando chiliques com ataque de histeria; uma secretaria adjunta que adora pegar ralhos e esculhambações da secretaria de educação na frente dos demais colegas da sede; uma secretaria adjunta que adora ficar no zap zap e posando em selfies como se fosse uma hiena mas está mais perdida do que do que os murerus no redemoinho do rio amazonas e uma outra secretaria adjunta (citada indiretamente no artigo) que é e sempre foi a personificação da ignorância e amigas das rasteiras violentas.